Cinco produtos em que compensa comprar em segunda mão

A crise levou os portugueses a comprarem mais artigos em segunda-mão. Conheça alguns produtos em que compensa comprar usado.

compras-artigoEntrar num carro novinho “em folha” e sentir o cheiro característico dos carros novos. Comprar um DVD e ter o prazer de retirar a película aderente que envolve a caixa, abri-la e dar de caras com o disco reluzente. Comprar um livro novo e folhear as folhas imaculadas, ainda sem os cantos dobrados ou quaisquer marcas de leitura. Estes são alguns dos sentimentos positivos que a generalidade dos consumidores associa quando compra um produto novo. No entanto, os efeitos da crise levaram muitas pessoas a fazerem uma reavaliação dos seus consumos, a colocarem de parte as suas emoções e a focarem-se no seu lado pragmático.

Conheça alguns exemplos de artigos que poderá compensar financeiramente se optar por comprar em segunda mão.

 

1. Carros

Quase um milhão de portugueses tem a intenção de comprar um automóvel durante o próximo ano. Deste número, 70% dos inquiridos afirmam que vão optar por adquirir uma viatura usada e a gasóleo, segundo avança o estudo Target Group Index 2015, divulgado pela Marktest.

O fator poupança é um dos grandes motivos que justifica esta opção. No entanto, esta solução não está isenta de desvantagens. Ao comprar um carro usado, os consumidores não têm em seu poder o historial da viatura e desconhecem se, por exemplo, o automóvel tem ou não algum defeito de fabrico. Por isso, para garantir que faz uma boa compra é importante seguir alguns conselhos no momento em que avalia um automóvel usado. Antes de tudo, comece por fazer uma pesquisa pormenorizada na internet e em vários ‘stand’s’ pelo modelo que procura. Nos sites StandVirtual ou AutoSapo poderá ter uma ideia do atual valor de mercado do automóvel que tem em vista. Além disso, é importante que faça um ‘test drive’ ao carro antes de tomar uma decisão. O ACP recomenda os consumidores que antes de darem um sinal verifiquem se o automóvel tem todos os documentos em ordem, como o registo de propriedade ou o livrete. É ainda importante verificar se o nome do vendedor coincide com o nome que está nos documentos da viatura ou se existe uma declaração de venda assinada pelo proprietário. Leia também o artigo “Oito dicas para comprar um carro usado”. 

 

2. Casas

Duas casas, situadas na mesma localidade e com as mesmas áreas, podem ter preços muito diferentes caso um dos imóveis seja novo e o outro, um imóvel já usado. E as diferenças podem chegar aos vários milhares de euros. Ao optarem por adquirir um imóvel usado, muitos consumidores provavelmente conseguem comprar um imóvel com uma tipologia que não conseguiriam comprar se a casa fosse nova. E como a aquisição de uma casa é uma das compras mais caras que uma família faz ao longo da sua vida, há alguns aspetos que os consumidores deverão analisar antes de tomarem uma decisão. Pesquise os preços que estão a ser pedidos pelas casas que se situam na mesma localização. Tome ainda nota a alguns pormenores, como o isolamento acústico do imóvel; a existência de humidade nas divisões e o estado de conservação geral da casa.

Além de recorrer à ajuda das agências imobiliárias poderá também ponderar comprar um dos imóveis que pertencem às carteiras dos bancos – já que as instituições financeiras por norma apresentam condições de crédito à habitação mais vantajosas (Ex: 100% de financiamento) para este tipo de imóveis. Esteja também atento aos leilões de imóveis que as instituições financeiras, as Finanças, a Segurança Social e as câmaras municipais vão promovendo. Leia ainda o artigo “Cinco caminhos para encontrar uma casa num leilão de imóveis”. 

 

3. Alguns artigos para bebés

Todos os pais já passaram por esta situação: Acumularam roupas dos seus bebés nas gavetas que nem sequer chegaram a ser usadas devido ao rápido crescimento dos seus filhos. A roupa para criança é, precisamente, um dos itens que vários artigos de finanças pessoais recomendam que se comprem usados. Como as crianças crescem muito rapidamente e a roupa deixa de servir ao fim de alguns meses, uma opção para os pais pouparem dinheiro passa pela compra de roupa em segunda mão. Existem várias lojas especializadas neste segmento. É o caso, por exemplo, da Kid to Kid.  Leia ainda o artigo “Como fazer dinheiro com o seu guarda-roupa”

 

4. Livros, CD’s; DVD’s e jogos

Dois em cada três portugueses leram, pelo menos, um livro no espaço de 12 meses. Os dados foram divulgados em abril deste ano pela Marktest. E mesmo com o fator crise, não há razão para cortar nos hábitos de leitura. Se não pode comprar um livro novo pondere adquiri-lo usado. Para isso, poderá recorrer aos alfarrabistas e às feiras e mercados de rua. Se procurar livros escolares equacione os bancos de trocas de manuais escolares que existem um pouco por todo o país e que permitem a troca gratuita deste tipo de livros. Para mais informações consulte este site.

Outra alternativa passa por recorrer aos sites de compra e venda online como o OLX (que reúne dezenas de milhares de anúncios de venda de livros das mais diversas áreas) ou o Custo Justo. Estas plataformas podem também ser úteis para adquirir outros artigos de lazer – como DVD’s; CD’s e jogos de consolas.

 

5. Equipamentos para exercício físico

Segundo a revista de finanças pessoais Kiplinger e um artigo publicado no site Business Insider compensa comprar equipamentos desportivos (como as passadeiras ou elípticas) usados. A razão é simples: Muitos consumidores adquirem este tipo de equipamentos (que em alguns casos, representam um investimento avultado) num ímpeto de iniciarem um estilo de vida mais saudável. No entanto, muitos destes equipamentos acabam por ficar parados e ganhar pó. Como consequência, é possível encontrar à venda artigos deste segmento em bom estado de conservação e com um preço mais simpático. A Decathlon, por exemplo, organiza em algumas alturas do ano um serviço (o Trocathlon) que permite aos seus clientes venderem ou comprarem artigos de desporto em segunda mão, que foram avaliados por um vendedor especializado. Leia também o artigo “10 Formas low cost de fazer exercício físico sem gastar dinheiro”.

 

Leia também os seguintes artigos:

– Faça você mesmo: Conheça 10 sites essenciais

– Seis dicas para ter uma alimentação saudável low cost 

– Guia: 100 Dicas de poupança

– Conheça 10 despesas que o ajudam a poupar no IRS

– Como poupar nas compras de supermercado

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB