Porto Melhor Destino Europeu: Negócios que mudam a cidade

Em ano de Porto Melhor Destino Europeu, descubra mais sobre três negócios que juntam inovação e tradição nesta zona do país.

Porto Melhor Destino Europeu Não há duas sem três. Este ano, o Porto volta a ser distinguido como Melhor Destino Europeu pela European Best Destination, depois de ter conquistado o título em 2012 e 2014.

A cidade Invicta está na moda como destino turístico, conquistando atenções internacionais. Além do charme, da história, da cultura e da beleza cinematográfica deste “Porto Sentido” – citando a canção de Rui Veloso – cada vez mais projetos levam a inovação aos setores tradicionais da cidade.

Alojamento, comércio local e, claro está, o vinho do Porto são três exemplos de áreas de negócio que se destacam na oferta turística da região. Para cada um destes vértices, o Saldo Positivo foi à procura de empresas que marcam a diferença. Gallery Hostel, Workshops Pop Up e Espaço Porto Cruz contam como contribuem, diariamente, para reinventar conceitos no Melhor Destino Europeu de 2017.

 

Gallery: O hostel que alberga uma galeria de arte

Alojamento de turistas e de arte, o Gallery Hostel marca a diferença na oferta hoteleira da Invicta. O nome é apropriado. A unidade está em plena rua Miguel Bombarda, dentro do chamado ‘quarteirão das Artes’ e, além das 41 camas disponíveis, alberga também a sua própria galeria de arte. “Temos seis exposições anuais, cuja inauguração coincide com as ‘Inaugurações Simultâneas da rua Miguel Bombarda’”, explica o proprietário José João Castanho, lembrando a iniciativa do ‘quarteirão das Artes’. A prioridade, aqui, vai para apoiar e divulgar novos artistas.

A aposta na vertente cultural traz ao setor do alojamento uma alma portuense muito própria. Além das exposições, todo o espaço relembra o património da cidade. Há escadas em granito e painéis azuis de azulejo na parede. O próprio edifício é um marco histórico, recuperando uma construção de 1857 para este novo uso. “Tentámos ao máximo preservar o que era original e restituir à função inicial o que tinha sido adulterado por anteriores ocupantes”, acrescenta o proprietário.

Hostel GalleryEsta forma distintiva de pensar o alojamento tem dado frutos. O Gallery já foi considerado um dos 10 melhores ‘hostels’ de luxo pelo jornal britânico The Guardian e visitado por turistas de 110 países. José João Castanho sublinha que 90% dos hóspedes são estrangeiros, interessados “na cultura dos locais que visitam”. A reinvenção do conceito de alojamento, de forma a abarcar a arte e património do Porto, encontrou eco neste perfil de visitante. Os resultados carimbam com sucesso a iniciativa de Gonçalo Castanho, filho do proprietário, que desenvolveu o projeto do Gallery na sequência de uma especialização em Empreendedorismo, pela Escola de Hotelaria de Lausanne, França.

E quanto à restante oferta de alojamento na cidade? José João Castanho elogia a “evolução neste setor”, que considera “um dos principais responsáveis pela popularidade internacional do Porto, com os seus profissionais em contante busca da excelência”. Mesmo assim, “há um caminho a percorrer [na qualidade]”, que “obriga a um esforço constante de melhoria”. O galardão de Porto Melhor Destino Europeu de 2017 pode funcionar como uma alavanca ao setor do alojamento na região. Mais não seja pelo número de visitantes.

“Tudo aponta para um aumento da procura”, afirma o proprietário do Gallery, até porque “o Porto está na moda”. Não há como o negar.

Gallery Hostel

Morada: Rua de Miguel Bombarda, 222, Porto

Nº de camas: 41

Preços: De 22 a 80 euros

Ano de inauguração: 2015

Traço único: Hostel de luxo, que se diferencia pela vertente de galeria de arte

 

Workshops Pop Up: O comércio local também dá formação

Surge como uma das 10 lojas a conhecer no roteiro “48 horas no Porto” do Guia Michelin mas há mais na Workshops Pop Up do que se possa pensar à primeira vista. O espaço de 300 metros contém cerca de 20 ‘lojas dentro de uma loja’, com artigos de moda, decoração e gastronomia ‘gourmet’. Em paralelo, uma agenda de ‘workshops’, sobretudo na área alimentar, complementa a oferta.

O conceito vem dar cara nova ao comércio tradicional da baixa portuense. Aqui, na rua do Almada, vendem-se artigos únicos, de projetos e artesões locais, com uma oferta que foge “às grandes marcas e às coleções massificadas”. O Workshops Pop Up é uma iniciativa de Rita Almada e Nuno Pedrosa que assenta no coletivo: “Consideramos que esta fórmula repartia o esforço entre nós e quem quer experimentar uma marca ou produto no comércio tradicional.”

Workshops Pop Up

A localização beneficia do ‘boom’ de turistas na Invicta. “Hoje é notório que o Porto é visitado ao longo de todo o ano, tanto por portugueses, como por estrangeiros”, comenta Rita Almada. Além disso, a baixa portuense ganhou, nos últimos anos, uma vida renovada.

“Parece-nos que quem procura a baixa são pessoas que querem tanto ser surpreendidas com novos conceitos e sensações alternativas como, ao mesmo tempo, apreciam orgulhar-se do que é nosso e genuíno – e adoram reviver o que temos de qualidade”, argumenta a responsável. Ou seja, este é um terreno fértil para novos negócios que liguem inovação e tradição.

O sucesso foi tal que, depois da loja lançada em 2013, Rita Almada e Nuno Pedrosa aventuraram-se por Lisboa. No ano passado, a Workshops Pop Up Lisboa abriu portas no Príncipe Real e é hoje “reconhecida como uma loja de marcas maioritariamente portuenses”. Além de um projeto empreendedor de sucesso para os dois responsáveis, as lojas do Porto e Lisboa são também uma oportunidade de exposição para as marcas que lá estão albergadas.

Workshops Pop Up

Morada: Rua do Almada, 275, Porto

Nº de marcas: 20 (aprox.)

Preços dos workshops: 25 euros (em média)

Ano de inauguração: 2013

Traço único: Reinvenção do comércio tradicional através do conceito “lojas dentro de uma loja” e de workshops gastronómicos.

 

Espaço Porto Cruz: Visitar o vinho do Porto já não é o que era

Perante um problema, inovar. A máxima é seguida por mentes empreendedoras, um pouco por todo o mundo, e foi também o guião do Espaço Porto Cruz – local de degustação dos vinhos Porto Cruz. Inaugurado em 2012, o projeto surgiu “em primeiro lugar, para marcar presença no roteiro turístico das caves do vinho do Porto, uma  vez que as nossas caves/armazéns estão fora da área de visitação”, explica Sandra Figueiredo, gestora de processos no Espaço Porto Cruz.

O resultado é um local vocacionado para o enoturismo, mas que rompe com a tradição do setor. Do outro lado do rio Douro, em Vila Nova de Gaia, o Espaço Porto Cruz está em plena zona de caves do vinho do Porto, que asseguram o modelo convencional da oferta turística. Mas este edifício não tem barricas de madeira, nem uma imensidão de garrafas em exposição. O objetivo continua a ser proporcionar aos visitantes a experiência do vinho, mas o posicionamento é inovador, virado para diferentes públicos.

Ao todo, o Espaço Porto Cruz são quatro pisos de um design contemporâneo ‘clean’, onde há lugar também para uma experiência multimédia de interação com os vinhos Porto Cruz e para uma área de exposições culturais – algumas permanentes, sobre a região vinícola, outras temporárias, sempre com o tema do vinho.

Segundo a responsável, o espaço inovador surge “para se diferenciar da oferta exclusiva de caves tradicionais e complementá-la com uma vasta oferta de provas de vinho, experiências vínicas e gastronómicas no nosso restaurante inserido no próprio edifício, degustação de cocktails de vinho do Porto no Terrace Lounge 360º (para ir ao encontro dos gostos de uma faixa etária mais jovem) e proporcionar a quem nos visita uma área cultural”. O conceito é ambicioso, mas parece ter encontrado o seu lugar no mercado turístico. Em 2016, passaram 104 mil visitantes pelo Espaço Porto Cruz. As expetativas estão, portanto, elevadas para este ano de Porto Melhor Destino Europeu.

 

Espaço Porto Cruz

Morada: Largo Miguel Bombarda, 23, Vila Nova de Gaia

Preços: Acesso livre em algumas áreas; provas de três vinhos do Porto a partir de 7,50€

Ano de inauguração: 2012

Traço único: Espaço de enoturismo dedicado ao vinho do Porto que rompe com o modelo tradicional de ‘cave’. Inclui vertente cultural, ferramentas multimédia e uma aposta em zonas de restauração e lazer (‘lounge’ no terraço).

 

Leia também:

Cinco passos para abrir um ‘hostel’

O que saber se quer arrendar a casa a turistas

Cinco startups inovadoras no setor do turismo

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB
PUB
PUB