Boonzi: Conheça o software que ajuda a controlar o orçamento

Saiba porque 17 mil pessoas já aderiram a este software de gestão de finanças pessoais para controlarem as suas despesas.

João Saleiro é um dos fundadores do Boonzi.
João Saleiro é um dos fundadores do Boonzi.

Longe vão os tempos em que se anotavam as despesas efetuadas ao longo do mês num caderninho ou numa folha de papel. A crise, por um lado, e os avanços tecnológicos, por outro, levaram os portugueses a recorrerem a folhas de excel, aplicações informáticas e a softwares especializados para gerirem os seus orçamentos familiares com mais perícia e rigor. E uma das ferramentas informáticas que tem ganho mais expressão junto dos portugueses é o Boonzi. Criado no início de 2013, este software de gestão de finanças pessoais permite ao utilizador controlar cada cêntimo que gasta em toda a sua vida. Além disso agora está disponível em sistemas Android e para iPhone simplificando a introdução de dados através do telemóvel, sincronizando com o Boonzi Desktop. Esta ferramenta, completamente portuguesa e adaptada à nossa realidade, conta já com 17 mil utilizadores. Numa entrevista ao Saldo Positivo, João Saleiro, co-fundador deste programa, explica quais são os principais erros que os consumidores cometem na gestão dos seus orçamentos familiares e afirma que os utilizadores do Boonzi conseguem poupar perto de 300 euros por ano.

 

Na sua opinião, quais são os erros que são mais frequentemente cometidos pelos consumidores na gestão do seu dinheiro?

O principal erro é, na nossa opinião, o facto de que na generalidade os portugueses gerem o seu orçamento de uma forma denominada pelos americanos por “living paycheck-to-paycheck”, que consiste no planeamento do orçamento mensal em função do salário anterior. Isto é um erro crasso, porque não tem em conta despesas periódicas anuais, que têm um impacto extremamente alto no orçamento – daí a tendência para que grande parte dos portugueses prefira receber os subsídios de férias sem duodécimos. Uma gestão correta deve ser feita numa ótica anual, com o saldo, despesas e receitas previstas para os próximos 12 meses. Tencionamos disponibilizar este ano ferramentas especializadas na gestão do orçamento, que permita a qualquer pessoa planear um ano inteiro da sua vida financeira de forma a que saiba com precisão à data de hoje quanto dinheiro terá daqui a um ano.

 

Quais são as despesas mais “esquecidas” e menosprezadas?

No que toca às surpresas mais frequentes, estas costumam ser nas categorias de vestuário, restauração, e cafetaria. No primeiro caso, porque as pessoas se esquecem facilmente do impacto que o vestuário para ocasiões especiais tem no orçamento anual, e no terceiro porque temos tendência a dar menos importância àqueles pequenos gastos do dia-a-dia feitos em dinheiro. Por exemplo, demonstramos num artigo no nosso blogue que essas despesas “inofensivas” podem facilmente ultrapassar 500 euros por ano.

 

Considera que os portugueses sabem ao certo para onde vai o dinheiro que gastam? Ou seja: são bons gestores do seu orçamento?

Existe um estudo que indica que apenas 30% dos portugueses conhece com exatidão as suas despesas mensais. Sabemos que a preocupação com o orçamento mensal é transversal a quase todos os portugueses, em especial neste período de aperto, mas não só, não é fácil fazer uma boa gestão, como é algo que implica bastante tempo e esforço. Essa foi uma das razões que nos motivou a construir um software que simplificasse toda a gestão do orçamento. A importação e categorização no Boonzi, por exemplo, resolvem em dois minutos todo o processo de levantamento das despesas. Depois, o programa encarrega-se do resto: de gerar os relatórios de despesas e receitas por categoria e entidade, de mostrar a evolução do saldo, comparativos com o mês anterior, etc.

 

Até que ponto as novas tecnologias e a internet podem ser instrumentos úteis para a gestão de um orçamento?

Registar todas as despesas num bloco de notas é uma tarefa penosa, que nos leva tipicamente a desistir de fazer esse controlo. Depois voltam as surpresas no extrato bancário e com ela regressa a entediante tarefa de levantamento de despesas. Ferramentas como o Boonzi não só poupam todo o esse trabalho, como oferecem um controlo ao cêntimo de toda a vida financeira. Cinco minutos semanais bastam para manter as finanças em ordem, algo que seria impensável sem recurso às tecnologias. E com as aplicações para ‘smartphones’ que vamos lançar em breve, essa gestão poderá ser feita a partir de qualquer local, em qualquer momento.

 

É possível ter uma ideia da percentagem de poupança que os utilizadores do Boonzi conseguem obter nos seus orçamentos, após usar este software?

Como não temos acesso aos dados dos clientes, não podemos precisar números. Recebemos muito ‘feedback’ positivo de clientes a indicar que recuperaram o seu investimento logo no primeiro mês, e sabemos que em média o Boonzi permite obter poupanças superiores a 25 euros por mês, ou seja, na ordem dos 300 euros por ano. Recebemos também muitas histórias das surpresas que as pessoas vão obtendo com a utilização do Boonzi, sobretudo nas categorias de vestuário, restauração e cafetaria.

 

É possível saber qual é o perfil do cliente do Boonzi?

Não existe exatamente um perfil de cliente definido para o Boonzi, visto que temos clientes (e fãs) de todas as classes sociais, e faixas etárias. Desde famílias que procuram ter um controlo mais preciso do seu orçamento familiar, a pessoas com património distribuído por vários bancos que procuram uma visão integrada da sua situação financeira, passando por pessoas que se vêm na necessidade de conhecer ao detalhe os seus hábitos de consumo para poderem tomar melhores decisões na gestão do seu dinheiro.

 

Que conselhos dá a quem quer começar a poupar?

O primeiro passo para tomarmos uma ação é o conhecimento. Temos primeiro que nos conhecer melhor, e saber com precisão o que fazemos ao nosso dinheiro, pois só assim podemos tomar boas decisões na gestão do orçamento familiar. Isto implica levantar as despesas todas, seja em papel, usando o Excel, ou uma ferramenta que automatiza todo o processo como o Boonzi.

A partir do momento em que sabemos exatamente os nossos hábitos de consumo, passamos a ser nós a controlar o dinheiro e não o dinheiro a controlar-nos a nós.

 

Como funciona o Boonzi?

Pode experimentar este software de gestão de finanças pessoais gratuitamente durante 30 dias – basta fazer ‘download’ aqui para receber a sua licença de demonstração. Se preferir adquirir logo o programa, este terá um custo de 39,90 euros, sendo que até dia 3 de março está com um desconto de sete euros.

* Crédito da imagem: Mário Pires

 

Leia também: 

10 sites para gerir melhor as suas despesas; 

As dicas de poupança da gestora do blogue Tralhas Grátis; 

Seis dicas de poupança de milionários frugais;

Sete dicas para poupar nos cuidados de saúde. 

Uma resposta a “Boonzi: Conheça o software que ajuda a controlar o orçamento”

  1. Ana Rodrigues

    Sou fã do trabalho do ‘Boonzi’ desde 2013! Adoro o produto e acredito que este ‘Boonzi’ vai dar muito que falar. Parabéns à equipa!!!

    Responder

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB