Quer ser ‘freelancer’? Saiba o que deve ter em conta

Ser 'freelancer' é ter mais tempo para si próprio, mas também implica boa gestão do tempo e do dinheiro. Conheça os conselhos do Saldo Positivo.

3. Lembre-se dos impostos
Quando trabalha por conta própria é muito importante que tenha as suas contas em ordem e conheça as suas obrigações para não ter problemas com o Fisco ou com a Segurança Social.

De uma forma muito resumida estas são as obrigações de um trabalhador a “recibos verdes”: Todos os meses tem de pagar a Segurança Social e tem de fazer retenção na fonte (25%) para efeitos de IRS. Se no ano anterior tiver recebido até 10 mil euros não é obrigado a fazer retenção na fonte todos os meses e apenas tem de “acertar contas” com as Finanças quando entregar a sua declaração de IRS. Se tiver recebido um valor acima dos 10 mil euros, passa a ser obrigado a fazer retenção na fonte todos os meses. Há ainda a responsabilidade de pagar o IVA, cujo pagamento é feito trimestralmente. Se no ano civil anterior não tiver obtido rendimentos brutos superiores a 10 mil euros, o trabalhador está isento de fazer a cobrança de IVA. De ressalvar que a Segurança Social e IRS são suportados pelo próprio, enquanto o IVA é suportado pelo cliente.

Portanto, ter a “papelada” organizada é sinónimo de finanças pessoais saudáveis. Um conselho: faça um mapa anual com todas as obrigações às Finanças e Segurança Social, para que não lhe escape nenhum pagamento.

 

4. Tenha um fundo de emergência
Tal como acontece no orçamento familiar mensal, todas as pessoas também deveriam ter um fundo de emergência que contenha um valor equivalente a, pelo menos, seis meses de despesas fixas mensais para alguma eventualidade. No caso dos trabalhadores ‘freelancer’, este fundo de emergência é ainda mais urgente e deverá ser mais abastado, pois funciona como uma rede de segurança.

 

5. Cobre um preço justo
Como ‘freelancer’ necessita saber quanto é que o seu trabalho vale. Determinar quanto é que uma hora do seu dia de trabalho vale pode ser intimidativo, por isso, o melhor é fazer as contas: conheça todas as suas despesas fixas e variáveis, conte com o subsídio de férias, de natal e de almoço que não recebe ao trabalhar por conta própria, defina quantas horas é que vai trabalhar por semana e chegue a um valor.

É importante que não cobre menos do que precisa para viver, se não pode dar-se o caso de deixar de conseguir fazer face às despesas mensais ou então acaba por apenas conseguir pagar as contas fixas, ficando sem margem para nada, como um jantar fora ou comprar uma peça de roupa que necessite

 

6. Seja “camaleão”
Se decidir trabalhar por conta própria terá de habituar-se a viver na “corda bamba”. Quando os rendimentos mensais são menores do que estava à espera (porque um cliente ainda não pagou, por exemplo) deverá conseguir viver com menos dinheiro. Nestas situações, evite recorrer demasiado ao cartão de crédito, caso contrário poderá entrar em situação de sobre-endividamento, da qual é difícil sair.

Outro aspeto a ter atenção é que deve ajustar a sua remuneração aos tempos. Se mantiver o mesmo preço, enquanto o custo de vida aumenta, pode dar por si apenas a “sobreviver”. Mas também não deverá aumentar de tal forma o preço, que afugente os seus clientes.

 

7. Poupe para a reforma
Este ponto é muito importante. Todas as pessoas têm de poupar para a reforma para não perderem qualidade de vida de vida durante a velhice, mas os trabalhadores independentes devem fazer um esforço extra para colocar todos os meses algum dinheiro de lado. Pode ser mais difícil, porque não existe a certeza de quanto dinheiro irá ganhar todos os meses e se vai dar para canalizar para a poupança, e exige alguma ginástica, mas deverá habituar-se a fazê-lo.

Quanto mais depressa começar, menor será o esforço mensal.

 

Cinco sites para encontrar emprego para ‘freelancers’

Zaask – É uma espécie de rede social onde os trabalhadores ‘freelancers’ podem oferecer o seu trabalho. E quem procura determinado serviço também podem afixar o pedido.

Elance – É um dos melhores sites para ‘freelancers’ de várias áreas, como escritores, jornalistas, advogados, consultores financeiros, entre outros.

Guru – Aqui pode encontrar trabalhos para ‘freelancers’ em áreas diversas como tradução, design, arquitetura ou vendas.

People per Hour – Aqui pode criar um perfil que chame à atenção de potenciais contratadores e enviar propostas para possíveis clientes.

Pitch me – É um site especifico para jornalistas, que se divide por moda, ciência, cultura, política, tecnologia, entre outros.

 

Para saber mais sobre este assunto, leia também:

-Saiba tudo o que pode deduzir na próxima declaração de IRS

– Sabe para onde vão os seus impostos?

– Recibos verdes e IRS: O que saber?

– Como funcionam os recibos verdes electrónicos

– Minimalismo: Como funciona o movimento que ajuda a poupar?

 

Continue a ler o artigo nas páginas seguintes: 1 2 | Ver artigo Completo

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB