Cuidados a ter com os cartões de cliente

Organize os cartões por forma a saber que desconto tem em cada um e em qual desses cartões poderá obter mais vantagens em determinada compra.

cartões
Saiba como utilizar e que cuidados deve ter com os cartões de cliente

“Tem cartão de fidelização?” Quantas vezes ouviu esta pergunta quando está na caixa de uma loja a pagar uma compra. Se calhar até o tem na carteira e se não tiver, talvez pondere aderir devido às vantagens associadas. Alguns cartões dão desconto direto em produtos, outros oferecem um desconto de “x” por cento quando tiver acumulado determinado valor em compras no cartão, outros oferecem descontos “privados” em determinados produtos mediante a apresentação de mensagem. Há cartões que dão desconto em gasolina e muitos oferecem presentes no dia de aniversário.

São os chamados “cartões de cliente” (“de fidelização”, “de desconto” ou “de pontos”) e 5,497 milhões de portugueses já se renderam a estes retângulos de plástico em 2014, de acordo com o estudo TGI (Target Group Index) da Marktest. Estes dados mostram ainda que os cartões de fidelização são mais populares entre as mulheres, assim como entre os indivíduos dos 35 aos 54 anos e os que pertencem às classes sociais mais elevadas.

A maior parte das lojas, supermercados e até farmácias disponibilizam estes cartões como forma de fidelizar os clientes. Em troca de alguns dados, como o nome, morada, correio eletrónico e número de telefone para enviar informações sobre novas coleções, produtos ou promoções, oferecem descontos, quer seja em produtos desse estabelecimento ou em artigos de lojas do mesmo grupo.

Apesar de gerar alguma polémica, devido ao controlo que passa a ser exercido sobre os seus dados pessoais e os produtos que adquire, os cartões de cliente podem ser altamente vantajosos se forem bem utilizados na procura dos produtos mais baratos. O mais importante é conhecer as suas características e a forma como operam.

Alguns destes retângulos de plástico dão desconto imediato, para outros é necessário acumular pontos para dar direito a determinado benefício e ainda há as lojas que enviam para o correio eletrónico dos clientes um catálogo com produtos que estão mais baratos para os portadores do cartão. A oferta é tanta, que quando chega a hora de comprar algum produto, muitas vezes pode ter algumas dificuldades em saber qual deles deve utilizar ou em que loja a compra pode ser mais vantajosa. Neste caso, a regra é uma: Deverá ter os cartões organizados, por forma a saber que desconto tem em cada um deles e quando quiser comprar algo, veja em qual desses cartões poderá obter mais vantagens.

Aqui ficam então alguns conselhos para tirar o melhor partido dos seus cartões de cliente.

 

1. Conheça os seus cartões

Na maior parte dos casos, os cartões de cliente oferecem vantagens quando atinge determinado valor em compras, quer seja por sistema de acumulação de pontos ou de dinheiro em cartão, em compras acima de determinado valor. Por exemplo, ao fazer 100 euros de compras pode ter direito a 30% de desconto em compras acima dos 30 euros. No entanto, há cartões que dão desconto em todas as compras mas, para isso, poderá ter de pagar uma anuidade.

Há ainda os cartões de pontos. Nestes casos é importante saber qual a forma de conversão de pontos para dinheiro, ou seja, “1 euro equivale a quantos pontos?”, e a partir de quantos pontos é que é possível obter um desconto. É aconselhável que mantenha o rasto dos pontos, para não se esquecer de quantos tem, como acontece com a maior parte das pessoas.

 

2. Tem desconto?

Todas as pessoas gostam de um bom desconto, mas deverá ter cuidado com os programas de desconto, por forma a não ficar “refém” das campanhas e consumir mais do que necessita. Por isso analise sempre se existem realmente vantagens. Não vale a pena pagar mais por um produto só porque acumula pontos ou dinheiro em cartão para ter um desconto, que pode ser irrisório, mais tarde. Ou seja, cuidado para não aumentar o consumo só para acumular pontos, mas se a compra for feita de qualquer maneira procure fazê-lo na loja que dá mais vantagens desde que o preço seja o mesmo ou mais barato do que na concorrência.

 

3. Cuidado com as falsas promoções

Para não ser apanhado na armadilha das falsas promoções é importante que conheça os preços médios dos artigos, pois por vezes, as lojas aumentam os preços alguns dias antes da promoção de 50% sobre determinado produto. Desta forma, o valor final do produto com desconto acaba por ficar igual ao original. Esta prática só é percebida pelos consumidores que já conheciam o valor do produto antes da liquidação, por isso não deverá permitir que o empolgamento pela promoção lhe tolde a capacidade de raciocínio.

 

4. Tire partido dos descontos

Se quer tirar partido dos cartões de cliente é necessário estar atento às vantagens que estes lhe trazem. Para isso deverá saber como é que o informam dos descontos, porque as lojas operam de formas diferentes: algumas enviam a informação em folheto para o correio “tradicional”, outras partilham no correio eletrónico ou através de mensagem para o telemóvel, enquanto outras disponibilizam sempre a informação no seu site.

Organização e alguma paciência são fundamentais. Para obter o preço ideal, analise as promoções, veja quais os produtos que tem em falta e anote as datas em que pode usar os descontos. Por exemplo, se daqui a uma semana uma cadeia de supermercado oferecer um desconto de 50% em produtos de limpeza a quem tiver o cartão de cliente, talvez possa compensar esperar por esse dia para encher a despensa com esses produtos. No que diz respeito às compras de supermercado, é importante que seja flexível e não se importar de comprar marcas que não sejam a sua de eleição, se tiver vantagem de preço.

 

5. Não deixe passar de validade

Saber como tirar partido do cartão é fundamental mas não se pode esquecer que muitos descontos dos cartões de cliente têm um prazo de validade. Ou seja, o saldo acumulado no cartão de cliente tem dias definidos para gastar esse ‘plafond’. Assim, se tiver, por exemplo, o prazo de três meses para gastar 10 euros acumulados num cartão de cliente de uma loja de roupa, deverá anotar essa data limite para não a deixar passar. Opte por adquirir uma peça que lhe faça falta, em vez de comprar algo só porque tem desconto.

 

6. Cuidado com os cartões de cliente com crédito

Há no mercado cartões de cliente que têm crédito associado para ser gasto na loja. Nestes casos há alguns pontos aos quais deve prestar especial atenção, como por exemplo, o custo da anuidade. Veja quanto terá de pagar por ano pelo cartão (alguns isentam o cliente deste pagamento caso o utilize pelo menos uma vez ao longo do ano) e analise se as vantagens associadas compensam esse valor.

Deverá ainda conhecer bem a forma de pagamento associada ao cartão e a taxa de juro que incorre, caso use a linha de crédito. Passa ainda a ter de controlar mais os gastos, uma vez que se houver um ‘plafond’ de crédito associado, pode existir o risco de sobre endividamento.

 

7. Não compre mais do que necessita só porque tem desconto

Um dos erros mais cometidos em épocas de saldos é comprar coisas que não necessita, nem fazem falta ou que nem sequer gosta muito, só porque estão com bom preço. Nestas alturas a impulsividade pode levar a melhor sobre a racionalidade. A mesma regra aplica-se aos cartões de cliente: não vale a pena comprar algo que não necessita só para acumular pontos ou dinheiro em cartão para depois ter direito a um desconto que pode irrisório e não compensar o dinheiro que despendeu a mais.

 

8. Está a ceder os seus dados pessoais

É um dos aspetos mais controversos destes retângulos de plástico. É importante que tenha consciência que ao ceder os seus dados particulares a estas empresas, como o nome, correio eletrónico ou morada, estas passarão a ter acesso a informação preciosa sobre o seu perfil de consumo. Vão passar a saber quantos litros de leito a família consome por mês, se é muito suscetível às promoções, ou seja, o que é que move o seu ímpeto consumista. Para as lojas esta informação é valiosa, porque desta forma é possível determinar o que os clientes gostam, compram, onde compram e o que os motiva a comprar.

 

Leia também:

Como organizar o orçamento quando está sem dinheiro

10 Dicas para fazer um casamento com quatro mil euros

Como conseguir viagens com desconto?

Cinco dicas para fazer boas compras nos Saldos

Não deixe o “bicho” da inflação comer as suas poupanças

Calculadora: Quanto tem de poupar para ser milionário?

 

 

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB