Como poupar na compra de manuais escolares

Já começou a pensar no regresso às aulas? Conheça algumas formas possíveis para diminuir os custos associados aos manuais escolares.

manuais escolares

Como poupar na compra de manuais escolares?

O próximo ano escolar só arranca a 9 de setembro mas para quem tem filhos as preocupações com o regresso às aulas começam muito tempo antes, com a compra de todo o material escolar. Segundo um estudo de 2015, no ano passado os portugueses tinham a intenção de gastar em média 528 euros com o regresso às aulas. Sendo que a compra dos manuais escolares representam uma parcela importante desta fatura. Segundo informações divulgadas pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) o preço médio, por cabaz, dos manuais escolares varia entre os 34,7 euros e os 258 euros, consoante o ano de escolaridade da criança ou jovem. Para diminuir esta fatura, as famílias portuguesas têm ao seu dispor várias soluções. Conheça alguns exemplos.

 

1. Manuais escolares do 1º ano do ensino básico são gratuitos

É uma novidade: Quem tem filhos que vão entrar este ano para o primeiro ano do ensino básico vão poder ter acesso, de forma gratuita, aos manuais escolares. A medida vai ser implementada pela primeira vez no novo ano escolar que agora se aproxima e abrange todas as crianças que frequentam este ano de ensino, independentemente de estarem a frequentar uma escola pública ou privada. No entanto, esta medida não inclui os restantes recursos didáticos. Ou seja, os livros de fichas que acompanham os manuais escolares têm de ser comprados à parte. Além disso, para terem acesso gratuito aos manuais escolares no 1º ano do ensino básico, os pais têm de cumprir com uma condição: Assinar uma declaração em como se comprometem a devolver os manuais em bom estado no final do ano letivo. Se estiver interessado em aderir a esta medida,apenas tem de se dirigir à escola do seu filho para saber como funciona a atribuição de manuais escolares gratuitos. Sendo que há dois modelos possíveis: ou as escolas entregam diretamente aos encarregados de educação os manuais escolares, ou então, os pais vão receber um ‘voucher’ na escola para levantarem os manuais numa determinada papelaria.

 

2. Esteja atento aos descontos das editoras e hipermercados

Uma forma de poupar na aquisição dos manuais escolares passa por estar atento aos descontos e às promoções que as editoras e as superfícies comerciais fazem durante esta época. Por exemplo, a Bertrand tem até ao final de agosto uma campanha que dá um desconto (no cartão Bertrand) de 10% na compra de manuais escolares e 20% nos livros e no material de apoio escolar. Esta campanha é válida para as compras feitas na rede de livrarias da marca. Se optar por comprar os manuais através do site da empresa, também é possível mas com condições específicas que pode consultar aqui. Também a  Leya prevê a atribuição de descontos de 10% na compra de manuais escolares e de 20% no apoio escolar. A Wook tem em vigor uma campanha com descontos semelhantes e que prevê portes grátis para as encomendas completas dos livros escolares (dentro de Portugal Continental). Atenção: esta campanha está em vigor apenas até ao dia 5 de agosto. Também as grandes superfícies como o Jumbo ou o Continente têm campanhas promocionais que oferecem descontos na compra dos manuais escolares. Para saber mais detalhes quais são as condições destas promoções consulte os sites destas empresas.

 

3. Faça dinheiro com os seus livros antigos

Uma outra forma de poupar dinheiro nesta área é recorrendo a plataformas online para vender os seus livros antigos, comprando com desconto os livros que necessita (em segunda mão). Este é negócio da Book in Loop. Esta plataforma online, criada por três jovens de Coimbra, pretende promover a reutilização dos manuais escolares. Como é que isso é feito? A empresa recebe os manuais escolares e depois de fazer um controlo de qualidade (para garantir que os livros estão em bom estado de conservação) coloca-os à venda por 40% do preço dos livros novos. Quem compra, poupa. Mas quem entrega os livros e vende-os à plataforma também ganha. Os empreendedores explicam na plataforma como tudo funciona. Por exemplo,”um livro novo que custe 25 euros será vendido usado por 10 euros. Metade desse valor, cinco euros (que corresponde a 20% do PVP) é equitativamente distribuído por todas as famílias que tenham entregue esse manual. Assim, todas as famílias são remuneradas pelos livros entregues mas apenas em função das vendas. Por exemplo, se 10 famílias tiverem entregue um determinado livro igual que seja vendido na plataforma a 10 euros, cada família receberá 50 cêntimos cada vez que um destes livros for vendido, se vendermos todo o stock deste manual, quem os entregou receberá o valor total (os cinco euros)”. Esse valor ficará em conta corrente, podendo ser usado na plataforma para a aquisição de livros ou resgatado pelo cliente

 

4. Adira aos bancos de trocas gratuitas de livros

Pode também recorrer aos bancos de trocas de manuais escolares. Recorde-se que o Movimento Pela Reutilização dos Livros Escolares    é uma organização que promove a partilha gratuita de livros escolares em todo o país. Neste momento, o movimento agrega 194 bancos de trocas de manuais em Portugal. Qualquer pessoa pode procurar livros escolares nestes bancos, independentemente de entregar outros manuais. Para saber qual é o banco que se situa mais perto da sua área de residência consulte esta área do site.

 

Não se esqueça de pedir fatura

As despesas relacionadas com a compra de manuais escolares são dedutíveis no IRS. Mas para isso deverá pedir a fatura com o seu número de contribuinte ou com o número de contribuinte do seu filho. Recorde-se que o Fisco aceita  30 % do valor suportado a título de despesas de formação e educação, por qualquer membro do agregado familiar, com o limite global de 800 euros. Apenas são aceites  as despesas isentas de IVA ou que tenham uma taxa de IVA reduzida. Para poder usufruir desta dedução é ainda imperativo que a fatura seja emitida por uma entidade que tenha um dos seguintes códigos de atividade:

– Secção P, Classe 85- Educação;

– Secção G, Classe 47610 – Comércio a retalho de livros, em estabelecimentos especializados;

– Secção G, Classe 88910 – Atividades de cuidados para crianças, sem alojamento.

 

Leia também os seguintes artigos:

– Sete dicas para preparar o regresso às aulas

– Ideias para renovar o guarda-roupa no regresso às aulas

– Semanada ou mesada:Como definir o valor?

– Quanto pesa um filho no orçamento familiar?

– Quatro erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB