Sete dicas para alugar um automóvel neste verão

Se está a pensar em alugar um automóvel nestas férias, conheça alguns conselhos que deve ter em conta.

AutomóvelartigoAlugar um automóvel para as férias é uma tarefa mais complicada do que à partida parece. Se acha que não, pense em algumas das variáveis envolvidas na reserva de um veículo: escolher modelo de acordo com as necessidades, com o combustível, com o preço, onde o vai buscar, onde o vai entregar, analisar taxas “escondidas” ou política de reabastecimento de combustível. A lista de itens a ter em consideração é interminável e todas as opções vão refletir-se na conta final a pagar.

Para evitar ser apanhado de surpresa na hora da fatura é importante que considere todos os fatores. Conheça sete dicas se pretende alugar um automóvel para as férias.

 

1. Reserve o quanto antes

Planear antecipadamente é uma das melhores dicas para que tudo corra bem e consiga poupar dinheiro, uma vez que os carros mais baratos são alugados mais rapidamente. Pense na viagem que vai fazer e delineie um plano: Aproximadamente, quantos quilómetros vai percorrer? Quem vai conduzir? Vai entregar o automóvel no mesmo sítio em que o vai levantar? Pretende sair do país onde vai realizar aluguer com o automóvel? Depois de ter respondido a estas e a outras perguntas com algum cuidado é hora de pesquisar. Leia também o artigo: Cinco meios de transporte mais ecológicos

 

2. Faça uma pesquisa de mercado

A internet é um bom ponto de partida, uma vez que as empresas que alugam automóveis disponibilizam toda a informação nos seus ‘sites’, além disso, existem portais que agregam informação de várias companhias que operam neste mercado.

Se tiver dúvidas, pode solicitar informações através do endereço eletrónico ou via telefone. A Deco chama à atenção para o facto de que muitas vezes os preços anunciados correspondem a serviços diferentes.

“Certifique-se de que compara o que é comparável e averigue se não há extras escondidos”, pode ler-se no artigo. Segundo a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, o anúncio deve conter informações como: seguros incluídos na tarifa base, tamanho e capacidade do carro, mostrar tarifas aplicadas aos extras, como condutores adicionais e não cobrar taxas adicionais por pagamentos com cartão de crédito.

 

3. Conheça a caução

Quando aluga um veículo, provavelmente, terá de deixar uma caução (depósito financeiro), cujo valor cubra os custos estimados do aluguer e de quaisquer outros custos inerentes a possíveis danos e/ou perdas causados ou sofridos no veículo. É assim importante que conheça antecipadamente o valor da caução que pode ser elevado. O valor da caução pode variar consoante alguns fatores como: Meio de pagamento, categoria do veículo, tipo de carta de condução e a franquia do seguro contratado. Leia também o artigo:  O que fazer em caso de um acidente de automóvel 

 

4. Verifique os seguros e franquias

Os veículos de aluguer incluem sempre os seguros obrigatórios para o país que circulam (por exemplo, em Portugal é obrigatório ter o seguro contra terceiros), mas pode sempre optar por adicionar coberturas extras, como por exemplo por excesso de carga, proteção antirroubo ou contra todos os danos.

Algumas destas coberturas podem já estar incluídas no seguro que está a contratar, mas tenha em atenção que podem estar sujeitas a franquia (montante pelo qual o cliente é responsável em caso de acidente), que é estabelecida pela companhia de seguros. Por regra, as empresas que alugam automóveis também disponibilizam seguros que cobrem o valor da franquia, mas são sempre opcionais e não estão incluídos no preço do aluguer.

 

5. Conheça a política de combustível

Terá de entregar o automóvel com o tanque de combustível cheio ou vazio? Existem, por regra, duas modalidades: “cheio para vazio” (‘full to empty’) ou “cheio para cheio” (‘full to full’). Na primeira, as empresas cobram ao cliente um tanque de combustível cheio no início do aluguer e, na maior parte dos casos, não há reembolso por combustível não utilizado, por isso deve entregar o veículo com o mínimo de combustível possível. O preço por litro é normalmente mais elevado do que num posto de combustível. Na segunda hipótese, a empresa entrega o automóvel com o tanque atestado e o cliente deve entregá-lo da mesma forma, caso contrário, terá de pagar o combustível em falta e ainda uma taxa de serviço. Leia também o artigo: 10 Dicas para poupar nos transportes

 

6. Informe-se sobre a política de cancelamento

É importante contar com os imprevistos. Pode surgir algum contratempo que o impeça de realizar a viagem e, dessa forma, não necessitar de alugar o automóvel. Antes de confirmar o aluguer, confirme qual é a política de cancelamento. Algumas companhias têm a modalidade de cancelamento gratuito e permitem que cancele a reserva sem custo. Outras empresas permitem o cancelamento sem custos extra até alguns dias antes da data do aluguer (três dias, por exemplo), enquanto outras não fazem reembolso em caso de cancelamento.

 

7. Entenda a quilometragem

Quando assina o contrato de aluguer de automóvel certifique-se que lê atentamente todos os parâmetros. Um dos mais importantes é saber se o aluguer é para quilometragem fixa ou ilimitada. Se se tratar de quilometragem fixa, é importante conhecer o seu limite diário e a base para calcular quilómetros adicionais. Verifique também se a quilometragem que consta no contrato está correta. Leia também o artigo: Oito conselhos para prolongar a vida do seu carro

 

Leia também os seguintes artigos:

– Oito dicas para comprar um carro usado 

– Conheça o novo incentivo fiscal ao abate dos automóveis 

– Sabe o que é o carsharing?

– O que pode acontecer se não circular sem seguro automóvel

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB