Quatro boas razões para poupar aos 20 anos

Nunca se é demasiado jovem para começar a poupar. Saiba porque é que deve começar a fazê-lo na casa dos 20 anos.

jovens1Os jovens adolescentes portugueses não têm hábitos de poupança, nem estão familiarizados com a linguagem financeira, de acordo com o estudo “Literacia Financeira: estudo aplicado aos alunos do 3º ciclo do ensino básico e secundário”, da Universidade Portucalense (UPT). Apesar de retratar a geração dos adolescentes, esta atitude pode refletir-se na sua segurança financeira do futuro enquanto jovens, adultos e reformados.

Muitos jovens não consideram importante começar a poupar quando ainda estão na casa dos 20 anos: A reforma parece um “lugar” muito longínquo e há mil e um temas a pairar na cabeça, como por exemplo, como é que se conjuga os estudos, o início da carreira profissional e ainda o divertimento característico da idade. Porém, é exatamente nesta altura que se deve começar a pensar em fazer o primeiro pé-de-meia para o futuro. Conheça quatro razões para começar a poupar antes dos trinta anos.

 

1. É uma altura em que gasta pouco dinheiro

A rebeldia e a aventura características dos jovens na casa dos vinte anos são bastante úteis para ajudar a aforrar. Quando se é novo, ficar em hotéis baratos ou acampar são ótimas formas de viajar e aproveitar a vida, conhecer gente e divertir-se bastante. Na realidade, não é necessário gastar muito dinheiro em férias, porque existem inúmeras opções dentro do orçamento e apropriadas para a idade. E a melhor notícia é que os seus amigos estão todos na mesma situação, pelo que não estará sozinho.

Esta é a fase da vida em que muitos jovens começam a trabalhar mas ainda não têm encargos pesados para suportar, como é o caso do crédito à habitação. Por isso, aproveite a juventude para poupar.

 

2. Pode precisar mais tarde

Poucos são os jovens que terminam a universidade e começam a sua carreira de sonho. Em muitos casos, até pode encontrar emprego na área escolhida, porém nem sempre na profissão que o apaixona. Até lá, terá de começar por baixo, fazendo trabalhos que não são do seu agrado ou que não têm nada a ver com o que deseja fazer. Mas ter um trabalho que não seja do seu agrado é melhor do que estar parado à espera do seu emprego de sonho que pode tardar ou não chegar. Aproveite esta altura para poupar dinheiro. O dinheiro poupado pode ser muito útil se, a determinada altura da sua vida, queira dar uma volta de 180 graus e seguir um caminho completamente diferente, como por exemplo, tornar-se empreendedor, uma mudança radical de carreira ou então ingressar na universidade. Nessa altura, irá ficar grato por ter aforrado aqueles euros para ter recursos para aguentar algum tempo sem rendimentos, se for necessário. Ter esse dinheiro guardado irá dar-lhe sensação liberdade para prosseguir os seus sonhos, em vez de ficar “agarrado” a um emprego que não o preenche só para pagar as contas mensais.

 

3. Mais tarde é que chegam as despesas “sérias”

Na casa dos vinte dificilmente pensa num “azar” que lhe possa acontecer no futuro, uma vez que o que interessa é viver o presente. Porém, deve começar nessa altura a fazer um fundo de emergência, para prevenir que uma eventualidade possa comprometer a sua estabilidade financeira ou simplesmente colocar dinheiro numa conta poupança para o ajudar a financiar algumas despesas.

Por regra, perto dos 30 anos é quando começa a pensar em casar ou viver em união de facto, ter filhos, comprar ou arrendar uma casa para viver (sem ser partilhada com os amigos). As economias que possa ter guardadas são fundamentais para que consiga financiar alguns dos seus sonhos sem ter de ficar demasiado endividado.

 

4. Quanto mais cedo começar, menos esforço terá de fazer

Esta é uma máxima muito comum das finanças pessoais e aplica-se perfeitamente nesta situação. Por muito que pareça contranatura pensar na reforma quando se tem 22 anos, esta altura irá chegar e é importante estar financeiramente preparado, para que possa manter o estilo de vida a que se habituou até então. Com os problemas que têm surgido na Segurança Social, as reformas estão cada vez mais reduzidas e as perspetivas não são animadoras. Por isso, é muito importante poupar dinheiro. E quanto mais cedo começar a fazê-lo menos vai custar-lhe.

Para isso, faça uma estimativa de quanto é que vai precisar por mês, como complemento à reforma, e quanto é que terá de poupar por mês para conseguir alcançar esse valor à data da reforma (66 anos). Se começar a poupar enquanto ainda está na casa dos 20, o esforço mensal será muito inferior ao que terá de fazer se só começar a poupar aos 30 ou aos 40. A título de exemplo: Se quiser poupar 40 mil euros até aos 66 anos e começar aos 22 anos terá de colocar de lado, todos os meses, 47,5 euros. Se começar a poupar aos 35 anos, terá de aforrar 77,81 euros. E se começar aos 45 anos, então o esforço mensal é de 127,9 euros. De referir que estas contas foram feitas sem tendo como pressuposto que o pé-de-meia obtém uma rendibilidade média de 2% por ano. Os números não contemplam o efeito da inflação.

 

Leia também:

Como conciliar um emprego com os estudos?

Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens

Quanto custa aprender uma língua nova?

Seis vantagens financeiras para os jovens

Estudar longe de casa e minimizar custos

 

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB