Como poupar nas férias?

Se ainda está a planear as suas próximas férias, tome nota de algumas dicas para controlar os gastos no alojamento e transportes.

poupar nas fériasCom o mês de agosto a aproximar-se, muitos portugueses estão a ultimar os preparativos para as suas férias de verão. Segundo um estudo recentemente divulgado pela Trivago sobre as intenções de férias dos portugueses, o Algarve é o destino preferido das famílias lusas para gozar este ano uns dias de descanso. Sendo que, em média, os portugueses preveem gastar 134 euros por noite. Se ainda não decidiu como vai organizar as suas próximas férias e tem pouco dinheiro disponível veja como pode criar um orçamento à medida das suas necessidades.

 

Como preparar um orçamento para férias?

O primeiro passo é saber qual é o valor que tem disponível para gastar. Será em função deste montante que deverá ser escolhido o destino para os dias de lazer, qual o tipo de alojamento que é mais viável para si (hotel; casa alugada ou campismo, por exemplo) e como serão feitas as refeições durante esses dias. As suas contas deverão ainda contabilizar outros gastos extra que vai ter durante as férias: os transportes, as portagens, as atividades de lazer, os lanches e os presentes para trazer no regresso a amigos e familiares. É ainda importante incluir no seu orçamento uma parcela para gastos imprevistos.

Se quiser muito ir passar férias a um destino que se encontra neste momento com preços demasiado elevados para a sua carteira, tal não significa necessariamente que tenha de abdicar do destino de férias. Faça uma pesquisa de preços e tente perceber se ficará mais em conta viajar para esse destino numa outra altura do ano (época baixa). Se assim for, tente marcar as suas férias para essa altura.

 

Exemplo:

O Saldo Positivo fez uma pesquisa numa agência de viagens para uma viagem de oito dias ao México, na zona da Riviera Maya, num hotel de cinco estrelas em regime de tudo incluído. Se a partida for feita no início de agosto, a viagem tem um custo de 1.508 euros por pessoa. Mas se o consumidor decidir fazer a viagem durante o mês de outubro pagará 1.034 euros pelas mesmas condições. Ou seja, neste caso, viajar fora da época alta representa uma poupança de 31%.

 

Alojamento: Que opções existem?

O mercado está inundado de soluções de alojamento adequadas ao tamanho de todos os orçamentos: Desde o clássico hotel, passando pelo aluguer de uma casa de férias, pelo alojamento mais informal em ‘hostels’ ou mesmo pelo campismo.

Se gosta do conforto e das comodidades proporcionadas por um hotel, pode escolher o espaço com a melhor relação qualidade-preço recorrendo a sites como o Booking ou o Trivago. Basta inserir o destino, as datas do ‘check-in’ e do ‘check-out’ e o número de pessoas para aceder a uma lista de oferta de hotéis que poderão interessar-lhe. Pode ordenar essa lista pelos hotéis com melhor pontuação ou pelo preço, entre outros critérios.

Se for de férias com um grupo grande, o aluguer de uma casa de férias é uma solução que poderá sair mais barata. Também aqui a internet pode ser uma ferramenta preciosa para encontrar a casa de férias perfeita e dentro do seu orçamento. Sites como o airbnb ou o homeaway são plataformas onde estão disponíveis casas para aluguer de curta duração.

Outra solução, com preços convidativos, é o alojamento em ‘hostels, que funcionam como albergues ou pousadas. Têm um ambiente menos formal do que num hotel e caracterizam-se por haver uma maior socialização entre os hóspedes, já que há espaços que são partilhados por todos. No site Hostel Portugal poderá encontrar a lista dos ‘hostels’ disponíveis em todo o país. Por exemplo, para a zona de Lagos, no Algarve, existem vários ‘hostels’ cujo preço médio ronda 20 euros por noite, sendo que em muitos deles o pequeno-almoço está incluído.

 

E se não quiser gastar dinheiro nenhum no alojamento?

É possível não gastar um único cêntimo com alojamento durante as suas férias. Como? Através do conceito, ainda pouco conhecido em Portugal, do “home swap”. Ou seja, a troca de casas por períodos de curta duração. A lógica é simples: Passe férias na minha casa, que eu passo na sua. Os membros inscrevem-se em sites especializados (como o Home Love Sawp ou o Home Exchange), pagam uma anuidade ou mensalidade e quando têm interesse numa troca de casa de outro membro do site, enviam mensagens e acordam as datas. Não há transações monetárias envolvidas.

 

Transportes: Avião ou automóvel?

A escolha do transporte está diretamente relacionada e condicionada pelo destino de férias. Se o destino for longínquo e a viagem tiver de ser feita de avião, é fundamental comprar os bilhetes com algum tempo de antecedência, caso contrário, e se marcar já muito perto da data de partida corre o risco de haver poucos bilhetes e ter de pagar muito caro por eles. Utilize sites comparadores de tarifas áreas, como o SkyScanner, para encontrar a companhia área que tem os bilhetes mais baratos para o seu caso.

Se fizer a viagem de carro deverá contemplar os gastos com o combustível e as portagens. Também neste caso, a internet pode ajudá-lo a tomar as melhores decisões. Por exemplo, através da aplicação VivaGas, consegue descobrir qual é o posto de abastecimento mais barato para atestar o seu carro durante a viagem. Uma outra solução é o Via Michelin.

 

Três cuidados a ter em conta antes de partir de férias

1. Mantenha a sua casa segura: Todos os anos a PSP realiza a “Operação Férias” (entre os meses de julho e setembro), para garantir a segurança das residências dos portugueses durante os dias em que não se encontram em casa. Para saber mais informações sobre este programa desloque-se à esquadra mais próxima da sua residência.

2. Consulta do Viajante: Se viajar para fora de Portugal e da Europa deverá marcar uma consulta de saúde do viajante. Estas consultas, realizadas por médicos especialistas em doenças infecciosas e em medicina tropical, servem para aconselhar os viajantes dos cuidados a ter durante e depois da viagem e para administrar as vacinas necessárias. Mais informações disponíveis no Portal da Saúde.

3. Tome cuidados para evitar burlas na marcação das férias: São várias as queixas de consumidores que chegam todos os anos à Deco relacionadas com burlas na marcação de férias. A marcação de férias pela internet (seja a reserva de um hotel ou o aluguer de uma casa) implica alguns cuidados por parte dos consumidores. É importante certificarem-se sobre a natureza do site onde estão a fazer a reserva e comunicarem ao máximo com os interlocutores para garantir que o alojamento anunciado corresponde à realidade.

 

Nota: Este artigo foi originalmente publicando na edição de julho da revista Prevenir

 

Leia ainda os seguintes artigos relacionados:

– Subsídio de férias: Como se calcula? Quando deve ser pago?

– 10 Questões sobre direito de férias dos trabalhadores

-Quatro dicas para pôr as suas finanças em dia depois das férias

-Oito passos para construir um orçamento para férias

-Três formas de poupar no alojamento em férias

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB