Saiba como as ‘soft skills’ podem ajudá-lo a encontrar emprego

As 'soft skills' já têm tanta importância na hora de contratar como as capacidades técnicas. Saiba como poderá potenciá-las.

soft skillsCom o mercado de trabalho cada vez mais competitivo é mais fácil para um recrutador encontrar um candidato que tenha as competências académicas procuradas. O problema surge quando se trata de encontrar um candidato que possua as competências interpessoais importantes para realizar uma determinada tarefa. As chamadas ‘soft skills’ ou habilitações interpessoais começam a andar de mãos dadas com as ‘hard skills’ (ou seja, as capacidades técnicas), uma vez que cada vez mais as empresas procuram candidatos que possuam tanto habilitações técnicas como interpessoais. O problema é que as ‘soft skills’ são competências que não se adquirem com formação, mas antes através de experiências de vida, o que pode dificultar o seu desenvolvimento. Isto significa, por exemplo, que “ensinar” alguém a ser paciente pode levar mais tempo do que ensinar alguém a aprender uma nova língua.

 

1. O que são as ‘soft skills’?

As ‘soft skills’ são qualidades intrínsecas a cada um e incluem os nossos hábitos, atitudes e a forma como convivemos com outros. São mais difíceis de aprender do que as competências técnicas, uma vez que não podem ser ensinadas. No entanto, se não possui boas capacidades de socialização ou de convivência com os outros existem formas de dar à volta à sua inaptidão. Pode, por exemplo, perguntar às pessoas com quem trabalha quais são os seus interesses e gostos, o que vai ajudá-lo a ganhar fama de bom ouvinte. Não critique opiniões e não deixe que o seu ‘sabe tudo’ interior esteja sempre a corrigir coisas triviais e não assuma o pior das pessoas, principalmente das pessoas com quem trabalhar diretamente.

 

2. Porque são importantes?

Atitude positiva, autoconfiança, competências comunicacionais e capacidade de trabalhar em equipa estão entre as capacidades interpessoais mais procuradas pelos recrutadores, uma vez que são importantes para determinar o sucesso de uma equipa. Pessoas que não tenham este tipo de capacidades acabam por não ter o êxito pretendido pelos recrutadores, o que pode significar que não são as pessoas adequadas para as vagas de emprego. Se tem uma má atitude em relação a algumas tarefas, por mais básicas que elas sejam, a sua relação com os seus colegas ou empregadores pode não ser a mais feliz. Pode ser até a pessoa mais inteligente do mundo, mas se não mostra simpatia ou afinidade isso irá diminuir o impacto da sua capacidade total.

 

3. O que procuram os recrutadores?

Capacidades para priorizar trabalho, flexibilidade, paciência, resolução de problemas, pensamento crítico, vontade de aprender e motivação são também algumas capacidades interpessoais que os recrutadores mais procuram. As ‘soft skills’ começam a ganhar importância porque ajudam a desempenhar as funções profissionais de forma eficaz e eficiente, além de que melhoram as relações com empregadores, colegas e outras pessoas com quem lida no dia-a-dia. Por isso é importante que no seu curriculum vitae dedique uma parte alusiva às ‘soft skills’ que possui, especificando em que situações as utilizou.

 

Leia também os seguintes artigos relacionados com o mesmo tema:

Conheça o novo apoio para desempregados sem subsídio 

– Simulador: Saiba se tem direito ou não ao subsídio de desemprego

10 dicas para procurar emprego de forma eficaz

 Saiba como ter um currículo vencedor em 2014

– Como escrever uma boa carta de apresentação em sete passos 

– Sete regras de ouro para arrasar numa entrevista de emprego

 

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

PUB