Seguro de saúde gratuito em viagem

O Seguro de Saúde em viagem é gratuito e pode evitar que se meta em despesas desnecessárias durante as suas férias.

“Mais vale prevenir que remediar”, é um ditado bastante antigo e que se aplica a várias situações da vida. Quem vai de férias não está à espera que o pior aconteça, mas a vida pode trocar-lhe as voltas e, quando menos esperar vê-se a caminho do hospital, quando deveria estar a descansar.

Se vai viajar pela Europa, peça o Cartão Europeu de Seguro de Doença. É gratuito e pode evitar que se meta em despesas desnecessárias durante as suas férias.

Previna-se!  Evite que um percalço se torne num desaire financeiro e lhe estrague o bom humor veraneante. Se vai viajar para algum dos 27 países da União Europeia, e ainda Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, não se esqueça de requisitar o Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD). Este será de grande utilidade caso lhe aconteça algum imprevisto, como partir uma perna, ficar subitamente doente ou for alvo de uma simples picadela de mosquito. O que se poderia tornar num transtorno, é minimizado caso leve na sua bagagem este cartão, pois facilita o acesso a ajuda médica e assegura o reembolso das suas despesas logo que regresse ao país de origem. A isto junta-se o facto de ser gratuito.

Com o Cartão Europeu de Seguro de Doença tem acesso aos mesmos cuidados de saúde que os cidadãos que vivem nesse país. Este serve de prova junto de médicos, hospitais e farmácias, garantindo aos titulares a igualdade de tratamento.

Vantagens:

  • Consoante a legislação aplicável no país em que se encontre, os cuidados de saúde podem ser gratuitos.
  • Caso tenha de pagar algumas prestações, estas ser-lhe-ão reembolsadas.
  • As prestações cobertas pelo cartão incluem cuidados a grávidas e tratamentos relacionados com doenças já diagnosticadas ou crónicas como a asma, a diabetes e o cancro.
  • Pode efectuar tratamentos específicos, como por exemplo a diálise. No entanto, é necessário tomar providências antes de sair do país para poder ter acesso a serviços especializados.

E se me esquecer do cartão de saúde em casa?

Não se preocupe porque o médico não lhe irá recusar o tratamento. Mas visto não ter o documento para apresentar, é provavel que lhe peçam para pagar a despesa na totalidade e no regresso não há garantia que os custos que teve sejam reembolsados. O prestador dos cuidados de saúde pode pedir-lhe que pague a despesa na totalidade, ou que pague uma parte dos custos que uma pessoa segurada no mesmo Estado não teria de pagar.

Numa situação de emergência, pode pedir à Segurança Social ou à instituição que o abrange que lhe envie, por fax ou correio electrónico, um Certificado Provisório de Substituição (CPS). Este é equivalente ao Cartão Europeu de Seguro de Doença e dá-lhe o mesmo direito a cuidados de saúde e ao reembolso dos custos correspondentes durante uma estada temporária noutro país.

Como posso obter o cartão?

Deve solicitá-lo no sistema que o abrange. Se for o regime geral de Segurança Social ou Caixa de Previdência, deverá requisitar nos Centros Distritais, Serviços Locais ou Lojas do Cidadão. Os beneficiários do regime geral de Segurança Social podem ainda solicitar o cartão por correio electrónico. Uma vez emitido, o cartão é enviado via postal para o domícilio do titular, sete dias úteis após a ordem de emissão.

Se estiver sob a alçada de um subsistema de saúde (ADSE ou SSCGD, por exemplo), deverá dirigir-se à instituição responsável e requisitar o cartão. Encontrará ainda mais informações no Portal da Saúde.

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB