Conheça os vários tipos de depósitos do mercado

O mercado bancário disponibiliza inúmeras ofertas de poupança, adequadas aos diferentes perfis de investidor. Conheça-as.

depósitosLonge vão os tempos em que o dinheiro era guardado debaixo do colchão. Hoje em dia sabe-se que essa estratégia pode arruinar as suas finanças a longo prazo, uma vez que, mesmo que um ladrão não lhe roube as poupanças, a inflação fará esse serviço por ele. Por este motivo, é importante que o dinheiro esteja investido num produto que pague, pelo menos, uma taxa de juro acima da inflação.

Recorde-se que o mercado bancário disponibiliza inúmeras ofertas de poupança, adequadas aos mais diferentes perfis de investidor. Conheça neste artigo os vários tipos de depósitos disponíveis no mercado português.

 

1. Depósitos à ordem

Os depósitos à ordem permitem a movimentação dos fundos depositados em qualquer altura. Ao abrir uma conta de depósito à ordem poderá aceder a outros produtos bancários como cartões de débito para movimentar a conta, cheques, transferências e débitos. Os depósitos à ordem, por regra, não pagam juros.

 

2. Depósitos a prazo simples

São depósitos a prazo remunerados com uma taxa de juro, que pode ser fixa ou variável. Aqui enquadram-se a generalidade dos depósitos a prazo comercializados pelos bancos. Se o depósito tiver taxa fixa, no momento da contratação já sabe qual é a taxa de juro. Já se o depósito for de taxa variável, a remuneração está dependente da evolução de um indexante, frequentemente, a Euribor. A maioria dos depósitos a prazo permite a mobilização do capital aplicado antes do prazo definido, mediante uma penalização sobre os juros corridos.

 

3. Depósitos indexados

Além dos depósitos a prazo simples existem outros depósitos que são considerados produtos financeiros complexos. É o caso dos depósitos indexados. A remuneração destes produtos está dependente da evolução de variáveis económicas ou financeiras como o preço de uma ação, de um cabaz de ações ou índices acionistas. Se contratualizar um depósito desta natureza, analise atentamente a forma de remuneração, se há remuneração mínima garantida, se pode movimentar os fundos antes do final do depósito e quais as penalizações previstas pela mobilização antecipada.

 

4. Depósitos duais

Os depósitos duais também são produtos financeiros complexos. Estes produtos correspondem à comercialização conjunta de dois ou mais depósitos bancários, sendo um deles, por norma, é um depósito indexado. Antes de investir, analise bem as componentes destes produtos: prazo, remuneração e possibilidade de movimentação antes do fim de tempo.

 

5. Depósitos com pré-aviso

Este tipo de investimento não tem data de vencimento definida. O vencimento do depósito a pré-aviso, a data de pagamento e a periodicidade dos juros são acordados na altura da subscrição. Nestes depósitos, o dinheiro só pode ser movimento depois de o titular da conta comunicar por escrito essa intenção ao banco.

 

6. Depósitos a prazo não mobilizáveis antecipadamente

Nestes depósitos a disponibilidade do capital aplicado apenas será exigível no final do prazo pelo qual foram constituídos. Logo, não podem ser levantados antecipadamente.

 

7. Contas de poupança

As contas de poupança são depósitos a prazo com características particulares: Os consumidores podem reforçar quando quiserem e os fundos ali aplicados podem ser mobilizáveis em qualquer altura. De referir ainda que estes produtos pagam juros relativamente mais baixos face aos depósitos a prazo simples.

 

8. Conta poupança-habitação

São contas poupança com o objetivo de constituir de poupança com vista, designadamente, à aquisição, construção ou beneficiação de habitação própria permanente. Estas contas fazem parte dos depósitos em regime especial. Apesar de não pagarem uma taxa de juro muito elevada, permite ir recheando a conta, para além de “oferecer” uma redução dos encargos com atos notariais e do registo predial no ato de aquisição da casa.

 

9. Conta poupança-condomínio

São consideradas como depósitos em regime especial e são exclusivamente desenhadas para serem um fundo de reserva para obras de conservação das partes comuns do edifício. Estas contas só podem ser constituídas pelos administradores de prédios em regime de propriedade horizontal, mediante prévia autorização da assembleia de condóminos. Também só podem mexer nesta conta os administradores do condomínio e os condóminos autorizados.

 

10. Conta poupança-reformado

São contas de depósito em regime especial destinadas a reformados, cujo valor mensal da reforma não exceda três vezes o salário mínimo nacional. Cada reformado só pode ser primeiro titular de uma conta poupança-reformado. A vantagem destes produtos é que têm um regime especial de isenção de imposto sobre os juros.

 

Leia também os seguintes artigos relacionados com o mesmo tema:

– Aprenda a descodificar o talão do multibanco

– Contas-ordenado: Conheça as vantagens  

– Tudo o que deve saber sobre cheques

– Penhoras de salários: Como funcionam?

 

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB