Dica 2: O que saber se vai viajar numa companhia ‘low cost’

Não basta olhar para o preço do bilhete. É preciso analisar os custos associados à bagagem, às refeições e a todos os serviços adicionais.

aviaoartigo

O que saber se vai viajar numa companhia ‘low cost’

Imagine que vai passar um fim de semana a Londres. Qual dos seguintes preços preferia pagar pelo voo (ida e volta): 112 euros ou 203 euros? A maioria das pessoas não hesitaria em escolher a primeira opção. Este exemplo mostra a diferença de preços entre viajar através de uma companhia aérea ‘low cost’ e uma transportadora tradicional.

Os números ajudam a explicar o facto de as companhias ‘low cost’ já terem conquistado a preferência de muitos consumidores. No entanto, o preço do bilhete não deverá ser a única variável a ter em conta na altura de comprar a viagem. Convém analisar bem as condições praticadas pelas companhias aéreas de baixo custo. Por exemplo, muitas vezes estas transportadoras aéreas viajam para os aeroportos secundários, que estão mais longe do centro das cidades. Isto significa que deverá contabilizar não só o tempo de viagem despendido como também os gastos com o táxi ou outro transporte do aeroporto até ao hotel pretendido.

Não se esqueça também que muitos serviços (como as refeições e bebidas a bordo) que estão incluídos nos voos das companhias tradicionais terão de ser pagos à parte nos voos ‘low cost’. O mesmo se aplica à bagagem. A generalidade das transportadoras ‘low cost’ permite aos passageiros levar de forma gratuita bagagem de mão (até a um determinado peso). No entanto, se a sua bagagem tiver de ir no porão terá de pagar uma taxa extra que, em alguns casos pode superar os 50 euros. E se quiser escolher o seu lugar no avião também pagará um encargo extra (que pode oscilar entre os 1,5 euros e os 19 euros).

 

Número: 216 milhões

Este foi o número de passageiros transportados no ano passado pelas companhias aéreas europeias ‘low cost’. Os números representam um crescimento de 6,7% face ao ano anterior, segundo as estatísticas divulgadas pela Associação Europeia de Linhas Aéreas Low Cost (ELFAA)

 

Leia aqui outros artigos relacionados com o mesmo tema:

– Companhias aéreas ‘low cost’

– Oito dicas para encontrar bilhetes de avião baratos

– Compras online: Conheça os seus direitos

– Como escolher um seguro de viagens

 

Leia aqui todas as dicas do Especial Mês de Férias:

– Dica 1: Como funciona o cartão europeu de seguro de doença?

– Dica 2: O que saber se vai viajar numa companhia ‘low cost’

– Dica 3: Como conseguir viagens com desconto?

– Dica 4: Cinco sugestões de férias por menos de 250 euros

– Dica 5: Quanto custa acampar?

– Dica 6: Vale a pena fazer um seguro de viagem?

– Dica 7: Quais as diferenças entre um ‘hostel’ e um hotel?

Dica 8: Qual o alojamento ideal para a sua família?

Dica 9: Como manter a sua casa segura durante as férias?

Dica 10: Como fazer férias em casa sem ficar deprimido?

– Dica 11: Como não derrapar o seu orçamento em férias

Dica 12: Arrendamento de casa para férias: O que deve saber?

– Dica 13: O que saber antes de alugar um automóvel?

– Dica 14: Vale a pena optar por um regime “tudo incluído”?

– Dica 15: Como fazer pagamentos no estrangeiro?

– Dica 16: Troca de casa: Como funciona?

– Dica 17: Como garantir que não paga excesso de bagagem?

– Dica 18: Como aplicar o subsídio de férias?

– Dica 19: Como poupar nas telecomunicações durante as férias

– Dica 20: O que fazer se tiver problemas nas férias?

– Dica 21: ‘Free tours’: Como conhecer uma cidade gratuitamente

– Dica 22: Como ocupar as férias dos seus filhos?

– Dica 23: Como poupar dinheiro com a compra de bilhetes de avião?

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB