Três regras de ouro para procurar emprego

Encontrar emprego quando a oferta de mão-de-obra é muita e os empregos escassos, pode ser difícil, mas não impossível.

procurar_trabalhoNo primeiro trimestre de 2015 existiam 712,9 mil desempregados em Portugal. Este número representa uma fatia de 13,7% da população ativa, mais 0,2 pontos percentuais do que no último trimestre de 2014, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística. Encontrar emprego quando a oferta de mão-de-obra é muita e os empregos escassos, pode ser difícil, mas não impossível. Para ajudar quem procura emprego, o Instituto do Emprego e Formação Profissional elaborou o guia “Como procurar emprego“, com dicas que podem ser úteis nesta demanda. Conheça as três regras básicas para encontrar emprego.

 

1. Conheça-se a si mesmo

O mercado de trabalho está em constante mutação e, por vezes, é necessário procurar novas formas de se reintegrar. Por isso, este é o primeiro passo para encontrar emprego. Nesta fase, irá fazer um balanço das suas competências pessoais e profissionais, assim como definir os seus pontos fortes e fracos. Reflita sobre todas as suas experiências e retire tudo o que pode aproveitar em termos profissionais.

Em primeiro lugar, deve procurar perceber quais as competências que o mercado pede na área onde está à procura de trabalho. Por exemplo, é necessário saber trabalhar em equipa, ter boas técnicas de comunicação, saber gerir o tempo? Depois, faça uma lista de todas as atividades que já fez, tanto profissionalmente como a nível pessoal, que possam encaixar-se nas características pedidas. Se chegar à conclusão que não tem todas as competências que o mercado pede, ou que poderia melhorar alguns aspetos, equacione a hipótese de atualizar os seus conhecimentos, por forma a ir ao encontro das necessidades do mercado de trabalho.

 

2. Conheça o mercado de trabalho

Procurar trabalho implica saber adaptar-se ao contexto em que está inserido. Para conhecer o mercado de trabalho é importante analisar algumas caracteristicas, como por exemplo: a taxa de ocupação, as áreas em expansão, os requisitos mais solicitados e os constrangimentos sócio-económicos.

Poderá aceder a esta informação através de estatísticas de emprego, regularmente divulgadas pelo IEFP, analisando anúncios de emprego, explorando portais da internet, revistas ou fóruns da especialidade, bem como através da rede de contactos. Outra forma de conhecer o mercado é visitando os sites das principais empresas que operam no ramo de atividade em que pretende entrar. Aqui poderá encontrar informações valiosas como: os valores, principios e visão. Esta pesquisa é importante para conhecer o mercado, assim como o que as entidades procuram ou valorizam nos seus colaboradores.

 

3. Conheça as várias técnicas para procurar emprego

O balanço pessoal e a pesquisa sobre o mercado de trabalho são uma ajuda preciosa para encontrar trabalho. No entanto, as técnicas para procurar trabalho têm mudado bastante nos últimos anos, com o advento da internet e das redes sociais. Por isso, é muito importante que conheça todas as “portas onde pode bater” e como é que pode contactá-las.

– Centro de Emprego. Mesmo que não esteja a receber subsídio de desemprego, se está desempregado e à procura de um lugar no mercado, é importante inscrever-se no Centro de Emprego. Aqui poderá aceder a ofertas de emprego, em Portugal e no estrangeiro, estágios ou inserir-se em algum dos programas de apoio à contratação. Através da Bolsa de Emprego virtual do IEFP poderá divulgar o seu currículo e pesquisar as oportunidades de emprego disponíveis.

– Agências de recursos humanos. São instituições contratadas pelas empresas para recrutar e selecionar candidatos. Funcionam como mediadores entre as empresas finais e os candidatos. É importante inscrever-se para divulgar o seu currículo e ter acesso a ofertas de emprego. Existem multiplas empresas que operam nesta área. Faça uma pesquisa na internet por empresas de recursos humanos ou aceda ao portal da Associação das Agências Nacionais de Empresas de Recursos Humanos. Também existem agências de recursos humanos especializadas em determinadas áreas, como engenharia ou medicina.

– Anúncios de emprego. É uma das formas tradicionais de encontrar emprego. Pode procurar nos jornais, no centro de emprego, espaços comerciais, mas, atualmente, o meio mais comum de encontrar anúncios de emprego é através da internet. Investigue os portais que têm ofertas de trabalho na área que procura e esteja atento. Leia atentamente os anúncios, onde encontrará informações sobre a empresa, o cargo e as competências exigidas. O guia do IEFP aconselha a não demorar mais de três dias a responder a um anúncio.

– Carta de apresentação. Quer seja por resposta a anúncio ou candidatura espontânea, a carta de apresentação (ou de candidatura) é um passo importante. Esta deve ser cuidada, bem redigida, curta, mas incisiva. Se enviar o currículo por correio eletrónico, coloque-a no corpo do email. De uma forma sucinta, deverá conter as seguintes informações: Indique que está a candidatar ao emprego, porque viu determinado anúncio, manifeste interesse pelo trabalho e pela empresa, e, por fim, referira que o currículo vai em anexo para apreciação.

– Currículo profissional. Nunca é demais referir que o currículo deve estar atualizado e bem elaborado. Como diz o guia do IEFP “o currículo é a sua publicidade pessoal”. Aqui deverão estar resumidos os dados profissionais, da formação, das principais experiências profissionais e extra-profissionais. Deve estar evidenciado o percurso académico, formativo e profissional, assim como as competências e conhecimentos adquiridos ao longo dos anos.

– Candidaturas espontaneas. Nem sempre as empresas anunciam que estão à procura de novos trabalhadores, por isso, enviar candidaturas espontâneas pode ser importante para suscitar interesse nas entidades empregadoras. Desta forma, ficam a conhecer o seu trabalho, competências e motivações. Mesmo que, na altura, não deem uma resposta, podem conservar o seu currículo e contactá-lo mais tarde quando uma oportunidade surgir.

– Networking. Recorrer à sua rede de contactos é uma das técnicas de procura de emprego com maiores hipóteses de ter sucesso. Recorrer a antigos colegas de trabalho, de formação, professores, amigos ou familiares, pode ser uma excelente forma de ficar a conhecer as oportunidades no mercado de trabalho.

– Entrevista de emprego. Conseguir uma entrevista é o objetivo final de todas as técnicas de procura de emprego. É a oportunidade que tem para “brilhar” e explicar porque é a pessoa ideal para o cargo. Deverá prepara-se da melhor forma: informe-se sobre a empresa, desenvolva mentalmente os aspetos do seu currículo que possam vir a ser abordados, chegue a horas e apresente-se de forma cuidada. Prepare também algumas respostas de perguntas que podem ser colocadas pelo entrevistador, como a experiência profissional, porque está desempregado, o que tem feito para contrariar a situação, entre outras.

 

Leia também:

Seis ideias para trabalhar a sua rede de contactos 

Sete tarefas a fazer caso seja despedido

Cinco estratégias para mudar de emprego

Freelancers: Como transformar a sua casa num escritório?

Como o voluntariado pode ajudá-lo a encontrar emprego

Como a linguagem corporal pode ajudá-lo numa entrevista

Entrevista de emprego: 10 erros fatais

 

Deixe um comentário

A Caixa de Comentários é moderada. O Saldo Positivo reserva-se o direito de não publicar os comentários que possam ser considerados ofensivos.

  • FERRAMENTAS

    PUB
    PUB