Fundo de maneio: Perceba a importância para a sua empresa

Saiba como se calcula e como se gere um fundo de maneio saudável para a sua empresa.

Publicado em: Empresas Gestor Tesouraria

fundo de maneio artigoImagine que a sua empresa estava a contar que um cliente importante fizesse um pagamento de elevado montante neste mês, mas que por força de um imprevisto, esse pagamento fica adiado para o futuro. Se a sua tesouraria não estiver bem planificada, se não tiver um fundo de maneio construído à medida das suas necessidades, falhas de pagamento como estas podem pôr em causa a sua viabilidade por comprometerem o cumprimento das suas obrigações legais e contratuais.

É para acautelar situações como esta que existe o fundo de maneio. Trata-se de uma regra fundamental para garantir o equilíbrio financeiro da empresa e a sua viabilidade a curto prazo. Saiba então como se gere um fundo de maneio.

 

Qual é o montante que deve constar no fundo de maneio?

O fundo de maneio é uma almofada financeira que todas as empresas devem assegurar para que, a curto prazo, tenham capacidade de gerar liquidez (dinheiro) e consigam enfrentar, sem dificuldades, possíveis atrasos nos recebimentos (da parte dos seus clientes) e hipotéticas antecipações (não previstas de pagamentos, aos fornecedores). No fundo, este mecanismo funciona para as empresas da mesma forma que uma rede funciona para os trapezistas: salvaguarda e protege.

Como cada empresa tem as suas próprias necessidades, o montante que deve constituir o fundo de maneio varia muito. Aliás, dentro da mesma empresa, o valor do fundo de maneio necessário para satisfazer as necessidades financeiras da companhia pode oscilar bastante ao longo do ano. É o que acontece, por exemplo, com as empresas que têm negócios mais sazonais.

Em termos financeiros, o fundo de maneio é apurado pela diferença entre o valor do ativo circulante e o valor do passivo circulante de uma empresa. Trocado por outras palavras significa que é calculado pela diferença entre os montantes que a empresa espera converter em dinheiro no curto prazo (um ano) e os compromissos que a empresa tem de pagar nesse mesmo período – e aqui estão incluídas as dívidas a fornecedores, impostos, empréstimos bancários, encargos sociais e os salários.

Desta forma, variáveis como os prazos médios de recebimento, os prazos de pagamento, os ‘stocks’ de matérias-primas e de produtos acabados podem influenciar o cálculo do fundo de maneio. Sendo que para limitar o investimento que as empresas têm de fazer no fundo maneio, os gestores podem adotar várias medidas, como a minimização das quantidades e valores em ‘stock’; a diminuição dos prazos e montantes em recebimento; e a maximização dos prazos e montantes de pagamento.

Veja em baixo dois exemplos (um positivo e outro negativo) de empresas com diferentes formas de gerir o seu fundo de maneio.

 

Exemplo 1: O caso de uma empresa equilibrada financeiramente

 

Ativo Circulante

Existências* – 33.000€

Clientes – 35.000€

Contas bancárias e caixa – 10.000€

 

Passivo Circulante

Empréstimos a curto prazo – 20.000€

Fornecedores – 15.000€

Estado – Impostos e encargos sociais – 12.000€

Salários a pagar – 10.000€

 

Fundo de Maneio = Ativo Circulante – Passivo Circulante

 

Fundo de Maneio = 78.000€ – 57.000€ = 21.000€

 

Ou seja, após pagamentos e recebimento no curto prazo a empresa ficará com um excedente de 21.000 euros na sua tesouraria.

Exemplo 2: Empresa desequilibrada financeiramente a curto prazo:

 

Ativo Circulante

Existências* – 15.000€

Clientes – 18.000€

Contas bancárias e caixa – 5.000€

 

Passivo Circulante

Empréstimos a curto prazo – 12.000€

Fornecedores – 10.000€

Estado – Impostos e encargos sociais – 17.000€

Salários a pagar – 12.000€

 

Fundo de Maneio = Ativo Circulante – Passivo Circulante

 

Fundo de Maneio = 38.000€ – 51.000€ = – 13.000€

 

Neste caso, a empresa, assumindo que encaixará todos os valores, revela um défice de 13.000 euros, antevendo-se dificuldades em cumprir os seus compromissos de curto prazo se não forem tomadas medidas corretivas.

 

Leia também os seguintes artigos:

– Como elaborar um mapa de tesouraria?

– Conciliação bancária: Como fazer passo a passo

– Como financiar a sua empresa com o recurso ao papel comercial?

– Como gerir a sua empresa através de um smartphone?

– Como travar os pagamentos em atraso na sua empresa

4 respostas a “Fundo de maneio: Perceba a importância para a sua empresa”

  1. João Xavier

    Obrigado pela explicação, uma aula boa pra mim, bem entender

    Responder
  2. jaqueline

    Bem explicado. Obrigada!

    Responder
  3. Alvaro Andre Bondo

    Adorei a aprender mais uma vez convosco.

    Responder
  4. Margarida Bimbi

    gostei da explicaçaõ obrigada

    Responder

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB
PUB
PUB