Cinco dicas para lidar com um emprego que odeia

Não gosta do seu trabalho mas também não pode dar ao luxo de se despedir? Conheça as nossas dicas para lidar com esta situação.

liddar com um emprego que odeiaAcordar para ir trabalhar pode ser um autêntico suplício quando não se gosta do que se faz. Os números de um estudo internacional levado a cabo pela Monster e pela GfK em sete países (EUA, Canadá, Índia, Reino Unido, Holanda, França e Alemanha) mostram entre 5% e os 15% dos inquiridos odeiam o trabalho que têm. Não existem dados sobre o mercado português, mas tendo em conta a deterioração das condições de trabalho causada pela crise e pelas medidas de austeridade, não seria de espantar que os números em Portugal pudessem superar os resultados deste estudo.

Para quem não gosta do emprego ou das tarefas profissionais que tem de desempenhar o maior desejo é mesmo “bater com a porta” e sair da empresa. No entanto, tendo em conta o atual clima económico e a elevada taxa de desemprego em Portugal, despedir-se é um risco demasiado grande para ser tomado. Por isso mesmo, aqui ficam alguns conselhos para conseguir lidar com esta situação e planificar o futuro. Leia também o artigo: Sete tarefas a fazer se foi despedido

 

1. Aposte no ‘networking’

O estabelecimento de uma boa rede contactos com amigos, familiares, colegas de trabalho é fundamental para a gestão da sua carreira profissional. Se não gosta do emprego mas sente empatia pelas pessoas com quem trabalha então mantenha uma relação cordial com eles. Além disso, os seus colegas têm contactos que podem tornar-se também seus e proporcionar-lhe oportunidades numa outra empresa. Leia também o artigo:  Como utilizar o ‘networking’ para encontrar emprego

 

2. Envolva-se em outros projetos fora do seu trabalho

Se está a trabalhar há já algum tempo na empresa e ainda não conseguiu enquadrar-se, nem fomentar relações interpessoais a solução pode passar por envolver-se em projetos fora do âmbito do seu trabalho. Ao fazê-lo estará não só a enriquecer o seu currículo como também estará a afastar da sua cabeça os problemas e a insatisfação que sente no seu local de trabalho. Para não cair num pensamento negativista é importante criar uma distância entre aquilo que se passa no seu local de trabalho e o resto da sua vida. Por isso mesmo é aconselhável que invista em si, nos seus hobbies e que tenha outros focos de interesse para além da atividade profissional. Leia também o artigo:  Cinco estratégias para mudar de emprego

 

3. Tente perceber o que pode mudar na empresa

Se o seu problema não é com a empresa, mas com o seu posto de trabalho porque não explorar outras tarefas dentro da empresa? Tente fazer uma mudança interna do seu posto de trabalho para desta forma conseguir desempenhar uma tarefa que esteja mais adequada às suas competências e desejos. Se existir alguma vaga interna faça saber que gostaria de ficar com ela. Ao mesmo tempo pode investir na sua formação profissional. Leia também o artigo: Oito tarefas que as pessoas de sucesso fazem à segunda-feira

 

4. Não se desleixe nas suas tarefas

Uma das principais consequências de quem não gosta do seu trabalho é a falta de motivação e, por vezes, de empenho nas tarefas profissionais. Tente evitar este caminho. Por mais negativa que lhe pareça a sua situação profissional atual não arruíne todo o árduo trabalho que desempenhou na empresa. A forma como desempenha as suas atuais funções pode ser determinante para conseguir um emprego novo. Por isso mesmo, não se desleixe no desempenho das suas funções. Dentro do possível, mantenha uma atitude positiva: não se esqueça que esta é uma situação temporária. Leia também o artigo: 10 ideias para tornar o seu dia de trabalho mais produtivo

 

5. Tenha uma estratégia de saída

Se não pode simplesmente despedir-se é importante ter um plano de ação, uma estratégia de saída. Defina um prazo para abandonar o seu trabalho e comece já a preparar a procura de um novo emprego: atualize o seu currículo, estude as ofertas de emprego e apresente uma candidatura à empresa onde sempre desejou trabalhar. Ao mesmo tempo vá preparando um pé-de-meia com poupanças para a eventualidade de ter de sair da empresa antes mesmo de conseguir um trabalho novo. Leia também o artigo: Guia – Saiba tudo sobre os contratos de trabalho

 

Nota: Este artigo foi originalmente publicado no dia 20 de dezembro de 2013

 

Leia também os seguintes artigos:

– Como o voluntariado pode ajudá-lo a encontrar emprego

– Como a linguagem corporal pode ajudá-lo numa entrevista de emprego

– Pitch: Como brilhar numa entrevista em três minutos

– Como descodificar um anúncio de emprego?

– Como um “treinador” pode ajudá-lo a encontrar emprego

– Horário de trabalho flexível: Como pedir?

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB