Trunfos dos melhores gestores de pessoas

Aos 36 anos, Ricardo Figueiredo foi eleito o Melhor Gestor de Pessoas 2012 em Portugal.

gestores de pessoas

Aos 36 anos, Ricardo Figueiredo foi eleito o Melhor Gestor de Pessoas 2012 em Portugal. À frente de uma equipa de 73 pessoas, e com os votos positivos de um total de 15 chefias intermédias na sua empresa, o diretor de produção da Gelpeixe – Alimentos Congelados arrecadou o primeiro prémio na primeira edição do prémio Melhores Gestores de Pessoas, um estudo que será repetido já em 2013 e tem como objetivo principal identificar, entre um conjunto de candidatos, os melhores gestores de pessoas em Portugal.

Numa iniciativa da Tema Central e da Qmetrics, com apoio institucional da Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas e o patrocínio da Kelly Services Portugal e da Profiforma, o primeiro ranking português dos melhores gestores de pessoas identificou 20 executivos que atingiram uma pontuação superior a 70 pontos, entre os quais diretores de recursos humanos, gestores de linha, diretores de produção, técnicos administrativos ou CEO’s.

Além de Ricardo Figueiredo (na foto, à esquerda), a lista dos cinco melhores inclui os nomes de José Manuel Carvalho, diretor administrativo e financeiro da Rebelo de Sousa & Associados Sociedade de Advogados (2º lugar), Filipa Esteves, diretora de recursos humanos das Páginas Amarelas (3º lugar), Pedro Ramos, diretor de recursos humanos da Carris (4º lugar) e Vítor Silva, diretor de recursos humanos do hotel Tiara Park Atlantic (5º lugar).

Orgulhoso com o prémio, Ricardo Figueiredo revela que para ser um bom gestor de pessoas “o mais importante é ter colaboradores motivados, que fazem parte da empresa e são dedicados ao trabalho”. Sem isso, garante, “seria impossível processar cerca de 40 toneladas de peixe por dia” e ter produtos espalhados por vários países do mundo. A trabalhar na Gelpeixe há 10 anos, metade dos quais no cargo atual, o diretor de produção incentiva os seus “técnicos altamente qualificados de preparação de peixe” a darem inputs e sugestões para melhorar o processo de produção. “Gosto de delegar tarefas, por isso quem apresenta uma ideia, executa-a. E assim as pessoas assumem responsabilidade e ficam automotivadas”, diz Ricardo Figueiredo, sublinhando que é “mais fácil gerir pessoas em crise, porque estão mais motivada para manter o emprego”.

Melhores gestores partilham dicas de sucesso

Para José Manuel Carvalho, diretor administrativo e financeiro da Rebelo de Sousa & Associados Sociedade de Advogados, o segundo lugar conquistado neste ranking representa a confiança e reconhecimento da sua equipa, num “setor de atividade muito conservador, onde as mais modernas técnicas de gestão ainda não têm o devido espaço”. “Sem o topo da organização estar recetiva a essa mudança o trabalho de qualquer gestor torna-se muito mais difícil”, revela.

Sobre o que implica ser melhor gestor de pessoas, o diretor administrativo diz que lhe compete passar objetivos claros à equipa, avaliar e dar o feedback necessário, respeitar as diferenças e procurar colmatar os entraves para a concretização do objetivo final. “Tem que existir vontade organizativa para criar e implementar as ferramentas necessárias para uma boa gestão de pessoas. Também para criar as melhores condições de trabalho possíveis e estarmos atentos a eventuais necessidades específicas e sugestões de melhoria propostas pelos nossos colaboradores”, refere, sublinhando: “A gestão de pessoas é a mais difícil de todas e os momentos de crise potenciam novos desafios”.

Presença feminina no pódio, em terceiro lugar, Filipa Esteves, diretora de Recursos Humanos da Páginas Amarelas, destaca as competências mais importantes de qualquer Melhor Gestor de Pessoas: “Ter paixão pelo que se faz, mas principalmente pelas pessoas com quem se trabalha e as quais deverão ser sempre a principal prioridade, ser exigente, otimista e corajoso na forma como lida com os desafios, não esquecendo a integridade nos relacionamentos e decisões diárias, acreditar sempre em si e nos outros”.

Com os desafios da gestão de recursos humanos a mudar rapidamente, em função da sociedade, da tecnologia, do negócio, gerir pessoas em tempos de crise, diz Filipa Esteves, exige “uma comunicação mais cuidada, uma maior segurança e otimismo do líder”.

Na apresentação do ranking “Melhores Gestores de Pessoas” (na foto, os 20 vencedores), Filipe Vaz, diretor-geral da Tema Central, salientou a elevada participação no estudo e o facto de serem identificados melhores gestores de pessoas nas funções mais variadas. “Vamos avançar para o ranking Melhores Gestores de Pessoas 2013 com a certeza de termos dado início a um estudo que está focado no mais importante: as pessoas”. Susana Justo, diretora-geral da Qmetrics, empresa que assume a responsabilidade técnica do ranking, salientou o elevado número de candidatos e também a participação de todos os que foram convidados a dar a sua opinião sobre o seu gestor. “Verificamos que para 70% dos candidatos toda a equipa colaborou, respondendo ao questionário”.

Além da divulgação dos cinco grandes vencedores, foram ainda distinguidos os vencedores de quatro categorias: setor público; dimensão de equipa 5 a 9 colaboradores; dimensão de equipa 10 a 19 colaboradores; e Dimensão de equipa +20 colaboradores.

Sofia Tavares

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB
PUB
PUB