Oito dicas para poupar neste Natal

Oito dicas de poupança para seguir nas compras natalícias.

Este Natal seja mais poupado na hora de comprar presentes

Frugalidade em altura de consumo natalício. Embora possam parecer conceitos opostos, a crise económica que se vive requer alguns sacrifícios para grande parte da população. Já se sabe que este Natal vai ser de muitas contenções. Os cordões vão demorar mais tempo a abrir, e a bolsa está mais apertada. No entanto, o facto de ter menos disponibilidade financeira não significa que tenha de ser um Natal cinzento e sem presentes no sapatinho. A troca de lembranças continua a ser um dos pilares das tradições do Natal e os presentes não têm que ser forçosamente caros. Faça do ditado popular “o que conta é a intenção” a sua máxima para este Natal.

Segundo o observador Cetelem sobre as intenções de consumo nesta quadra, as famílias portuguesas pretendem gastar no máximo 192 euros em presentes para seis pessoas, um valor médio de 32 euros por presente. O mesmo estudo diz que cerca de 70 por cento dos inquiridos revelaram que pretendem gastar menos dinheiro este Natal que no ano passado. O Saldo Positivo reúne alguns conselhos para ter um Natal mais contido, com presentes mais em sintonia com a sua conta bancária.

 

1 – Faça o orçamento natalício

A esta altura do campeonato os mais precavidos já compraram os presentes de Natal, mas a maior parte das pessoas ainda não se dedicou ao assunto. Se faz parte deste último grupo, não vale a pena desesperar. Saiba que o ponto de partida é o orçamento natalício: decida a quem pretende oferecer prendas e, sobretudo, quanto é que pode gastar. Depois é só cumprir criteriosamente os objectivos traçados.

Se já pensou nisto antes, está em vantagem: uma boa dica para que o Natal não seja tão penoso na carteira é pensar nisso três meses antes e reservar uma parte dos seus rendimentos especificamente para comprar presentes. Pode não ser divertido nem impulsivo, mas pode significar que o orçamento do Natal é maior e que tem permissão para comprar uns presentes mais caros sem mexer no seu dinheiro corrente.

 

2 – Quanto mais cedo, melhor

Tendo em conta que muitos são os que deixam a compra das prendas para “a última da hora”, quando o bacalhau já está de molho a preparar-se para ser a ceia da consoada, se for nesta altura às compras ainda terá muitas opções de escolha. O tempo pode ser o seu melhor aliado, pois quanto mais cedo começar as suas compras menor será a pressão sobre os seus ombros. Muitas vezes o presente perfeito não é o mais caro, mas sim o mais difícil de encontrar. Quanto mais espaço temporal tiver para as compras, menos dinheiro irá gastar, pois tem tempo que sobra para escolher  o melhor e mais em conta.

 

3 – Troca de presentes

Mais conhecido como o “amigo secreto”, a melhor forma de se escapar a oferecer presentes a quase todos os seus amigos é organizar um jantar de Natal, com troca de presentes. Cada participante tira um papel com o nome de outro participante e depois compra um presente para essa pessoa. A prenda pode ainda ter um limite de valor. Esta técnica funciona muito bem com os colegas de trabalho, da escola ou até mesmo em família, caso o orçamento seja apertado. 

 

4 – Aproveitar campanhas

O Natal sempre foi a altura por excelência para o comércio. Mas em altura de crise, até os comerciantes necessitam encontrar técnicas alternativas para incentivar as vendas, por isso são muitas as lojas que mantém campanhas com descontos durante esta época. Aproveite-as. Quer sejam descontos em lojas de roupa, telecomunicações ou beleza, vale a pena perder algum tempo a procurar o negócio certo para comprar os presentes certos ao melhor preço.

Continue a ler o artigo nas páginas seguintes: 1 2 | Ver artigo Completo

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB