Como fazer um plano de negócios

O plano de negócios não é mais do que um documento que sistematiza e apresenta o seu projeto e que dá corpo à sua estratégia.

Se está a pensar lançar um negócio, criar uma empresa e colocar em prática uma ideia fabulosa que acredita fazer a diferença num mercado concorrencial, então saiba que grande parte do sucesso pode estar no plano de negócios. O plano de negócios é um documento onde sistematiza o seu projeto e a sua estratégia.

Este documento será uma ferramenta orientadora onde assegura informação crítica na hora de juntar potenciais investidores ou parceiros – fundamentais para  que o seu negócio venha a revelar-se no mercado.

 

Como deve ser estruturado?

Não há formas mágicas para estruturar um plano de negócios. Segundo o IAPMEI- Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, uma possível estrutura engloba os seguintes tópicos:

– Apresentação do criador e do projeto
– Contextualização do mercado e da envolvente externa
– Definição de metas e objetivos
– Estratégia comercial
– Estrutura da empresa
– Elaboração de previsões financeiras
– Controlo e gestão do negócio
– Investimento necessário
– Anexar documentos e outra informação

 

Que informações deve conter?

Todos os planos de negócios devem começar com um sumário executivo, mas confira o que deverá estar também na sua “arma” de planeamento.

 

Sumário Executivo

Fundamental incluir este cartão-de-visita para potenciais investidores. Aponte para um sumário executivo que não vá além das duas páginas e que seja simples de ler, sem erros de ortografia. Como uma sinopse ou um trailer podem vender bem um filme, assim também o seu sumário executivo (munido dos números fortes e mais esclarecedores) pode ser fundamental para conseguir fazer avançar o seu negócio.

Não se esqueça de ali incluir o nome do negócio; identificação do produto ou serviço, assim como do sector, da missão, dos mercados potenciais; dos seus pontos fortes e fracos; das qualidades relevantes dos empreendedores para o projeto; dos motivos que tornam a ideia inovadora; da estrutura necessária (recursos humanos e investimento) e daquilo que poderá ser o atrativo para investidores, incluindo margem de tempo até começar a gerar resultados líquidos positivos.

 

Apresentação do empreendedor e do projeto

Apresente-se e saiba vender a sua imagem. Para os investidores e financiadores é muito relevante a experiência que já teve em projetos passados, a sua formação e educação, o seu histórico pessoal, bem como o da equipa que pretende incluir no projeto. A missão da empresa ajudará também a passar a sua imagem corporativa, além dos seus nomes e formato legal. Junte a isto uma descrição bem elaborada sobre o negócio a criar, apontando as vantagens, o que o torna inovador e potencialmente vencedor.

 

Contextualização do mercado e da envolvente externa

Conhecer o mercado que se vai enfrentar é um ponto-chave a incluir no plano. Como se caracteriza o mercado, em que estádio de desenvolvimento está, qual a concorrência a enfrentar e a tipologia de clientes são variáveis importantes nesta equação de negócio. Existe muita informação publicada sobre os vários mercados e se quiser ir mais longe poderá procurar ajuda nas empresas de análise de mercado.

 

Definição de metas e objetivos

Ter metas e objetivos bem traçados e definidos é fundamental para o sucesso de um plano de negócios. Nesta área deverão estar assinalados os principais objetivos a cumprir segundo a natureza do plano.

 

Estratégia comercial

Definidas as necessidades dos clientes no mercado onde se posicionará o produto é tempo de elaborar uma estratégia comercial. O Marketing deverá passar pela identificação de clientes, segmentação de clientes alvo, a definição dos meios a utilizar para potenciar as vendas, a criação de suportes à estratégia de imagem e comunicação bem como pela formação da equipa de vendas.

 

Elaboração de previsões financeiras

Nas suas previsões financeiras a incluir no plano de negócios devem constar projeções de break even (momento a partir do qual um projeto deixa de perder dinheiro e começa a gerar receitas para recuperar o capital investido), projeções de vendas, projeções de cash flow (fluxo de caixa), o que vai exigir o tratamento financeira de alguns documentos de previsão. Além disso, devem constar documentos que justificam os custos com pessoal necessário ao investimento, bem como a projeção de financiamento e outros serviços externos indispensáveis.

 

Controlo e gestão do negócio

Um bom caminho para cativar investidores é mostrar rigor e segurança nos seus números e estratégia. É fundamental mostrar que mantém um apertado controlo em áreas como as vendas, os dados financeiros e a produção. Este controlo será mais eficaz se recorrer a ferramentas de software que permitam a sistematização da informação nestas áreas.

 

Investimento necessário

Nesta área não deverá nunca deixar de incluir o investimento que acarreta o seu negócio, assim como o tipo de investimentos e a forma de os cumprir, através da planificação das amortizações. Os prazos são também determinantes para perceber o período do investimento ligado ao negócio.

 

Anexar documentos e outra informação

Passadas as primeiras áreas fundamentais do plano, convém adicionar mais informação que dê força às ideias de negócio. Inclua os currículos dos promotores da ideia, todas as especificações técnicas sobre produtos, cópias de patentes, cópia do contrato de franchise no caso de existir um plano de negócios para franchising, documentos financeiros que suportem toda a previsão de custos e de vendas, cópias de contratos com instalações ou outros, bem como acordos com potenciais parceiros no projeto. Além destes, há muitos mais documentos que podem sustentar o seu plano e que estão ligados à sua ideia em concreto e à sua forma de apresentação da informação.

 

O que o faz melhor?

Claro que para dar corpo ao guião perfeito que pretende aqui criar, deve poder contar com uma boa equipa, mas o sucesso do empreendedor depende de outros implícitos no plano  que podem fazer a diferença:

–  Simplicidade de apresentação e aplicação

– Objetividade, metas e organização, que passam por objetivos a concretizar, as pessoas responsáveis, orçamentos detalhados. Se o seu plano não é realista e não se fundamenta em alicerces concretizáveis está a cometer erros no seu documento estratégico.
– Bom planeamento financeiro, sustentado em bons documentos de previsão e realista.

 

Erros a evitar

Se está à procura do melhor plano de negócios para a sua ideia ou para a sua empresa já em funcionamento comece por evitar alguns erros. Comece por não fazer previsões financeiras fantasiosas, isto é, criar grandes projeções a mais de um ano. Ninguém sabe ao certo como será o momento de entrada no mercado, quanto mais traçar metas a prazos mais longos.

Além do prazo, não torne o seu plano num testamento. Aponte para um limite a rondar as 50 páginas e não se esqueça de um bom sumário no princípio do plano que o permita explicar em poucas palavras. Além disso, não seja preguiçoso esquecendo a originalidade e a criatividade.

 

Como posso usá-lo e ter sucesso?

O plano de negócios é uma ferramenta essencial no sucesso da sua nova empresa ou no seu novo negócio/produto. A razão é simples: com toda a informação esquematizada estará mais preparado para os riscos e tempos difíceis no arranque do seu negócio. Além disso, ter um plano é crucial para obter financiamento para as suas ideias inovadoras, mas não se esgota nessa missão porque planear e prever deverá fazer parte do léxico de qualquer empreendedor.

Para finalizar este capítulo, um bom plano de negócios não é uma peça de arte para ficar em exposição. Ele é um guia que deve seguir na sua atividade materializada a sua ideia em empresa ou negócio novo. Seja rigoroso na hora de seguir as orientações que traçou.

Procure ainda não ser demasiado otimista. Ainda que esteja a vender a sua criação empresarial, mantenha os seus pés bem assentes na terra e não tome como garantidas algumas fases do crescimento da empresa. Tudo o que lhe parece óbvio convém estar bem fundamentado no seu plano de negócio, em anexo, por exemplo. Não acredite que o seu produto vai ser vendido porque lhe parece um produto genial (justifique e racionalize a sua “certeza”), não acredite que os concorrentes vão responder como você responderia à entrada de uma nova empresa ou produto no mercado – tenha em conta todas as possibilidades de resposta. No fundo, prepare o seu plano para todos os riscos fundamentando bem a sua análise.

 

Tipos de planos de negócios

Ter um plano é crucial para obter financiamento porque planear e prever deverá fazer parte do léxico de qualquer empreendedor ou investidor que deve ter bem noção dos riscos envolvidos.

Para finalizar este capítulo, um bom plano de negócios não é uma peça de arte para ficar em exposição. Ele é um guia que deve seguir na sua atividade. Seja rigoroso na hora de seguir as orientações que traçou.

– Plano de negócios inicial (startup plan) – É o plano de negócio por excelência, que pode conduzir ao lançamento da empresa. Preocupe-se fundamentalmente com explicar bem o seu novo produto ou serviço, criar um suporte de sucesso à ideia, agrupando a melhor equipa para o conseguir. 

– Plano de Crescimento – o plano pode ser interno (não precisar de financiamento) ou externo (necessário financiamento) e pressupõe que exista um novo produto ou negócio ligado à empresa já existente. Deverá preocupar-se pelo menos em demonstrar a qualidade financeira do novo negócio e será muito relevante a experiência de gestão da empresa.

 

Dimensões vencedoras

Aponte para um plano de negócios que numa leitura rápida responda às principais questões de quem o lê. Tempo é dinheiro e 15 minutos podem ser suficientes para perceber se este documento contém uma ideia de sucesso. Além disso, saiba que algumas entidades que promovem concursos limitam as páginas do seu plano a um número que pode rondar as 30, mas muitos planos vão até às 50 páginas. Não cometa erros fixando o seu plano nestas métricas de página porque ter 30 páginas densamente preenchidas e de difícil compreensão pode ser pior do que ter 50 páginas de simples leitura e bem apresentadas.

Mantenha uma larga percentagem de páginas de texto e outras com elementos gráficos que suportem o seu plano.

 

Faça um teste ao seu plano

Se tem o seu plano concluído, está na hora de fazer o teste para saber se tem o que precisa para ter êxito. Será que o plano dá respostas sobre o mentor da ideia, os seus fundadores, a sua educação e formação, a sua experiência profissional, a sua reputação no mercado empresarial ou feitos de empreendedorismo? Faça perguntas que procuram boas respostas no seu plano.

– O plano é realista nos objetivos e formas de sucesso?

– O plano contempla os riscos potenciais?

– Quem são os empreendedores e que reputação mantêm ao nível pessoal e profissional?

– Qual é a equipa que vai levar avante o projeto?

– Têm a melhor equipa para o tipo de projeto?

– O que move os empreendedores?

– Como podem responder aos fatores de risco do negócio?

– Estão os empreendedores preparados para tomar decisões difíceis?