OPINIÃO

Susana AlbuquerqueCoordenadora de Educação Financeira da ASFAC

Opinião: Dicas para um crédito seguro

Conheça os conselhos que, segundo a opinião de Susana Albuquerque da ASFAC , devem ser tidos em conta antes da contratação de um crédito pessoal.

Se um dia quiser pedir um crédito pessoal, seja para pagar uma viagem há muito esperada, comprar um bem indispensável ou remodelar a casa, precisa de saber o seguinte:

1. Comece por analisar o seu orçamento mensal completo, não aquele que está na sua cabeça (pois já sabemos que a nossa memória financeira nunca consegue recordar ao mesmo tempo o total dos nossos gastos), mas o tal orçamento completo escrito. Para tal pode apontar num papel ou no telemóvel todos os gastos fixos (contas) e sazonais (seguros, consultas, presentes), sem esquecer as compras do dia-a-dia (cafés, jornais). No final terá uma fotografia clara da sua situação financeira, o que permitirá perceber, por um lado, se há despesas que podem ser reduzidas e, por outro, se tem margem para pagar a prestação.

2. No caso de o seu saldo permitir essa folga, e considerando o valor de empréstimo pretendido, será necessário calcular a taxa de esforço – ou seja o peso que a prestação do crédito terá no seu orçamento mensal. E o total das suas prestações mensais não deverá ultrapassar 30, no máximo 40% do seu rendimento mensal.

3. Segue-se então a análise da oferta do mercado. Atendendo às suas necessidades de crédito (montante total e prazo pretendido), é recomendável que consulte pelo menos três propostas de instituições diferentes – se não puder recorrer aos balcões das agências, poderá utilizar os simuladores disponibilizados nos sites dessas entidades. Para a comparação entre as ofertas, deverá considerar a TAEG (Taxa Anual Efetiva Global), que reflete o custo total do crédito, incluindo juros, comissões, impostos e seguros.

4. Na altura de escolher o crédito pessoal, será fundamental esclarecer todas as dúvidas que resultem da leitura do contrato de crédito, mesmo das letras mais pequenas e dos termos mais técnicos que resultam da lei, para que não haja surpresas no futuro. Obter o máximo de informação, em particular sobre as condições de recurso ao crédito, amortizações, incumprimento de pagamento, alterações no prazo e nas taxas de crédito. Nunca assine nada que não leu ou que não entendeu!

5. Por fim, após a assinatura do contrato, deverá guardar uma cópia, de forma a poder consultá-lo sempre que necessitar.

Acauteladas que sejam a existência de capacidade financeira para poder pagar a prestação do crédito de forma suave e tranquila e a obtenção das melhores condições de financiamento, o crédito, enquanto forma de antecipar o consumo e disciplinar a poupança para esse fim, pode revelar-se uma escolha acertada para a aquisição de um bem ou serviço que trará segurança, felicidade e bem-estar.

 

Cinco mandamentos para quem recorre ao crédito

  • Investigue e compare diferentes propostas
  • Faça perguntas sobre as condições do crédito
  • Leia todo o contrato- Sempre
  • Não assine nada que não entende totalmente
  • Peça sempre uma cópia do contrato de crédito

 

Susana Albuquerque, Coordenadora de Educação Financeira da ASFAC

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB