Como calcular os juros das suas poupanças?

Veja como pode calcular a rentabilidade das suas poupanças.

calcular os jurosPara muitos consumidores olhar para um folheto publicitário de um produto de poupança, como é o caso de um depósito, um seguro, ou um certificado, nem sempre é fácil ou imediato perceber quanto é que aquele produto financeiro vai render. As siglas, os impostos e os prazos estipulados deixam por vezes os clientes bancários sem uma noção exata de quanto é que o seu capital vai crescer, findo o período de investimento. Por isso mesmo, é essencial que todos saibam descodificar os termos básicos associados às taxas de juro e consigam transformar um juro, expresso numa percentagem, nos euros que vão entrar na sua carteira.

Saber calcular os juros das suas poupanças é, pois, fundamental para os consumidores conseguirem comparar a rentabilidade dos produtos de poupança e escolher as aplicações financeiras mais vantajosas.

Conheça então alguns conceitos associados à rentabilidade das suas poupanças e veja como se fazem as contas através de alguns exemplos práticos.

 

1. TANB: A sigla significa Taxa Anual Nominal Bruta. E corresponde à taxa de juro a que as suas poupanças estão sujeitas antes da retenção do imposto, por um ano de investimento. Esta retenção é feita automaticamente pelo banco, pelo que não tem de declarar estes rendimentos na sua declaração de IRS.

Exemplo: Imagine que vai investir 5.000 euros por um período de um ano num depósito que lhe oferece uma TANB de 4%. Para saber a quantos euros corresponde a esta taxa de juro basta fazer esta simples conta:

5.000*4%= 200 euros (juros brutos)

 

2. TANL: A sigla significa Taxa Anual Nominal Líquida. E corresponde à taxa de juro a que as suas poupanças são remuneradas por um período de investimento de 12 meses, após a dedução do imposto. Se quer saber exactamente quantos euros vai ter na sua conta após o fim do período de investimento numa aplicação financeira é esta a taxa que deve ter em conta para o cálculo das suas poupanças.

Exemplo: Pegando no exemplo anterior de um investimento de 5.000 euros por um período de um ano num depósito que lhe oferece uma TANB de 4%. Para saber qual é a TANL desta aplicação basta fazer a seguinte conta:

4%*(100-28)= 2,88% (TANL)

Trocado em euros, esta TANL significa o seguinte: 

5.000*2,88= 144 euros (juros líquidos) 

 

3. Taxa liberatória: Os rendimentos provenientes de depósitos, dos juros das obrigações, certificados de aforro e do tesouro, dos dividendos de acções, entre outros, estão sujeitos a uma taxa liberatória de 28%. Esta taxa é um imposto que é cobrado pelas instituições financeiras em nome do Estado. A cobrança é feita automaticamente findo o prazo do investimento, quando os rendimentos são postos à disposição dos aforradores. O que significa que no momento em que os investidores recebem os rendimentos, estes já vêm líquidos de imposto.

 

4. Prazo: O prazo é uma variável muito importante a ter em conta na determinação do rendimento das suas poupanças. Isto porque as taxas de juro são apresentadas sempre em termos anuais. Isto significa que se fizer uma aplicação num produto de poupança por um período de um ano, que lhe ofereça uma TANL de 3%, o aforrador sabe que vai receber a totalidade dos juros correspondentes a esta taxa.

Mas quando estão em causa períodos inferiores, os cálculos são feitos de outra maneira. Nestes casos, terá de ajustar a taxa de juro anunciada pelo período durante o qual vai aplicar o seu dinheiro.

Exemplo: Pegando no exemplo anterior de um investimento de 5.000 euros, num depósito que lhe oferece uma TANB de 4%, para um investimento a seis meses.

Para saber calcular quais são os juros brutos que irá receber por este investimento basta fazer a seguinte conta:

(5.000 euros* 4%)*(seis meses/12 meses)= 100 euros (juros brutos)

 

 5. Juros simples: Os exemplos referidos até agora são casos de aplicações financeiras que têm juros simples. Isto é: Juros que são obtidos pela aplicação de um determinado montante durante um determinado período. Como explica o portal financeiro, Todos Contam, da responsabilidade dos reguladores do sector financeiro: “Para calcular um juro simples basta multiplicar o capital pela taxa de juro em vigor nesse mesmo período”.

 

6. Juros compostos: Já o cálculo dos juros compostos pressupõe outros parâmetros. Há lugar a juros compostos quando uma aplicação financeira prevê a capitalização dos juros simples que vão vencendo. “No juro composto, o juro devido em cada período é adicionado ao capital inicial, constituindo um novo capital (…) Desta forma, num depósito com juro composto são obtidos juros sobre juros e um capital crescente ao longo do tempo”. Em termos práticos significa que numa aplicação feita em regime de juro composto, os valores dos juros recebidos no final do período são superiores face ao rendimento obtido numa aplicação com regime de juros simples.

Exemplo: Imagine exemplo de um depósito no valor de 5.000 euros, pelo prazo de um ano, com uma remuneração com juros simples, a uma TANB de 4%. No final do ano este seria o valor que o aforrador recebia em juros

(5000*4%)=200 euros (juros brutos)

Mas se se tratasse de um depósito que contemplasse uma capitalização semestral, este seria o valor que o investidor receberia em juros:

1º Semestre:

(5.000 euros* 4%)*(seis meses/12 meses)= 100 euros

2º Semestre

(5.100 euros* 4%)*(seis meses/12 meses)= 102 euros

Valor total ao final de um ano: 202 euros

Se em vez de a capitalização ser semestral, fosse mensal este seria o rendimento obtido:

5000 * [(1+0,04/12)^12-1] = 203,7 euros 

 

Leia também os seguintes artigos:

-Saiba como as emoções podem arruinar as suas poupanças

– Especial Mês da Poupança

-Quatro boas razões para poupar antes dos 20 anos

-Cinco más estratégias de poupança para as suas poupanças

 

Leia outros artigos do Especial Mês da Poupança 2014:

– Saiba como as emoções podem arruinar as poupanças

– Como renovar a sua casa sem gastar muito dinheiro

– Entrevista: “A poupança não deve ser uma medida de SOS”

– 10 Dicas para poupar… com as crianças

– Passatempo – Ganhe um vale de compras no valor de 50 euros

– Quatro bloggers, quatro conselhos de poupança

– Teste: Descubra se é uma pessoa poupada ou gastadora?

– Entrevista: “Não é possível o Estado continuar a tomar conta de nós”

 10 Dicas para poupar… em casa

– Seis programas de televisão que ajudam a poupar

– Infografia-Como poupar nas compras de supermercado

– Infografia-Como poupar nas compras de supermercado

– Entrevista: “A crise obrigou-nos a ter comportamentos mais inteligentes”

– 10 Dicas para poupar… com os transportes

– 10 Dicas para poupar… na empresa

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB