Dica 19: Como poupar nas telecomunicações durante as férias

Desligar-se do trabalho não é sinónimo de desligar-se dos amigos. Saiba como controlar as telecomunicações quando está nos dias de descanso.

telecomunicações

Telecomunicações: como poupar durante as férias

Ir de férias é sinónimo de “desligar-se” da rotina diária. Para que possa aproveitar os dias de relaxamento ao máximo, deve evitar as telecomunicações, aceder ao correio eletrónico profissional, desligar o telemóvel do trabalho e não estar na internet à procura de informações relacionadas com a sua atividade profissional. Porém, esse “desligamento” não deve estender-se às suas relações pessoais mais próximas, nomeadamente família e o círculo mais chegado de amigos.

Enviar um postal, uma carta escrita ou dirigir-se a uma cabine telefónica para ligar para casa da mãe são meios que já não se utilizam nos dias correntes. Com os telemóveis e ‘smartphones’, ligar, enviar sms, enviar correio eletrónico ou atualizar a página da rede social, é a forma mais típica de comunicar, mas pode comprometer as suas finanças pessoais.

Se as férias forem dentro de portas nacionais não haverá grandes surpresas desde que conheça bem o limite do seu tarifário, tanto de chamadas, mensagens ou acessos à internet. Porém, se a viagem for para o estrangeiro deverá ter atenção ao custo das chamadas e acesso à internet. Por isso, antes de viajar, confirme sempre com o operador qual o tarifário aplicável e como será faturado o serviço.

Estes custos variam consoante o seu destino seja para um país pertencente à União Europeia ou fora deste espaço. Se ficar pelo velho continente, poderá controlar os custos relacionados com ‘roaming’ ao aderir à Eurotarifa, que todos os operadores estão obrigados a disponibilizar aos clientes. A adesão é gratuita e deve ser feita no prazo de um dia útil após a receção do pedido. Ao aderir, irá pagar no máximo 19 cêntimos por chamadas feitas, cinco cêntimos pelas recebidas, 20 cêntimos por MB de navegação na internet e seis cêntimos por SMS. A Eurotarifa apenas estipula preços máximos que as operadoras podem cobrar, porém estas são livres de colocar preços mais baixos. Caso não adira a este tarifário ou outro que a operadora disponibilize, o seu telemóvel irá entrar em ‘roaming’ quando chegar à fronteira com Espanha, com preços mais elevados. Fora da União Europeia, os tarifários variam consoante o país e o operador. Consulte sempre o seu operador para saber quais os preços.

Há ainda outro aspeto a considerar. Por vezes, os ‘smartphones’ ligam a internet involuntariamente, por isso, se quiser reduzir os custos com telecomunicações pondere limitar o acesso à internet enquanto se encontra em ‘roaming’. Para tal deverá contactar o seu operador para ativar o controlo de consumo acumulado, um serviço gratuito que garante que a despesa acumulada não ultrapassa o limite financeiro específico proposto pelo operador, a menos que o cliente autorize.

É importante lembrar que foi aprovado um pacote legislativo para o mercado de telecomunicações europeu, que inclui uma regra para garantir a chamada “neutralidade da Internet” e que determina o fim das tarifas de ‘roaming’ nos países da União Europeia antes de 2016.

Resumindo, antes de viajar não se esqueça de confirmar: se o seu contrato permite o serviço de ‘roaming’ no país de destino, quais os preços do serviço de ‘roaming’ nas chamadas de voz, SMS, MMS e acesso à internet e qual a rede que deve escolher no país que vai visitar, de forma a diminuir custos.

 

Número: 40%

Quase metade dos portugueses (40%) que viajam para a União Europeia optam por desligar o telemóvel, uma percentagem bem acima da média europeia (28%), de acordo com o Eurobarómetro. Segundo esse inquérito, apenas 6% dos portugueses fazem chamadas do telemóvel quando estão no estrangeiro, 7% manda SMS e 5% acedem à internet para consultar e publicar nas redes sociais.

 

Leia também:

Seis dicas para poupar nas comunicações

O que deve saber sobre períodos de fidelização?

Como baixar os custos com telecomunicações

Qual é o tarifário mais barato?

 

Leia aqui todas as dicas do Especial Mês de Férias:

– Dica 1: Como funciona o cartão europeu de seguro de doença?

– Dica 2: O que saber se vai viajar numa companhia ‘low cost’

– Dica 3: Como conseguir viagens com desconto?

– Dica 4: Cinco sugestões de férias por menos de 250 euros

– Dica 5: Quanto custa acampar?

– Dica 6: Vale a pena fazer um seguro de viagem?

– Dica 7: Quais as diferenças entre um ‘hostel’ e um hotel?

Dica 8: Qual o alojamento ideal para a sua família?

Dica 9: Como manter a sua casa segura durante as férias?

Dica 10: Como fazer férias em casa sem ficar deprimido?

– Dica 11: Como não derrapar o seu orçamento em férias

Dica 12: Arrendamento de casa para férias: O que deve saber?

– Dica 13: O que saber antes de alugar um automóvel?

– Dica 14: Vale a pena optar por um regime “tudo incluído”?

– Dica 15: Como fazer pagamentos no estrangeiro?

– Dica 16: Troca de casa: Como funciona?

– Dica 17: Como garantir que não paga excesso de bagagem?

– Dica 18: Como aplicar o subsídio de férias?

– Dica 19: Como poupar nas telecomunicações durante as férias

– Dica 20: O que fazer se tiver problemas nas férias?

– Dica 21: ‘Free tours’: como conhecer uma cidade gratuitamente

– Dica 22: Como ocupar as férias dos seus filhos?

– Dica 23: Como poupar dinheiro com a compra de bilhetes de avião?

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB