Sete dicas financeiras para mulheres

As mulheres vivem mais tempo, ganham menos e estão em maior risco de pobreza. Conheça sete conselhos para gerir melhor o seu orçamento.

mulheres1Os números não mentem: as mulheres vivem mais anos do que os homens – em 2013 a esperança média de vida das mulheres era 84 anos enquanto a dos homens era 77,6 anos – ganham menos e o risco de pobreza entre o género feminino também é superior – 20% das mulheres estão em risco de pobreza contra 18,9% dos homens, segundo o  Inquérito às Condições de Vida e Rendimento. Quer sejam casadas ou solteiras, com ou sem filhos, é importante que as mulheres comecem a olhar para as suas finanças de forma mais atenta e se preocupem com alguns pormenores importantes como a poupança para a reforma. Conheça sete conselhos para gerir as suas finanças de forma cuidada.

 

1. Não confie a sua segurança financeira numa terceira pessoa

Susana Albuquerque, da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado, disse em entrevista ao Saldo Positivo, que o maior erro financeiro que as mulheres cometem é entregar a gestão do seu dinheiro aos seus maridos ou companheiros de forma cega. Por muito que seja avessa a estes assuntos, se é casada ou vive em união de facto é importante que seja uma voz ativa em tudo o que se passa nas contas da família. Isto é particularmente relevante caso haja uma reviravolta na sua vida – divórcio ou viuvez, por exemplo. Leia o artigo:  Sete lições sobre dinheiro que todos devem saber

 

2. Conheça a situação financeira da família

Como já foi acima dito, é importante que não confie cegamente as finanças do casal a outra pessoa. O casal deve agir em parceria, mas se não gosta dos assuntos das finanças, é, pelo menos, importante que se mantenha sempre a par da situação financeira da família. Assim sendo, é determinante que conheça bem o orçamento familiar: qual o peso dos créditos nas contas da família, qual o valor das despesas fixas mensais, quanto é que o agregado ganha por mês e quanto é que conseguem poupar.Leia o artigo: Quatro sinais de que não está a gerir bem  o dinheiro

 

3. Estabeleça objetivos financeiros

Uma boa forma de estar sempre a par da sua situação financeira é estabelecer objetivos financeiros, como por exemplo: poupar para comprar um automóvel, para ir de férias, para que os filhos consigam ir para a faculdade ou para a reforma. Assim, deverá identificar todos os seus objetivos financeiros, separá-los por curto, médio e longo prazo, estabelecer uma quantia por mês para poupar para essas metas e avaliar regularmente como estão a progredir. Se for necessário, faça algum ajustamento para equilibrar as contas. Leia o artigo: Cinco más estratégias de poupança para as suas finanças

 

4. Gaste menos do que ganha

Esta é uma regra básica das finanças pessoais. Para se assegurar que não está a gastar demasiado para os rendimentos que ganha deverá fazer o orçamento familiar. Esta ferramenta será fundamental para manter o controlo do dinheiro, saber quanto dinheiro é que está a gastar e onde está a gastá-lo. Se descobrir que está a gastar uma parcela demasiado elevada em artigos supérfluos, comece a cortar nos gastos para encontrar um equilíbrio. Leia o artigo:  Saiba como as emoções podem arruinar as poupanças

 

5. Aposte na educação e formação

A diferença salarial entre homens e mulheres continua a ser uma realidade nos dias de hoje. Segundo dados publicados no CITE – Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego –, relativos a 2012, as mulheres ganham, em média, menos 185 euros do que os homens. Esta desigualdade salarial é mais acentuada quanto maior é o grau de qualificação. Apesar disto, é importante que aposte constantemente na qualificação e formação por forma a ganhar novas competências e a ter acesso a oportunidades profissionais e salariais que não teria de outra forma. Leia o artigo: Sete formas low cost de continuar a estudar

 

6. Não gaste tudo com os filhos

Outro dos “pecados” financeiros apontados às mulheres é, precisamente, gastarem muito dinheiro com as necessidades dos filhos e acabarem por se esquecerem de si, nomeadamente de poupar. Com isto, pretende-se que acima de tudo mantenha as contas em ordem, assegure a estabilidade financeira da família e consiga poupar. Depois disto, se houver margem poderá destinar uma parcela dos rendimentos para gastar com as necessidades secundárias dos filhos, como os brinquedos ou atividades de lazer. Outro conselho importante é evitar tirar dinheiro das poupanças para satisfazer um capricho dos filhos. Leia o artigo:  Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos

 

7. Poupe para a reforma

Todas as pessoas devem poupar para a reforma, mas as mulheres devem poupar uma parcela superior por dois motivos: vivem mais tempo do que os homens e ganham menos do que os homens – terão uma reforma inferior. Assim, é importante que comece a poupar o quanto antes para que o esforço financeiro seja mais reduzido, e assim não perder qualidade de vida quando a velhice chegar. Leia o artigo: Sete dicas para se reformar mais cedo

 

Produtos para elas

Para as mulheres, é muito importante sentirem-se seguras no que diz respeito ao dinheiro. Nesse sentido, já existem no mercado diversos produtos  concebidos especialmente para o género feminino, como cartões de crédito, seguros  ou  produtos de investimento. Saiba mais aqui.

 

Leia também:

Seis dicas para negociar um desconto

Como abrir uma conta bancária noutro país da União Europeia?

Comprar ou arrendar casa? Descubra os prós e os contras

Contas-ordenado: Conheça quatro vantagens

Conheça seis formas preguiçosas para conseguir poupar

Seis dicas para vender artigos usados na internet com sucesso

Tudo o que pode ganhar se pedir fatura

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB