10 dicas financeiras de pais para filhos

O Saldo Positivo dá-lhe 10 dicas para que os pais falem com os filhos sobre dinheiro.

As crianças e os jovens são, por natureza, bastante curiosos e estão sempre preparados para aprender mais. Além das caraterísticas genéticas e das parecenças físicas, os pais podem transmitir aos seus rebentos boas práticas no que diz respeito às finanças. Para conseguir falar com o seu filho sobre dinheiro da melhor maneira, é necessário que exista alguma referência na sua casa (as crianças gostam muito de imitar os adultos) que torne as explicações mais fáceis de perceber por parte das crianças.

A protecção financeira dos filhos começa nos pais.

O Saldo Positivo dá-lhe 10 dicas para que os pais falem com os filhos sobre dinheiro.

1. O milagre do juro composto
O juro composto pode ser o verdadeiro empurrão para que comece a poupar e a investir sem torcer o nariz. Em termos práticos, o dinheiro que investir hoje vai rendendo juros à medida que o tempo passa. No futuro, os juros já vão incidir sobre juros, criando assim um grande efeito na sua conta bancária a longo prazo.

2. Proteção contra a inflação

É muito importante proteger o seu dinheiro da inflação e a explicação é simples: 500 euros hoje podem valer menos amanhã, por causa da subida generalizada dos preços. Assim, é importante que os investimentos tenham retorno acima da taxa de inflação. Explique o valor do dinheiro e o que significa o poder de compra.

3. Não comprar mais do que pode
Explique ao seu filho que apenas deve gastar aquilo que tem e pedir crédito para projetos que se encaixam na sua capacidade financeira. A mensagem mais importante a transmitir é evitar o sobreendividamento. Ensine também o seu filho que existem coisas que compramos porque “precisamos” e outras que compramos porque “queremos”. Aproveite ainda para falar com o seu filho quando vai às compras. Mostre-lhe a diferença entre coisas caras e baratas para o mesmo fim.

4. Aprender mexendo no dinheiro
A melhor forma de ensinar o seu filho a lidar com o dinheiro poderá passar por dar-lhe uma semanada ou mesada para ele gerir. Assim estará a dar-lhe confiança e a responsabilidade de mexer no dinheiro e, também, a dar-lhe alguma experiência no ato de gerir as finanças e de tomar decisões. Pode começar por um valor pequeno e ir aumentando ao longo do tempo. Assim, evitará que as asneiras iniciais tenham repercussões maiores na sua carteira.

5. Ensine o seu filho a poupar
Em linha com o ponto anterior, se o seu filho não gastar toda a sua mesada, poderá poupar para o mês seguinte. Mostre-lhe o quanto é importante poupar, sobretudo se tem algum gasto maior em perspetiva, como por exemplo um computador ou uma consola. Ensine a importância de poupar e investir. Proponha uma meta de investimento e incentive o seu filho a alcançá-la.

6. Mostre-lhe a importância de pensar antes de gastar
Diga ao seu filho que planear antes de comprar poderá ser a chave para o sucesso das suas finanças. Para começar a integrar a criança pode começar por pedir a sua opinião no orçamento familiar. O seu filho irá sentir-se importante e irá aprender que o planeamento é uma peça muito importante em todos os aspetos da vida.

7. Explique o que são produtos financeiros

Este poderá ser um dos fatores mais importantes para que o seu filho consiga ter um futuro financeiro risonho. Pode começar por explicar os produtos financeiros mais fáceis (depósitos a prazo) e vá avançando lentamente nos outros (cartões de crédito e débito, ações, etc.). Se não está confortável com todos os produtos mais complexos comece por passar este espaço a pente fino e torne-se um conhecedor dos vários produtos financeiros que encontra no seu banco.

8. Dê importância financeira ao seu filho

Certamente que o seu filho é o projeto mais importante da sua vida. Não descure a sua opinião para as finanças familiares. As crianças também podem ter grandes ideias para o dinheiro, e ao escutá-lo irá notar que os seus ensinamentos estão a correr da melhor maneira.

9. Mostre  de onde vem o dinheiro
É muito importante que mostre ao seu filho que o dinheiro “não cai do céu”, ou seja, que é a recompensa pelo trabalho que executa. Isso irá fazer com que o seu filho se aplique nas suas tarefas e, sobretudo, no seu futuro enquanto trabalhador. Aproveite ainda para explicar porque é que há pessoas que recebem mais do que outras.

10. Ensine-o que os erros financeiros acontecem
Se o seu filho gastar todo o dinheiro da mesada antes do tempo não é sinal para alarme. Cometer erros financeiros é normal, sobretudo no início. Diga-lhe que os erros iniciais ensinam a evitar tragédias financeiras no futuro. Se vir que as compras do seu filho não se enquadram nos gastos familiares, opte por impor algumas regras em vez de o recriminar.

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB