Contas-ordenado: Conheça as vantagens

Durante a crise, as contas-ordenado foram uma ferramenta usada pelas famílias para gerirem melhor os seus orçamentos. Saiba porquê neste artigo.

ordenadoartigoNo passado era frequente um funcionário receber o seu salário em dinheiro, e muitas vezes, à semana. Os tempos mudaram e do “dinheiro vivo” evoluiu-se para os cheques e para as transferências bancárias. Hoje em dia, a grande maioria das pessoas vê o seu salário ser diretamente creditado na sua conta bancária. Essa conta pode ser uma normal conta à ordem ou pode ser uma conta-ordenado. Esta última conta tem algumas vantagens que poderão tornar atrativa a sua subscrição. Saiba então como funcionam as contas-ordenado e conheça os cuidados a ter em conta quando faz a domiciliação do ordenado numa instituição financeira.

 

O que é?

A conta-ordenado é uma conta de depósito à ordem que pressupõe a domiciliação do ordenado do cliente. Ou seja: A entidade patronal do cliente passa a depositar/transferir o salário para esta conta. O que torna este produto diferente de uma simples conta à ordem tem a ver com o facto de disponibilizar uma linha de crédito (facilidade de descoberto). O ‘plafond’ atribuído tem como referência o salário do cliente.

 

Quais as vantagens?

-Facilidade de descoberto: Imagine que está no final do mês, o saldo da sua conta bancária está perto de ficar a zeros e surge uma despesa inesperada como, por exemplo, a necessidade de trocar a bateria do carro. Esta situação pode ser muito difícil de gerir em termos financeiros. Mas se tiver uma conta-ordenado poderá recorrer ao descoberto bancário desta conta para fazer face ao pagamento dessa despesa. Desta forma, este mecanismo pode ser encarado como uma reserva financeira que está ao dispor dos clientes para conseguirem ultrapassar necessidades pontuais de liquidez.

– Isenção de custos de manutenção de conta: A generalidade dos bancos isenta os clientes que domiciliam os seus salários do pagamento das comissões de gestão e manutenção de conta. Com esta isenção facilmente conseguirá poupar 60 euros por ano.

– Redução ou isenção de outros custos: Além da isenção das despesas de manutenção de conta, algumas instituições financeiras também preveem outras isenções ou reduções de comissões. Por exemplo: há bancos que oferecem também as anuidades dos cartões de débito ou mesmo a emissão de um determinado número de cheques. Além disso, a domiciliação de ordenado pode ajudar o cliente a obter uma redução do ‘spread’ na contratação de um crédito à habitação.

– Brindes e ofertas: Alguns bancos oferecem brindes, como máquinas de café, telemóveis ou câmaras fotográficas, aos clientes que domiciliem novos ordenados nas suas instituições, como forma de cativar e fidelizar os clientes.

 

Que cuidados deve ter em conta?

– Leia bem a ficha informação normalizada da conta-ordenado para saber exatamente quais os custos que incorre e quais os benefícios a que estará sujeito na abertura de uma conta com estas características.

– Apesar da facilidade de descoberto ser uma ferramenta muito útil, ela tem custos que não podem ser negligenciados. Ao recorrer ao descoberto bancário não se esqueça que o banco lhe cobra uma taxa de juro. “Tenha em atenção que atualização do ‘plafond’ é o mesmo que gastar antecipadamente um montante correspondente a ordenados que ainda estão por receber”, explica o portal de educação financeira da APB, Boas Práticas, Boas Contas. Ou seja, ao utilizar o ‘plafond’ da conta-ordenado está em dívida para com o banco, tendo por isso de pagar juros e, em alguns casos, comissões pelo dinheiro utilizado. Para evitar o descontrolo, regularize a dívida o mais breve possível e na totalidade para minimizar estes encargos.

– Não caia na tentação de escolher uma conta-ordenado apenas pelo facto desta oferecer-lhe um brinde atrativo. Esse não deve ser o principal critério de comparação e de seleção da conta-ordenado que melhor se adequa ao seu caso. Deverá antes olhar para as taxas de juro cobradas e pelas vantagens e isenções que cada banco oferece.

 

Qual é a diferença entre facilidade de descoberto e ultrapassagem de crédito?

Segundo a definição disponível do site do Banco de Portugal, a facilidade de descoberto é “um contrato expresso, pelo qual a instituição de crédito permite a um cliente dispor de fundos que excedem o saldo da respetiva conta de depósito à ordem, até um limite definido no respetivo contrato”.

A facilidade de descoberto distingue-se do conceito de ultrapassagem de crédito, porque neste último caso, trata-se de um levantamento a descoberto “aceite tacitamente pela instituição de crédito, sem que tenha sido previamente contratado, e que permite ao cliente dispor de fundos que excedem o saldo da sua conta”, refere o regulador.

 

Leia também os seguintes artigos relacionados com o mesmo tema:

– Como organizar o seu orçamento quando está sem dinheiro

– Tudo o que deve saber sobre cheques

– Cinco tarefas financeiras mais esquecidas

– Como lidar com o stress financeiro provocado pela crise

– Quais os direitos dos fiadores?

PUB

Conheça as vantagens associadas à domiciliação de ordenado na Caixa

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB