Como tornar o seu filho num milionário

Quer que o seu filho tenha uma vida financeira desafogada? Então siga as nossas dicas.

filhosartigoQue seja feliz e faça felizes aqueles que o rodeiam. Que tenha bom caráter. E saúde. Que seja trabalhador e bem-sucedido. Que não tenha medo, nem nunca lhe falte a confiança necessária para concretizar os seus sonhos. E que jamais lhe falte aquilo que é essencial. Estes são os principais desejos que a maioria dos pais anseia para o futuro dos seus filhos.

Entre estas aspirações gerais há ainda uma outra preocupação recorrente nas mentes dos progenitores: Como garantir que um filho não vai passar por dificuldades económicas ao longo da vida? A menos que seja dono de uma fortuna considerável, dificilmente uma família comum poderá ter garantias de que os seus descendentes não irão enfrentar condições financeiras adversas ao longo do seu percurso.

Apesar disso, existem algumas estratégias que poderão ser adotadas e pequenos gestos do dia-a-dia que poderão ser implementados com o objetivo de dotar os seus filhos das “ferramentas” necessárias para se tornar um adulto bem-sucedido financeiramente e, até quem sabe, chegar a milionário. Conheça algumas delas. Veja também o simulador: Calculadora – Descubra quanto tem de poupar para ser milionário?

 

1. Poupe um euro por dia

Para conseguir tornar o seu filho num milionário pode ir jogando no Euromilhões e esperar que a sorte o bafeje. Não se esqueça, no entanto, de que esta estratégia pode sair-lhe cara. Por exemplo, se fizer uma aposta (de dois euros) em cada edição do Euromilhões desde o momento do nascimento do seu filho até ele fazer 18 anos, no total terá gasto mais de 3.800 euros em apostas neste jogo da sorte – sem a certeza de que um dia será um dos felizes contemplados.

Por isso, se prefere adotar uma estratégia com maiores probabilidades de ser bem-sucedida, comece por criar uma poupança para o seu filho. E quanto mais cedo começar, melhor. Por exemplo, se poupar um euro por dia desde o momento em que o seu filho nasce (e incutir-lhe este gesto de poupança à medida do seu crescimento), quando ele chegar aos 65 anos não será milionário, mas terá um pé-de-meia interessante.

Feitas as contas se poupar um euro por dia durante 65 anos e aplicá-lo num produto financeiro que lhe renda uma taxa de juro média de 3% ao ano, chegará ao final do período de investimento com uma poupança de 73 mil euros. Se quiser arriscar um pouco mais e aplicar os euros acumulados num produto financeiro mais arriscado (como as ações), que tenha potencial para gerar uma rentabilidade média anual de 5%, ao final dos 65 anos de investimento o seu filho terá uma poupança total de 175 mil euros.

Isto é possível, porque apesar de poupar pequenos montantes o seu dinheiro vai crescendo por via do efeito de capitalização. Ou seja: À medida que os juros vão vencendo, eles vão sendo acumulados no capital aplicado e sobre eles vão ser gerados novos juros. O exemplo comprova que com poucas poupanças, mas devidamente alocadas, é possível conseguir multiplicar o dinheiro em carteira. Leia também o artigo:  Como chegar a milionário seguindo as dicas dos gurus

 

2. Encoraje a criatividade do seu filho e apoie-o no desenvolvimento dos seus talentos

“Pensa que os pais de Bill Gates alguma vez lhe disseram para parar de sonhar com aquela ideia disparatada o computador, sobre a qual ele falava constantemente à mesa de jantar? Provavelmente, não o fizeram”. É com este exemplo que os especialistas da  Investopedia, um dos sites de informação financeira mais conhecidos nos EUA, mostram a importância que o encorajamento (pelos pais) da criatividade das crianças é crucial para o surgimento de pessoas com um elevado espírito empreendedor. “A maioria dos empresários bem-sucedidos foram crianças muito criativas, dotadas de pensamentos próprios e muitos deles precisaram do apoio e do incentivo dos seus pais nos momentos-chave”, prossegue a Investopedia.

Por isso mesmo, não despreze ou minimize uma ideia aparentemente louca que o seu filho possa ter: quem sabe se essa ideia não poderá tornar o seu filho num milionário? Da mesma forma, esteja atento aos talentos do seu filho, estimule-o no desenvolvimento das suas capacidades relacionadas com o seu talento e descubra quais são as atividades que o fazem mais feliz. Leia também o artigo: 10 Dicas financeiras de pais para filhos

 

3. Ensine-lhe o valor do dinheiro desde cedo

A história está repleta de exemplos de famílias milionárias que acabaram por perder as suas fortunas. Umas porque viram os seus ativos arrastados pelos efeitos de uma crise económica, outras devido à aposta em negócios que acabaram por se revelar ruinosos, outras ainda por má gestão das fortunas pessoais. Estes exemplos comprovam que para se ser milionário não basta ter uma conta bancária com muitos zeros à direita: é também essencial saber gerir e preservar a fortuna. E para isso é necessário ter, antes de tudo, uma noção do valor do dinheiro. E este é um conceito que deve ser incutido desde muito cedo em todas as crianças.

Desta forma, se anseia que o seu filho um dia se torne milionário é fundamental que ele tenha desde cedo a noção de que o “dinheiro não cai do céu” e que todos os objetos de desejo (sejam eles uma bola ou uma carteira de cromos) têm um custo. É importante que as crianças percebam que para termos dinheiro para compramos aquilo que queremos, precisamos de trabalhar primeiro, o que significa que muitas vezes não podemos adquirir aquilo que vemos na montra de uma loja de forma imediata. Mas não só: Como o dinheiro que temos não dá para comprar tudo o que desejamos, temos de fazer escolhas. Por isso mesmo, é imperativo que as crianças aprendam a diferença entre bens essenciais e bens secundários.

À medida que o seu filho vai crescendo pode ir dando-lhe alguma autonomia financeira (como a atribuição de uma mesada) para que ele aprenda a fazer as suas escolhas financeiras e a gerir o seu orçamento pessoal. Um artigo da revista Forbes recomenda, por exemplo, que a partir de uma certa idade os filhos tenham uma mesada maior não só para satisfazer as necessidades pessoais do jovem, mas também para que ele fique responsável pelo pagamento de despesas maiores (como a sua roupa, ou os transportes). Ponto fundamental: Se o seu filho cometer erros na gestão da mesada (ex: esbanjar o valor da mesada logo na primeira semana), não lhe dê cobertura, oferecendo mais dinheiro. Só assim ele aprenderá a fazer as escolhas mais corretas no futuro. Leia também o artigo:   Quatro erros que os pais cometem na educação financeira dos seus filhos 

 

4. Mostre-lhe como funcionam os produtos financeiros

Há algumas décadas, o leque de produtos de poupança, investimento e de crédito disponíveis nos balcões dos bancos era relativamente simples e reduzido. Hoje o cenário é bem diferente. A crescente sofisticação dos mercados financeiros tem conduzido ao aparecimento de novas aplicações financeiras, cada vez mais complexas. E esta é uma tendência que deverá continuar no futuro. Tendo em conta esta realidade, é fundamental que o seu filho saiba comparar os diferentes produtos financeiros para conseguir fazer a escolha mais adequada ao seu perfil. Vá familiarizando-o com os produtos mais fáceis (depósitos a prazo) e avance lentamente para outros mais complexos (cartões de crédito e débito, ações, etc.).

Este ponto é crucial para o sucesso da vida financeira do seu descendente. Porque se ele não conhecer o modo de funcionamento dos produtos financeiros dificilmente ele conseguirá ter ‘know how’ suficiente para investir nas aplicações que têm potencial para melhor rentabilizar o seu dinheiro. E esse desconhecimento, no longo prazo, pode ser altamente penalizador para o património do seu filho.

Pegando no exemplo que já foi dado anteriormente de uma poupança de um euro por dia (desde o momento da criança nasce até ela completar os 65 anos): se poupar esta moeda diariamente, mas optar por não investi-lo e deixá-lo parado numa conta à ordem, quando chegar aos 65 anos, o pé-de-meia do seu filho terá apenas 23.700 euros. Já se aplicasse esta moeda diária num produto financeiro que proporcionasse um rendimento anual médio de 4%, o valor global da poupança aos 65 anos seria muito maior: 111.900 euros.

 

Nota: Este artigo foi publicado originalmente no dia 14 de novembro de 2014

 

Leia também os seguintes artigos:

– Seis dicas de poupança de milionários frugais 

– Serviços excêntricos para milionários 

– Como fazer dinheiro com o seu guarda-roupa

– Saiba se nasceu para ser milionário

 

PUB

Conheça a oferta da Caixa

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB