Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens

Saiba quais os erros financeiros a evitar na vida do seu filho.

erros financeiros Ouvir um “não” nunca é fácil. Especialmente para uma criança ou adolescente. No entanto, aprender a aceitar uma resposta negativa por parte dos pais é uma das mais básicas lições financeiras que uma criança poderá aprender. Não só porque pode aprender a dar valor ao dinheiro, mas também porque percebe o valor que a despesa poderá ter no orçamento da família. Incutir responsabilidades desde cedo na forma como se trata o dinheiro, pode evitar no futuro problemas graves que podem definir a vida do jovem adulto. Desta forma, o Saldo Positivo apresenta-lhe alguns erros praticados numa idade jovem mas que podem influenciar a sua vida adulta.

 

1. Não ter a noção da importância da poupança

Aprender a poupar é um ponto bastante importante na vida futura do seu filho. Ter poupanças desde cedo poderá ajudá-lo a ir para a universidade, comprar um carro, fazer uma viagem ou permitir um investimento. Além disso, a poupança é importante para ajudar o seu filho a fazer face a imprevistos financeiros que o podem atingir.

 

2. Não acompanhar os seus gastos

Seguir o rasto às suas despesas é uma maneira de perceber onde está a gastar demasiado dinheiro. No entanto, este não é um hábito muito generalizado na maior parte dos jovens. Sendo que muitos jovens ainda vivem com os pais, muitos deles acabam por gastar toda a mesada que recebem sem terem a preocupação pelo controlo das despesas. Mas se ao fim do mês os jovens fizerem as contas ao quanto gastam em café, refeições fora de casa, cinema ou naquelas peça de roupa que não conseguiram resistir, irão perceber que uma parte do seu rendimento foi gasto em artigos ou serviços supérfluos. Ao ter consciência dos seus gastos será também mais fácil perceber onde poderá cortar para futuras poupanças e utilizá-las para objetivos futuros.

 

3. Não saber usar o cartão de crédito

Se não são incutidos nos jovens limites nas suas compras, assim que ele atingir a idade adulta torna-se mais difícil respeitar os próprios limites. Limitar a quantidade de gastos é já de si um problema para quem não está habituado a orçamentar, mas com a utilização de cartão de crédito esta tarefa pode tornar-se num problema ainda maior. Para evitar situações de endividamento excessivo é importante que os jovens tenham em conta alguns conselhos para o uso correto do cartão de crédito. Por exemplo, é importante escolher um cartão com um limite de crédito não muito elevado, adequado ao orçamento do jovem. Na altura da seleção do cartão aconselha-se a que sejam analisadas as taxas de juro e as anuidades cobradas. Além disso, se o jovem usar o cartão de crédito e saldar a dívida dentro do período de crédito gratuito (que pode ir até 50 dias) não pagará juros.

 

4. Não saber investir

Investir o mais cedo possível é um conselho dado por muitos especialistas. Já que quanto mais cedo começar a investir as suas poupanças de acordo com os seus objetivos e o seu perfil de investimento, mais depressa verá o seu pé-de-meia crescer. Contudo, para quem não conhece o mundo dos investimentos poderá ser difícil gerar mais-valias e facilmente perder parte do capital investido, deixando os jovens numa situação difícil para o futuro.

Por isso mesmo é fulcral ter em conta alguns conselhos de investimento antes de tomar uma decisão sobre como deve aplicar o seu dinheiro. É importante escolher os melhores produtos financeiros adequados ao seu perfil de investidor, saber diversificar as suas poupanças e ler a ficha informativa das aplicações financeiras antes de investir.

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB