A sua empresa está a aproveitar os artigos do Linkedin?

Saiba como utilizar as publicações internas do Linkedin para aumentar as oportunidades de negócio da sua empresa.

Artigo do Linkedin: Use-os para divulgar a sua empresaDe que forma é que o seu negócio está presente no Linkedin, a maior rede social para profissionais? Através de uma breve menção nas páginas pessoais dos seus colaboradores? Com uma página própria, a que raramente acede? Se escolheu alguma das opções anteriores, não está a aproveitar todas as funcionalidades desta rede social. E, sobretudo, está a esquecer-se de uma ferramenta que pode fazer a diferença na gestão do seu negócio, a publicação de artigos do Linkedin. Usadas de forma adequada, as publicações podem ser um reforço importante para o marketing digital do seu negócio. Siga estas orientações e tire o máximo proveito dos artigos do Linkedin.

 

O que são, ao certo, os artigos do Linkedin?

Trata-se de uma funcionalidade gratuita – o Publisher – que permite produzir conteúdo próprio (artigos com texto, fotografia e vídeos) e que, através da sugestão de artigos recomendados pelo Linkedin aos vários utilizadores, tem potencial para chegar a uma vasta rede de profissionais – muitos dos quais integrados no seu público-alvo.

Publique através dos seus colaboradores

A ferramenta de publicação de artigos do Linkedin não está disponível diretamente nas páginas de empresa (as ‘Company Pages’). Existe para os perfis pessoais e por isso, é importante envolver os seus colaboradores, e mobilizá-los para consigo dinamizarem este espaço. Por exemplo, escolha um responsável pela estratégia de conteúdos no Linkedin e, dependendo da dimensão da empresa, alguns autores selecionados (2 a 5 colaboradores), entre membros da direção e especialistas da área de marketing. Em cada conteúdo, tem de haver o cuidado de identificar claramente a empresa.

 

O que publicar?

Os utilizadores do Linkedin valorizam publicações que contenham conteúdo relevante para a sua vida profissional. Por isso, concentre-se mais em criar uma história para as suas marca e no envolvimento com quem vai ler – e não em objetivos comerciais diretos, como vender o produto “X” ou obter cliques para o website da sua empresa.

Pense nas publicações do Linkedin como uma espécie de blog da sua empresa. Publique regularmente, mostre o que sabe fazer de melhor e o que diferencia a sua empresa da concorrência. Faça com que se crie empatia com a sua marca, aliada à reputação de especialista com provas dadas. Faça-o de forma inspiradora, conte uma história, não venda um produto. Mas atenção: uma vez que o Publisher é uma ferramenta interna do Linkedin, complete a sua história com links externos para o seu website ou blog sempre que relevante.

Tome nota

Para cada publicação, pense no conteúdo que, simultaneamente, consiga ser útil para criar um impacto positivo na sua marca e que seja relevante para quem lê. O seu negócio é uma padaria? Porque não artigos sobre os diferentes tipos de pão ou dicas para escolher o melhor pão para cada refeição? Tem uma empresa de recrutamento? Publique, por exemplo, estratégias para redação de CV ou uma lista de atitudes a ter numa entrevista de emprego.

 

Como publicar?

Aceder ao botão “Escreva um artigo”, que surge no topo da página inicial (assim que termina o ‘login’ do perfil pessoal). A partir daí, tem acesso a um novo rascunho de publicação. Escolha uma imagem apelativa para o cabeçalho do seu artigo, um título,  depois disso, escreva o seu texto. Acrescente imagens, vídeos, links, ‘slides’ ou citações para enriquecer a publicação – aceda a qualquer uma destas opções através do ícone “+” que surge no início de cada parágrafo. Clique no botão azul “Publicar” e o conteúdo ficará visível para os seus contactos. Depois disso, poderá aceder às estatísticas dos artigos do Linkedin publicados (visualizações e alcance).

 

O que não publicar?

Conteúdos rapidamente identificados como publicidade, sem informação útil para os utilizadores, são rapidamente rejeitados como ‘spam’. Sobretudo, se forem posts esporádicos, sem continuidade e com teor exclusivamente comercial. Deixe de fora dos artigos do Linkedin o conteúdo pessoal (mais apropriado no Facebook), as citações (ou frases-chavão) e as atualizações automáticas.

 

Quem vê as minhas publicações?

Os seus contactos veem as publicações no ‘feed’ de notícias da homepage. Além disso, cada vez que um utilizador interage com o seu artigo (comentário ou ‘gosto’), a publicação pode ser apresentada no ‘feed’ dos contactos dele (chegando à sua rede de 2º grau e assim sucessivamente). Além disso, quer através da homepage de cada utilizador, quer através da ‘app’ Pulse (curadoria de conteúdos publicados no Linkedin), os seus artigos podem ser sugeridos a outros profissionais, com base numa recomendação personalizada.

Atenção ao Trending Storylines

Há uma nova funcionalidade do Linkedin à qual deve estar atento. Chama-se Trending Storylines e permite agregar conteúdo em torno de ‘assuntos quentes’ do momento, identificados pela plataforma. Para cada um destes tópicos, a ferramenta agrega publicações internas e externas, relacionadas com o tema, acessíveis no ‘feed’ e num separador próprio. O negócio da sua empresa está relacionado com uma ‘trending storyline’? Aproveite os holofotes e publique sobre isso, com a devida etiqueta (‘hashtag’) – poderá conseguir passar pelo crivo dos algoritmos do Linkedin e o seu artigo chegar a uma vasta rede de leitores.

 

Leia também:

Seis ferramentas para recrutar talentos no Linkedin

Como se faz uma página de Facebook para empresas?

Seis erros comuns que as empresas cometem no marketing

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB
PUB
PUB