“Enviar CV passou de moda”

Jaqueline Silva, autora do livro "Estou desempregada, e agora", dá alguns conselhos a quem esteja neste momento à procura de um emprego.

CV
Jaqueline Silva, autora do livro “Estou desempregada, e agora?”

Quando ficou desempregada, Jaqueline Silva, de 31 anos, entrou numa espiral descendente. “Estive três meses sem saber o que fazer e questionei tudo à minha volta. Quem era, o que queria e quais eram as minhas verdadeiras competências”. Findo esse período, decidiu que era altura de meter mãos à obra e começou “numa busca incessante de alternativas mais adequadas para mim”. Investigou formas de vencer o desemprego e eventualmente acabou por criar o seu próprio emprego, o espaço de restauração “Entre Nós“. Depois decidiu escrever o livro “Estou desempregada, e agora?”, para ajudar outros a encontrar novos horizontes para as suas vidas.

Saldo Positivo (S.P.): Escreveu o livro “Estou desempregada, e agora?” com base na sua experiência do desemprego. Como lidou com a situação?
Jaqueline Silva (J.S.).: Inicialmente lidei mal com o facto de estar desempregada, tal como acontece com a grande maioria das pessoas que passa por esta situação. Estive três meses sem saber o que fazer e questionei tudo à minha volta. Quem era, o que queria e quais eram as minhas verdadeiras competências. Três meses depois, senti que já não podia ficar de braços cruzados e foi aí que comecei numa busca incessante de alternativas mais adequadas para mim.

S.P.:  A sua atitude perante o desemprego foi de proatividade. Até que ponto é que a sua experiência nos EUA influenciou essa dinâmica?
J.S.: Viver nos EUA teve um grande impacto na minha vida. Estar fora de Portugal ajudou-me a perceber melhor como é que a nossa cultura funciona. Nós somos como somos, porque temos uma herança histórica que nos fez ser assim para conseguirmos sobreviver enquanto Nação. A verdade é que somos muito pouco optimistas. Para complementar acreditamos que não podemos falhar. Nos EUA é precisamente o oposto, as pessoas sabem que falhar várias vezes até conseguirem atingir os seus objetivos faz parte do processo, acreditam que a sua rede de contactos os pode ajudar e o desemprego é apenas mais um acontecimento. A velocidade a que as coisas acontecem gera, naturalmente, pessoas mais proativas e dispostas a “dar a volta” da melhor forma.

 

Continue a ler a entrevista a Jaqueline Silva na página seguinte

Continue a ler o artigo nas páginas seguintes: 1 2 3 | Ver artigo Completo

7 respostas a ““Enviar CV passou de moda””

  1. cintia teixeira

    hoje em dia vivemos num mundo difícil mesmo estando evoluído está difícil de termos os nossos objectivos, e o nosso governo não dá a esperança de que um dia e o futuro será visto com os jovens de Portugal e não a população ser envelhecida…. quero apelar por mais esforços que fazemos é preciso haver um instrumento que nos de esperança para o sucesso e isso aqui em Portugal não existe….a luz verde ainda não aconteceu….será que vai acontecer???

    Responder
  2. JC

    Em primeiro lugar não acho que Portugal possa ser comparado aos EUA. Nós pensamos que não podemos falhar não porque não queremos, mas sim porque o país nos implementou a regra de que se falharmos podemos perder o nosso emprego o que significa perder a nossa independência e quem sabe a comida na mesa. Não há oportunidades a cada esquina como nos EUA, onde uma pessoa arrisca, falha mas logo a seguir arranja outro outra mudança para um novo arranque. O leque de opções é outro, outro que Portugal não tem de momento.

    Responder
  3. Tomás Vieira

    Jaqueline Silva fala acertadamente, como quem tem uma perspectiva nada obtusa, como ela refere, ter saído do país contribuiu para ter outra visão sobre nós.. de fato continuamos ligados “ao falhanço”, mas a única falha é não continuar a tentar.

    Responder
  4. Joaquim Matos

    Boa tarde,
    Pelos vistos o meu comentário foi apagado. Talvez por ter revelado a verdade o que não interessou a esta página. Não culpem os desempregados. Nos Estaleiros de Viana do castelo estão a entregar na portaria folhetos de « Como procurara emprego»..

    Responder
    • Saldo Positivo

      Boa tarde Sr. Joaquim,
      Em relação à dúvida que coloca, a nossa caixa de comentários é moderada. Ou seja, os comentários não são publicados automaticamente. Entre hoje e amanhã esperamos analisar todos os comentários que recebemos durante o fim-de-semana.
      Desde já agradecemos a sua atenção e o seu contacto.
      Atenciosamente,
      A Equipa Editorial do Saldo

      Responder
      • Joaquim Matos

        Boa tarde,
        De acordo com a vossa informação, verifico que já passaram os dois dias e mais nenhum comentário foi colocado. Poderei saber quando vão ser publicados os comentários. Obrigado

        Joaquim Matos

      • Saldo Positivo

        Bom dia Joaquim,
        Tentámos entrar em contacto consigo, mas o mail veio devolvido com a indicação de que havia problemas com o seu endereço de email. Tem algum outro contacto mais direto que nos possa facultar para falarmos consigo?
        Atenciosamente,
        A Equipa Editorial do Saldo Positivo
        ( saldopositivo@plotcontent.com )

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB