Sete dicas para poupar nos cuidados de saúde

O Saldo Positivo apresenta-lhe algumas dicas para poupar nos cuidados de saúde. Fique a conhecê-las.

Publicado em: Particulares Poupar Saúde

cuidados de saúdeCom a chegada do Inverno adensam-se as preocupações e os cuidados com a saúde. Os números mostram que as famílias estão a gastar mais dinheiro com a manutenção da sua saúde. Segundo um relatório da OCDE, divulgado em novembro de 2013 mas referente ao ano de 2011, as famílias portuguesas gastavam na altura 4,3% do seu rendimento nesta área, um valor que compara com os 2,9% registados pela média dos países da OCDE. Este aumento das despesas das famílias é um reflexo da crise económica e dos cortes que o Estado tem feito na despesa dedicada aos cuidados de saúde.

Porque a saúde é um bem valioso, o Saldo Positivo apresenta-lhe algumas dicas para não gastar mais dinheiro do que aquele que pode com a sua saúde.

 

1. Mantenha uma alimentação saudável

Reduzir nos doces, álcool e carne já é um bom caminho para manter-se saudável. Aposte nas frutas, vegetais e peixe para saciar a fome e em ‘snacks’ saudáveis para comer durante o dia. É através destes alimentos que vai buscar muitas vitaminas e nutrientes que o vão ajudar a combater e a prevenir algumas doenças. Para saber como pode manter uma alimentação saudável sem gastar muito dinheiro, leia o artigo do Saldo Positivo “Seis dicas para ter uma alimentação saudável low cost”.

 

2. Faça exercício físico

Faça corridas ou caminhadas em vários locais da sua cidade. Além do bem-estar físico e emocional, ainda está a impedir o desenvolvimento da obesidade e de doenças cardiovasculares. Ao não pagar ginásio está também a poupar. Mas não se esqueça de usar o equipamento adequado: a utilização do calçado correto pode ajudá-lo a prevenir lesões musculares. Se preferir a bicicleta às caminhadas, lembre-se de utilizar capacete e de seguir as regras de circulação.

 

3. Faça “check-ups” regulares

Visitas regulares ao seu médico podem trazer-lhe algumas vantagens, pois conseguem detetar problemas de saúde antes de eles mesmo começarem ou ajudarem a um diagnóstico precoce de determinadas doenças. Ao ter os cuidados de saúde corretos e análises e tratamentos médicos em dia está a dar um passo importante para uma vida mais saudável e a prevenir-se contra futuras despesas de saúde.

 

4. Opte por medicamentos genéricos

Peça ao seu médico para que, sempre que possa, lhe receite medicamentos genéricos. Estes medicamentos têm a mesma qualidade, eficácia e segurança que um medicamento original mas o seu preço é bastante inferior. Assim, além de estar a cuidar da sua saúde, também está a poupar dinheiro. Os números do Portal da Saúde mostram que estes medicamentos são entre 20% a 35% mais baratos do que os medicamentos de referência. Pode consultar os preços dos medicamentos genéricos através da sua substância ativa no site do Infarmed.

5. Renegocie o seu seguro de saúde

Se está a pensar em reavaliar o seu seguro de saúde, pense em todas as coberturas que mais falta lhe fazem. Livre-se das coberturas acessórias e pouco relevantes e conseguirá poupar algum dinheiro. Aproveite também os ‘packs’ familiares. Algumas seguradoras apostam em seguros para toda a família, o que torna a sua despesa mais barata. Desta forma, quantas mais pessoas agregar à sua apólice, mais em conta irá ficar o seu seguro. Além disso, tenha em atenção as exclusões do seu seguro de saúde.

 

6. Opte pelas consultas de medicina dentária nas faculdades de medicina

Se o seu orçamento não permite pagar consultas de medicina dentária ou higiene oral tradicionais, pondere optar por consultas com os alunos e clínicos das faculdades de medicina dentária, espalhadas pelo País, a preços mais em conta. Por exemplo, na faculdade de medicina dentária da Universidade de Lisboa, o preço de uma consulta com alunos poderá ficar por 20 euros. Na faculdade de medicina dentária da Universidade do Porto, os preços são ainda mais em conta: Uma consulta com exames médicos pode ficar-lhe por 16,5 euros.

 

7. Aproveite as “borlas” nas taxas moderadoras

Ao doar sangue, células, tecidos ou órgãos poderá salvar uma vida, mas está também a poupar a sua carteira. Os dadores não pagam taxas moderadoras nos cuidados de saúde primários, isto é, nos centros de saúde. Lembre-se que para doar sangue só precisa de ter entre 18 e 65 anos, peso superior a 50 kg, um bom estado de saúde e vida saudáveis. As taxas moderadoras são também gratuitas para grávidas e parturientes, crianças até aos 12 anos, utentes e membros de agregados familiares com situação económica insuficiente comprovada, utentes com grau de incapacidade igual ou superior a 60%, doentes transplantados, militares e ex-militares das Forças Armadas que se encontrem incapacitados de forma permanente, bombeiros e a desempregados inscritos nos centros de emprego e que auferem subsídio de desemprego igual ou inferior a 1,5 vezes o indexante de apoios sociais.

 

Se gostou deste artigo, leia também: 

– Ginásios Low Cost: Como fazer exercício por 15 euros por mês

– 10 coisas que deve fazer pela sua saúde

– Combata o stress com ginástica laboral

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB