- Saldo Positivo - http://saldopositivo.cgd.pt -

Regresso às aulas

Depois das férias é tempo de pensar no regresso às aulas dos seus filhos. Cadernos, mochilas, livros, lápis, canetas, aparelhos electrónicos, mais a roupa. É quase altura para levar as mãos à cabeça, só de pensar no impacto que tudo isso terá na sua sua conta bancária, mas lembre-se que não é motivo para desespero, existem sempre formas de poupar e reduzir os gastos.

Quando recomeçam as aulas, são os pais que têm de equilibrar as contas

Antes de pegar nos seus filhos e de se dirigir às lojas, existem alguns passos que deve procurar dar:

1. Dê uma volta ao armário do seu filho, veja as roupas que ainda servem. Dê as que já não vão ter uso. Observe as gavetas e a secretária. Provavelmente, há coisas que podem ser reaproveitadas, como a mochila ou canetas ou algum outro material escolar;

2. Consulte a lista de material escolar exigida pela escola e veja o que realmente precisa de comprar e o que tem em casa;

3. Estipule um tecto máximo para a despesa e informe o seu filho desse valor. É importante que ele saiba até quanto pode gastar, para quando for escolher o material ter em atenção os preços e não exceda o limite estipulado por si;

4. Os manuais escolares são caros, antes de comprar verifique se existe um amigo, irmão ou familiar mais velho que tem e que possa emprestar;

5. Tome atenção às promoções dos espaços comerciais. Por esta altura, existem sempre muitos catálogos a circular nas caixas do correio e nos jornais. De acordo com a lista de compras que fez, verifique qual é o estabelecimento que lhe oferece os melhores preços;

6. Não se esqueça dos benefícios fiscais que o Estado concede. Pode deduzir até 30 por cento das despesas com educação, com o limite de 760 euros. Se tiver três ou mais dependentes, são acrescidos mais 135 euros por cada um deles, desde que existam gastos relativos a todos.

7. Agora que já fez as compras para o ano lectivo, incentive os seus filhos a poupar o material novo. A forrar livros, a pôr o nome nas suas coisas, a tratá-las com cuidado. Essa é a melhor maneira de não ter de comprar coisas iguais no próximo ano.

Nota: Não se esqueça dos benefícios fiscais que o Estado concede. Pode deduzir até 30 por cento das despesas com educação, com o limite de 760 euros.