Quanto pode deduzir no IRS de 2013?

Saiba quanto poderá reduzir no IRS de 2013.

IRSSão cada vez menores as despesas que as famílias portuguesas podem ir recolhendo ao longo do ano para abater no IRS. Depois em 2011 terem sido impostos limites aos benefícios fiscais (100 euros) e de em 2012 terem sido também colocados tetos às deduções à coleta (1.250 euros) , no próximo ano, estes limites serão ainda mais apertados. Para a generalidade das famílias esta é, pois, uma má notícia.

Segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2013 (que ainda está sujeita à votação final no Parlamento), por exemplo, as deduções com os juros associados ao empréstimo da casa serão mais reduzidas. Se na declaração relativa a 2012, as famílias podem ainda abater no IRS cerca de 15% destas despesas até a um limite de 591 euros. No próximo ano, os limites passam a ser de apenas 296 euros. Feitas as contas significa as deduções com os encargos do crédito à habitação caíram 49% no espaço de um ano. E a tendência é para estas deduções serem cada vez menores.

Quem tem casa arrendada também não escapa aos cortes dos limites das deduções. Isto porque ao contrário do que acontecia até agora, em que os contribuintes podiam deduzir 15% das rendas pagas até a um limite de 591 euros, em 2013 o teto baixará para os 502 euros.

Mas não é apenas por esta via que os contribuintes ficarão com menos margem de manobra para baixar a sua fatura fiscal. Isto porque o montante global que os contribuintes poderão apresentar em deduções e benefícios fiscais será menor devido à nova estrutura de escalões de IRS que o Governo prevê implementar em 2013. Recorde-se que a proposta do Orçamento do Estado para 2013 prevê uma redução do número de escalões de IRS, passando dos atuais oito para cinco.

Consulte aqui os novos escalões e saiba quanto irá pagar de IRS em 2013

Com esta reformulação de escalões significa, por exemplo, que uma família com rendimentos anuais entre os 43 mil euros e os 61 mil euros vai poder apresentar deduções no IRS relativo a 2013 até a um valor máximo de 500 euros, quando no regime atualmente em vigor o limite é de 1.150 euros. Há, no entanto, uma boa notícia: as famílias com rendimentos mais baixos (até 7.000 euros) continuam a não ter limites nas deduções e nos benefícios fiscais que apresentem ao fisco.

Conheça na página seguinte as novas tabelas com as deduções e benefícios fiscais a ter em conta em 2013

Continue a ler o artigo nas páginas seguintes: 1 2 | Ver artigo Completo

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB