Cuidados a ter com os depósitos em moeda estrangeira

Conheça as particularidades dos depósitos em moeda estrangeira e saiba o que deve ter em conta antes de aplicar as suas poupanças nestes produtos.

moeda estrangeira-arEm julho de 2014 os portugueses tinham investido cerca de 2,4 mil milhões de euros em depósitos em moeda estrangeira, de acordo com dados do boletim estatístico do Banco de Portugal. Este valor representa 1,85% do volume total de depósitos das famílias. Apesar de entre 2010 e 2014 não existirem grandes oscilações no montante investido em produtos desta natureza, a verdade é que estes depósitos tornaram-se mais falados no pico da crise da dívida soberana. O desejo de muitos investidores em diversificarem os seus investimentos e diminuírem a sua exposição aos ativos da Zona Euro levou ao aumento da procura de informação sobre os depósitos de moeda estrangeira.

Há também investidores que procuram neste tipo de depósitos ver o seu capital crescer por duas vias: a taxa de juro oferecida e a valorização cambial da divisa em que se fez o depósito. Em Portugal a oferta é vasta e é possível fazer aplicações em diferentes tipos de moedas, desde dólares americanos até ao franco suíço.

No entanto, é importante ressalvar que estes depósitos têm características especiais e, como tal, comportam maiores riscos face aos depósitos tradicionais. Se nos depósitos tradicionais a forma de pagamento dos juros é o que mais conta na hora de subscrever um produto, nos depósitos de moeda estrangeira além da taxa de juro terá ainda de ter em conta a evolução cambial entre o euro e a moeda em que é realizada a aplicação.

De uma forma simples: Se o euro depreciar face à divisa em que investiu, ganhará dinheiro. Se o inverso acontecer e o euro valorizar, irá perder. Isto significa que, num cenário negativo, o investidor poderá mesmo perder parte do capital investido no final, quando converter o investimento em euros. “Estes depósitos têm risco cambial, pois a taxa de câmbio pode variar entre a data de constituição do depósito e a data de vencimento. O montante depositado está garantido na moeda estrangeira, mas se esta depreciar face ao euro, o cliente pode registar uma perda caso pretenda converter esse montante em euros”, explica o Banco de Portugal, no Relatório de Acompanhamento dos Mercados Bancários de Retalho.

Por outro lado, os depósitos em moeda estrangeira podem constituir a solução adequada para quem aufere rendimentos em moeda estrangeira, de modo a preservar o capital, protegendo-se de eventuais desvalorizações cambiais.

Conheça cinco conselhos para investir em depósitos em moeda estrangeira.

 

1. Encare esta aplicação como um investimento e não como poupança:

Apesar de serem designados por depósitos a prazo e estarem protegidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos – que em caso de colapso da instituição financeira garante o reembolso até ao limite de 100 mil euros por cada depositante – os depósitos em moeda estrangeira devem ser feitos numa lógica de investimento e não de poupança, devido às oscilações cambiais a que o capital está sujeito.

 

2. Tenha uma conta à ordem na moeda em que quer investir:

Para constituir um depósito a prazo em moeda estrangeira é obrigatório ter uma conta à ordem associada ao depósito na mesma moeda.

 

3. Estude antes de investir:

O investimento cambial pode dar bons resultados, mas exige muito conhecimento e uma análise cuidada de todos os fatores macro-económicos e mesmo políticos que podem afetar o comportamento da divisa onde está a investir. Para saber quais são as perspetivas de evolução das várias moedas poderá, por exemplo, acompanhar esta área do site da Proteste Investe.

 

4. Compare taxas de juro:

Além da evolução cambial deve ainda analisar atentamente as taxas de juro praticadas nestes depósitos a prazo para perceber se são (ou não) mais vantajosas e atrativas face aos juros oferecidos pelos depósitos “tradicionais”.

 

5. Esteja atento às comissões:

É muito importante que se informe também sobre as comissões que incidem nestes produtos, como por exemplo, a comissão de compra de notas estrangeiras, o imposto de selo ou as taxas de câmbio, uma vez que estas podem anular qualquer ganho que possa ter.

 

Leia também os artigos relacionados com o mesmo tema:

-Seis perguntas e respostas sobre os depósitos a prazo 

-Conheça os vários tipos de depósitos do mercado

-Calculadora: Quanto rendem os seus depósitos?

-Como calcular os juros das suas poupanças

-Sete lições sobre dinheiro que todos devem saber 

PUB

Conheça a oferta da Caixa

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB