Oito formas de obter rendimentos extra

Rendimentos extra: recorra a formas alternativas para ganhar dinheiro, para além do emprego das 9h00 às 18h00.

rendimentos extraA  tarefa de gerir o orçamento familiar nem sempre é fácil, quer esteja a trabalhar ou desempregado. Se a situação financeira do agregado familiar não está fácil, poderá ter de recorrer a formas alternativas para ganhar dinheiro, para além do emprego das 9h00 às 18h00. Se não tem ideias de como esticar os seus rendimentos, o Saldo Positivo dá-lhe algumas sugestões. Não se esqueça que para exercer estas atividades extra-laborais deverá estar coletado como trabalhador independente junto das finanças.

 

1. Babysitting ou outros sittings

Tomar conta de uma criança, um animal de estimação, ou até de uma casa ou das plantas enquanto os donos estão de férias, pode ser uma forma bastante agradável e rentável para ganhar uns trocos extra. Regra geral, ocupam pouco tempo da sua agenda, mas requerem que seja bastante responsável e que tenha algumas referências para mostrar.

 

2. Cliente mistério

Para quem desconhece, o cliente mistério é uma técnica de estudo de mercado com o objetivo de analisar os serviços de determinada marca do ponto de vista do cliente. Um cliente mistério tem a missão de realizar visitas anónimas, com um perfil adequado ao serviço a avaliar. Este realiza uma compra e depois elabora um relatório focado nos aspetos pré-definidos. Existem várias empresas que prestam estes serviços de consultoria, onde se pode inscrever para conseguir ganhar algum dinheiro extra. Se está interessado, informe-se junto de empresas como a marktest ou a Multidados.

 

3. Vender artigos usados

Se tem um sofá esquecido na despensa do qual se quer livrar ou uns livros a ganhar pó na arrecadação, talvez seja a altura de se desfazer destes e, com isso, fazer uns trocos extra. Tire um dia ou um fim-de-semana, exclusivamente com o propósito de fazer uma limpeza em sua casa e procurar objetos que já não utilize nem façam falta para depois vendê-los. Se não quiser montar uma banca numa feira, pode sempre optar pelas leiloeiras online, como o leiloes.net. Tenha em atenção às condições de serviço, pois por cada venda efetuada é cobrada uma taxa.

 

4. Aproveite os seus talentos

Tem um talento natural para cozinhar bolos ou fazer bijuteria? Ponha esse talento a trabalhar para si e aproveite para ganhar algum dinheiro com isso. Assim, estará a fazer algo que lhe dá prazer enquanto gera mais rendimentos para a sua conta bancária.

Terá sempre de fazer pequenos investimentos, mas que irão compensar mais tarde. Além disso, quem sabe se não será o inicio de uma nova carreira.

5. Dar explicações

Dar explicações para ganhar mais algum dinheiro já é datado, mas em época de crise pode sair da gaveta. Matemática, português, ciências naturais, geografia ou inglês… Seja qual for a área, se tem conhecimentos em determinada matéria, ponha essa sabedoria a render e dê explicações aos alunos que precisem. Esta pode ser uma atividade bastante rentável, se conseguir angariar um número razoável de pupilos.

 

6. Vender produtos de beleza

Vender perfumes, maquilhagem ou cremes através de catálogo é uma forma bastante utilizada para ganhar dinheiro extra, para tal basta dar a conhecer estes produtos à sua rede de contatos (amigos, conhecidos, familiares, colegas de trabalho, etc) e convencê-los a comprar os seus produtos.

O investimento inicial que terá de fazer é bastante baixo e o lucro também não será extraordinário, mas será sempre algum dinheiro extra que entra na sua conta bancária, sem que para isso tenha muito trabalho, apenas o de divulgar o catálogo dos produtos que vende. Existem várias, mas comece por experimentar a Oriflame ou a Yves Rocher.

 

7. Responder inquéritos

Um computador com acesso à internet e algum tempo disponível é tudo o que precisa para entrar nesta atividade extra. Os valores que se pagam nestes trabalhos não são elevados, mas sempre é mais algum dinheiro a entrar na conta bancária, em troca de muito pouco trabalho. Se quer entrar nesta atividade, inscreva-se em empresas de estudos de mercado, como a netsonda, e esperar que apareçam inquéritos que encaixem no seu perfil. Se pretender que esta atividade seja a full time, pode optar pelos inquéritos de rua que, apesar de implicarem mais trabalho, também são melhor recompensados.

 

8. Alugar um quarto

Tem um quarto a mais em sua casa? Experimente dividir as despesas, quer seja definitivamente ou apenas por um curto período de tempo em que esteja particularmente necessitado de rendimentos extra. Para tal, apenas necessita ter uma divisão a mais e algum cuidado a escolher a pessoa, procure entre os seus amigos e familiares. Também pode recorrer aos classificados dos jornais ou então a sites da internet como o b quarto ou easy room.

 

 

Se quer saber mais informações sobre este assunto, leia também: 

Sete números dourados sobre o seu dinheiro

15 regras para chegar a milionário

Cinco formas de investir cinco mil euros

15 respostas a “Oito formas de obter rendimentos extra”

  1. susana ferreira

    obrigada pelas dicas…vou por em pratica algumas delas ou,
    pelo menos, tentar!!!

    Responder
  2. Liliana Santos

    Ò meus amigos… Que vergonha… é que foi mesmo à descarada… assim… publicado na net até parece inofensivo… então por um acaso não repararam que tudo isto é um incentivo à economia paralela… e se um desgraçado resolve fazer o que aqui têm escrito e por um azar é fiscalizado??? Apanhado em flagrante??? Sim… porque ao vender bolos, bijuteria, ramos de flores, perfumes, dar explicações, etc… a dita pessoa deverá estar colectada nas finanças para tal…. E deverá fazer os devidos descontos, para que as suas actividades não possam ser consideradas ilegais… certo???

    Responder
    • ab

      Cara Liliana,
      Desde já agradecemos o seu contacto e a sua chamada de atenção. Como já tivemos oportunidade de responder à nossa leitora Adélia de Brito, não é nossa intenção apelar à economia paralela, mas tendo em conta que estamos todos a atravessar um momento economicamente muito sensível, o nosso objectivo com este artigo é ajudar as pessoas que actualmente se debatem com sérios problemas financeiros a encontrarem um complemento aos seus rendimentos, de forma legal. Ao escrevermos o artigo, pensámos que estava implícita a ideia de que as pessoas que venham a exercer estas actividades o façam dentro da lei. Foi um lapso nosso e já introduzimos no texto um parágrafo a reforçar a importância de todas estas actividades extra-laborais serem exercidas de forma legal.
      Com os melhores cumprimentos,
      Equipa do Saldo Positivo

      Responder
  3. Manuela Carneiro

    Quero agradecer a parte dos ramos de flores, eu que tenho uma florista fecho as portas, eu que pago os meus impostos fecho a porta, porque pessoas sem formação e sem pagar impostos, vão tentar fazer o meu trabalho. Excelentes sugestoes

    Responder
  4. ADÉLIA DE BRITO

    Caros senhores,
    Como cliente da CGD há mais de 30 anos, pela primeira vez, fiquei indignada com a forma como a CGD aborda este assunto.
    Das duas uma, ou a pessoa que o escreveu é distraída ou incompetente.
    Mas será que não percebem que estão a incentivar à economia subterrânea?
    Com que então, “fazer uns bolos e uns ramos de flores”??? entre outras coisas “alugar um quarto”? Já agora se tiver empréstimo crédito à habitação na CGD????? É INCRÍVEL.
    Eu trabalho 12 horas por dia, 350 dias por ano e já há economia subterrânea mais que suficiente. Sou florista há 18 anos e trabalho legalmente, não preciso de mais concorrência desleal, nem dum banco que apadrinha esse tipo de negócios. Para os senhores, pouco importa dende vem o dinheiro dos clientes, se é de trabalho sério e honesto ou se foi ganho ilegalmente.
    TENHO VERGONHA DE SER VOSSA CLIENTE. Se não fosse o vínculo a que estou obrigada pelo empréstimo da minha casa, começaria já hoje a procurar outro banco . Adélia de Brito
    Os senhores deviam ter vergonha, pois mostram bem o que afinal entendem por “ajudar” os pequenos negócios

    Responder
    • ab

      Boa tarde Adélia,
      Desde já agradecemos o seu contacto e a sua chamada de atenção. Não é nossa intenção apelar à economia paralela, mas tendo em conta que estamos todos a atravessar um momento economicamente muito sensível, o nosso objectivo com este artigo é ajudar as pessoas que actualmente se debatem com sérios problemas financeiros a encontrarem um complemento aos seus rendimentos, de forma legal. Ao escrevermos o artigo, pensámos que estava implícita a ideia de que as pessoas que venham a exercer estas actividades o façam dentro da lei. Foi um lapso nosso e já introduzimos no texto um parágrafo a reforçar a importância de todas estas actividades extra-laborais serem exercidas de forma legal.
      Com os melhores cumprimentos,
      Equipa do Saldo Positivo

      Responder
  5. Isabel

    Pois não se esqueçam de dizer que as pessoas têm de se colectar, assim não se nota tanto que fogem à mesma aos impostos…

    Responder
  6. Andreia Teixeira

    Fico deveras abismada com alguns comentários aqui feitos, especialmente o da Sra. Adélia de Brito.
    “Concorrência desleal”? Deixe-me ver se entendi… Estamos todos proibidos ou seremos “condenados” pela Sra. de fazer algo com gosto e para o qual temos aptidões porque a Sra. não quer concorrência?
    Que grande consideração que a Sra. tem pelos outros, em que só pensa e fala de si. Não se esqueça que há muito boa gente a fazer tantas horas ou a mais que a Sra., e trabalha tanto como a Sra. só para conseguir alimentar os filhos.
    Não se preocupe, porque existe realmente quem apenas queira ganhar os tostões extra para pagar as contas como a Sra. Adélia e conseguir alimentar a familia; não será para lhe roubar o trabalho que o farão. A não ser que a Sra. prefira que os pais e as mães comecem a roubar para pagar contas e levar comida para casa, como alguns já fazem (isso sim, a chamada “actividade subterrânea”)?!
    É realmente uma vergonha, o desdém que pessoas como a Sra. mostram pela situação dos outros. Todos nós estamos a passar dificuldades, uns mais que outros. A Sra. Adélia, tal como eu, ainda tem o seu trabalho; muitos outros, infelizmente não só não têm trabalho como qualquer direito a apoios sociais. É que, caso se esqueça ou não esteja, por lapso a considerar, formas de ganhos extra legalizadas são igualmente uma ameaça ao seu trabalho. Como tal, não consigo entender o seu raciocinio!

    Responder
  7. zeca

    Já vendo coisas que não preciso há mais de 5anos. Tenho na veia vender coisas boas em 2ª mão e aconselho.

    Responder
  8. duarte costa

    Gostei das vossas dicas no qual aprendi.parabens

    Responder
  9. Ricardo silva

    N vejo a razão para estar tanta gente indignada com este post, não está a promover nada de mal a não ser dar umas quantas Boas ideias …. são apenas direcções ou possíveis direcções a seguir o que cada um faz com elas isso já depende da pesoa .
    por vezes grandes negócios partem de pequenas ideias tais como estas

    Responder
  10. marisa monteiro

    Concordo com a Andreia Teixeira…. Ha cada um/a….

    Responder
  11. Celia

    Será que estas pessoas que tem o seu negócio, e tanto reclamam destas sugestões, passam faturas de tudo o que vendem? è que das poucas vezes em que comprei flores nunca ninguèm me deu fatura, quem diz flores diz outras coisas, se eu pedir sim ela aprece se não pedir….!!! Ssinceramente, haja paciencia…

    Responder
  12. Jorge Fontela

    Bom dia a todos
    Vi hoje pela 1a vez este site, gostei das ideias e sugestões, gostei do facto do banco ter apoiado esta iniciativa. Só é pena que algumas pessoas vejam nestas iniciativas uma forma de enriquecimento ilícito, quando na verdade se promove a criatividade e o engenho dos portugueses nesta altura tão difícil para nós. Parabéns à equipa.

    Responder
  13. Antónia Carvalho

    Parabéns pelas sugestões. Lamento a indignação de alguns leitores, onde parecem se esquecer da ”economia paralela” feita às descaradas pelos nossos governantes e os ”paraísos fiscais”
    E já agora passem facturas/recibos, eu peço sempre

    Responder

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB