Microcrédito: Conheça três negócios até 15 mil euros

Conheça o exemplo de três micro empresários acompanhados pela Associação Nacional de Direito ao Crédito, através da modalidade microcrédito.

microcrédito artigoHá cada vez mais pessoas a recorrer ao microcrédito para lançar o seu próprio negócio. De acordo com os dados mais recentes da Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC), em 2014 registou-se um aumento de 46% nos projetos aprovados e com concessão de crédito, de 115 projetos em 2013 para 168 em 2014, num total de mais de 1,6 milhões investidos em micronegócios. Entre 1999 e 2014 foram creditados 11,3 milhões de euros em 1.939 projetos. O montante máximo que pode ser solicitado através do Microcrédito ANDC é de 15.000 euros.

Os números da ANDC mostram também uma clara alteração no perfil dos microempresários, com o número de empresários candidatos a crescer face ao número de empresárias (57% de homens para 43% de mulheres). O nível de escolaridade mais representado continua a ser o 12º ano (38%), mas a cada ano aumentam os candidatos com habilitações superiores (mestrado e doutoramento). No que diz respeito às idades dos microempresários, o grupo etário entre os 31 e os 40 anos domina com 38% do total de projetos aprovados, seguem-se os jovens com menos de 30 anos (28%) e a faixa entre os 41 e os 50 anos (25%).

Conheça o exemplo de três dos empresários acompanhados pela Associação Nacional de Direito ao Crédito ao longo de 16 anos de atividade, através da modalidade microcrédito, com valores de 5.000, 9.500 e 12.500 euros, respetivamente.

 

Eco Car Clean

Tipo: Negócio digital

Microcrédito: 5.000 euros

Site: www.ecocarclean.net

Pedro Estalagem sempre sonhou em ter o seu próprio negócio e o desemprego foi “um gatilho” para avançar com a ideia. Começa por confessar que não sabia muito sobre a limpeza ecológica de veículos ao domicílio, para clientes particulares e empresariais, e que primeiro terá tentado enveredar pelo ‘franchising’. Não tendo resultado, avançou por conta própria e sintetiza como aconteceu: “Não tinha qualquer experiência nesta atividade, mas achei interessante esta nova abordagem da limpeza automóvel de uma forma mais ecológica”, conta.

Sem local fixo para exercer a sua atividade, o negócio é para já digital e o empresário desloca-se à morada dos clientes. Depois de ver vários pedidos de crédito rejeitados, Pedro Estalagem aceitou o conselho de recorrer ao microcrédito e conseguiu um valor de 5.000 euros com a candidatura do seu projeto. O negócio avançou em maio de 2013 e a maior dificuldade, conta, tem sido na fidelização dos clientes.

 

Menino Árvore

Tipo: Negócio digital, e-commerce

Microcrédito: 9.500 euros

Site: www.menino-arvore.pt

“Da necessidade surge a oportunidade”. Este é o mote de Rita Coutinho que, depois de 10 anos no mercado de trabalho, em diversos sectores e com diferentes cargos, ficou desempregada e resolveu dedicar-se a uma paixão antiga, a comercialização de produtos alternativos aos convencionais (com enfoque na Sustentabilidade e no Comércio Justo), para bebés e crianças. Fundou então a Menino Árvore, uma loja ‘online’ que está disponível desde novembro de 2012. A opção por um negócio digital partiu da necessidade de chegar a um maior número de potenciais clientes e pelos menores custos associados.

Desde o início, Rita Coutinho já investiu mais de 10.000 euros no negócio, sendo que o montante solicitado através do microcrédito foi de 9.500 euros. Aos potenciais microempresários recomenda que “é importante ter uma boa rede de contactos e apostar na divulgação do negócio”. E conclui: “Não há como não trabalhar com paixão. Não é fácil mas é gratificante.”

 

Oásis

Tipo: Restaurante, entrega de comida ao domicílio

Microcrédito: 12.500 euros

Site: www.facebook.com/OasisVegetariano

Andriy Shved e Vitaly Kurtysh são ucranianos e conheceram-se em Portugal. Depressa começaram a debater a ideia de começar a trabalhar por conta própria. Uma das primeiras ideias de negócio que surgiu foi precisamente abrir um restaurante vegetariano, tendo em conta o aumento da procura por este estilo de alimentação mais saudável. A ideia tomou forma e em 2011 fundaram a sua empresa com recurso a um microcrédito no valor de 12.500 euros.

Apesar de ter sido “muito difícil para arrancar”, hoje já ganharam nome e a confiança dos clientes. O Oásis é um restaurante vegetariano em Lisboa que, além da loja física, também entrega refeições ao domicílio. Aos candidatos a microempresários, os dois fundadores recomendam “analisar bem todos pormenores antes de começar, recorrer às novas tecnologias e contratar bons profissionais”.

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

  • FERRAMENTAS

    PUB
    PUB
    PUB