Sobreendividamento: Quem o pode ajudar?

Saiba quem o pode ajudar em caso de sobreendividamento.

Publicado em: Crédito Particulares

O incumprimento das famílias vai continuar a aumentar nos próximos trimestres fruto do ajustamento em curso da economia portuguesa, de acordo com Relatório de Estabilidade Financeira de novembro de 2012, divulgado pelo Banco de Portugal. Esta afirmação é corroborada por números: o crédito malparado dos particulares continuou a subir em Setembro, de acordo com o boletim estatístico de Novembro de 2012 do Banco de Portugal. O valor fixou-se nos 4,9 mil milhões de euros, mais 14 milhões do que o verificado em Agosto.

Se este é o seu caso, se começa a ter dificuldades em pagar os seus compromissos financeiros mensais ou então já existem prestações que não consegue regularizar, é altura de pedir ajuda. Neste caso, quanto mais cedo procurar auxilio melhor, não deverá esperar entrar em incumprimento bancário para agir. Conheça algumas entidades que o podem ajudar a negociar com os bancos.

Apoiare

A Apoiare é uma associação sem fins lucrativos, cujo objetivo principal é ajudar os cidadãos com problemas de endividamento a terem acesso a técnicos especializados, que os ajudem a resolver os problemas, quer seja diretamente ou através de protocolos com terceiros.

A primeira consulta de análise, que inclui a análise do orçamento familiar, avaliação do nível de endividamento, enquadramento psico-social e a definição de um Plano de Recuperação Económico-social, é gratuita. Para ter acesso aos restantes serviços, é necessário pagar uma quota anual de 35 euros.

GAS

O Gas é o Gabinete de Apoio ao Sobre-endividamento da Deco, cujo objetivo é prestar apoio aos consumidores com problemas de sobre-endividamento. A Deco faz uma análise da situação do sobre-endividado e entra em contacto com as entidades credoras com o objetivo de reestruturar as dívidas, de forma a que o consumidor consiga cumprir com as suas obrigações financeiras.

Esta ajuda não se estende a pessoas que tenham dívidas de natureza fiscal, como seja de IRS, IRC, IVA e à Segurança Social.

GOEC

O GOEC – Gabinete de Orientação ao Endividamento dos Consumidores, resulta de um protocolo entre o Governo e o Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) e foi criado para acompanhar e aconselhar as famílias no recurso ao crédito e na recuperação de situações de insolvência. Aqui é disponibilizado aconselhamento aos consumidores e prestam apoio gratuito em processos de renegociação de créditos com os bancos e outras instituições financeiras.

GAT

Quando a negociação das dívidas já não é possível, existe a hipótese da insolvência, que evita a penhora de bens. Para orientar as pessoas nesse sentido, existem os GAT – Gabinetes de Apoio Técnico, que prestam ajuda e acompanhamento em reestruturação, recuperação e insolvência de empresas e particulares.

Estes esclarecem e ajudam consumidores que estejam com dificuldades em cumprir as suas obrigações. Os gabinetes são ainda úteis no acompanhamento dos utentes que já estejam demasiado endividados sobre os instrumentos e possíveis soluções que evitem o incumprimento generalizado, os tribunais e a penhora de bens. Saiba mais no site www.insolvencia.pt.

Fundação Agir Hoje

A Fundação Agir Hoje é uma IPSS – Instituição Particular de Solidariedade Social, que trabalha com pessoas que estão sobre-endividadas ou com problemas financeiros, numa abordagem diferente, que coloca a pessoa no centro e não a dívida.

Porque uma situação de sobre-endividamento não é apenas um problema de dinheiro, e afeta radicalmente toda a vida da pessoa, o seu bem-estar, a família e a forma como a sociedade o encara, um dos objetivos da fundação é promover grupos de entreajuda para pessoas que estão nesta situação. A participação nos grupos de entreajuda é gratuita, voluntária e confidencial.

Rute Marques

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB