Encontrar emprego depois dos 45

Se tem mais de 45 anos e está sem emprego, saiba o que pode fazer para voltar ao mercado de trabalho.

desemp296,7 mil do total de 952,2 mil desempregados registados pelo INE no primeiro trimestre de 2013 têm mais de 45 anos – esta é a faixa etária mais afetada pelo flagelo. Quando comparado com período homólogo, houve um aumento de 19,9%, o que representa mais 49,3 mil desempregados em idade avançada. São demasiado jovens para a reforma, mas a experiência profissional adquirida faz com que os salários auferidos sejam superiores aos dos jovens.

Para os mais velhos, a situação de desemprego nem sempre é passageira e quanto mais tempo ficam sem trabalho, mais difícil é regressar ao ativo, o que, em último caso, poderá implicar a reforma antecipada, que nem sempre é possível. Tudo isto poderá significar que após anos de independência financeira é necessário readaptar o estilo de vida a que estavam habituados, mexer nas poupanças acumuladas ao longo de anos ou depender financeiramente do cônjuge. Além disso, quanto mais tempo estiverem desempregados, mais difícil se torna encontrar um trabalho, correndo o risco de ficarem ultrapassados, perderem contactos e serem vistos como pouco úteis pelos empregadores.

Mantenha a calma

Apesar de ser mais difícil encontrar emprego depois dos 45 anos, não desespere, existe esperança. É importante não se deixar diminuir pelos seus anos de experiência face à concorrência mais jovem, dizem os especialistas. “O principal conselho para esta faixa etária é manter a calma, ter uma enorme capacidade de automotivação e criar uma rotina diária de procura de emprego”, explica Joana Santos, Senior Consultant & Team Leader da Hays.

Manter a mente sã neste processo é fundamental, refere a especialista. “Apesar de ser uma situação difícil, é importante pensar que é apenas um momento negativo”, enfatiza Joana Santos, de forma que se aparecer uma oportunidade de emprego, esta não se estrague por ter a postura errada. “Não convém ir com uma atitude negativa para as entrevista! É fundamental criar uma excelente primeira impressão, demonstrar muita disponibilidade para aprender, continuar sempre a apostar na formação e manter-se atualizado”, prossegue a consultora da Hays.
Leia na próxima página: Apostar na qualificação

Apostar na qualificação

Segundo Amândio Fonseca, administrador Executivo do Grupo Egor “este perfil etário tem em geral menor empregabilidade quando à idade se aliam reduzidas qualificações literárias e profissionais”.

Nestes casos, o especialista recomenda às pessoas que procurem inverter esta situação através da frequência de cursos profissionais que possibilitem o regresso ao mercado de trabalho. “As pessoas do mesmo perfil etário, mas com qualificações médias ou superiores, tendem a encontrar com maior facilidade saída na emigração, ou até alternativas no mercado de emprego em Portugal que, mesmo não sendo as ideais, lhes proporcionem a saída do desemprego”, prossegue o administrador do Grupo Egor.

 

Oito dicas a não esquecer

1. Acredite em si. Se as suas competências o ajudaram a ter sucesso no passado, irão ser úteis no futuro. Não fique desencorajado.

2. Fique otimista. Esta é a melhor forma para abraçar a mudança. Permita que os empregadores saibam que é flexível, versátil e gosta de abraçar os desafios.

3. Foque-se nas pequenas empresas. Mais facilmente estas irão empregá-lo, pois estão mais focados na sua capacidade em ajudar, resolver problemas e fazer dinheiro, do que em discriminá-lo.

4. Faça networking. Pôr os seus contactos a trabalhar para si é um aspeto muito importante, desde que não seja abusivo.

5. Seja flexível. Considere uma profissão diferente, uma indústria diferente ou até mesmo uma localização diferente.

6. Fale das suas conquistas. Não se acanhe a demonstrar a sua experiência e em mostrar como é que ela pode jogar a seu favor e da empresa para onde poderá ir trabalhar.

7. Cuide de si. O facto de estar desempregado não significa que não se cuide. Exercite-se, coma corretamente e mantenha o espírito. Ninguém o irá contratar se tiver uma aparência descuidada e falta de entusiasmo.

8. Agradeça a oportunidade. Se está a ser entrevistado para uma posição que lhe agrada, envie um email de agradecimento nas 24 horas seguintes.

8 respostas a “Encontrar emprego depois dos 45”

  1. Lenilson J. Freitas

    Muito obrigado por esse texto. Li e fiquei muito feliz ! Tenho quase 50 anos e, estou desempregado.

    Responder
  2. Gilvani

    vou completar 50 estou desempregada e adorei esse incentivo ..

    Responder
  3. Isaneto

    O problema é quando temos habilitações, vontade de trabalhar e percebemos o que é necessário e importante, mas devido à idade nem somos chamados para as entrevistas!!!

    Responder
  4. Cristo

    textos e palavras bonitas tipo ‘o universo é perfeito’. Uma realidade de desemprego aos 50 nunca é somente ‘um momento negativo’ é, sim, um encalhar absurdo e muitas das vezes formentado pelas próprias consultoras de RH ao olharem 3″ para a idade de um candidato e colocarem de lado. E não digam que não… Quiçá, muitos deles poderão estar no outro lado do cenário uns anos mais tarde. Aos 50 encalha-se, ponto.

    Responder
  5. Maria Monteiro

    Sem dúvida…há 4 anos que estou desempregada e até ao momento nenhuma entidade patronal me chamou para entrevista… é triste. Tenho 54 anos sou velha para trabalhar e nova para a reforma. Como vão ser os próximos 11 anos?

    Responder
  6. fernando

    muito obrigado pela ajuda,encontro-me desempregado e tento manter ou fazer o que explicam,ajudou muito.

    Responder
  7. Costa

    Conversa da treta.A realidade não é nada disso.
    O principal conselho para esta faixa etária é manter a calma- Manter a calma enquanto não há nada para comer, manter a calma durante anos a fio.
    Isto não é ajuda.Há qualquer coisa de muito errado na democracia, que acabou com os empregos, enriquece outros e pede calma a quem não consegue viver.

    Responder
  8. lúcia

    As palavras de conforto , até são interessantes … mas pergunto , o que fazer com um curso de economia ,54 anos de idade , 30 anos de experiência . Sou velha para trabalhar , e nova demais para a reforma . É muito triste .

    Responder

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB